Palavra do Leitor

São Caetano: líder em educação


São Caetano é exemplo para todas as cidades brasileiras. Suas conquistas passam por diversas áreas, especialmente na educação. Prova disso foi o primeiro lugar na área no Ranking Connected Smart Cities 2019. São índices de excelência que todos buscam, como 98,8% de docentes no ensino médio com ensino superior; nota média da cidade no Enem de 586 pontos; média de alunos por turma no nono ano do ensino fundamental de 27,1; Ideb da rede pública, em 2019 era de 6,2 pontos, sendo que a rede municipal já tinha atingido 7,5 nos anos iniciais do ensino fundamental e 6,6 nos anos finais; praticamente não há evasão de alunos; e os investimentos na educação chegam a R$ 2.792 por habitante.

Esses índices só são possíveis graças a administração comprometida com a cidade, que acredita na educação como fonte transformadora de vidas, promovendo o comprometimento dos diversos profissionais da nossa área, além do investimento em tecnologia de ponta para elevar estudos dos nossos alunos. Esse sucesso, que vem desde a nossa autonomia, consolidou-se neste terceiro mandato do prefeito Auricchio, iniciado em 2017, desde a nossa educação infantil até o ensino superior. Em tempos de pandemia também conquistou mais uma vitória: 95% dos alunos dos ensinos fundamental e médio matriculados nas escolas públicas do município já aderiram às aulas a distância, por meio da plataforma Google.

Como professor, iniciando minha carreira em 1995 na escola Idalina, no bairro Barcelona, não posso deixar de me sentir parte da educação de nossa cidade, trabalhando pelos nossos alunos, professores e servidores da área. Sempre tive gratidão muito grande por esse início, e tenho muito respeito e reconhecimento aos profissionais que atuam na área, sua seriedade e seu compromisso. Como presidente do Legislativo, não posso deixar de apontar o abono para servidores da área votado todos os anos pela nossa casa. Importante projeto que valoriza os profissionais da nossa cidade. Como vereador, duas conquistas passaram pelo meu mandato: bolsas de estudos para curso de mestrado em educação para professores da rede municipal e a criação do Colégio Universitário da USCS, do qual sou grande entusiasta.

A cooperação existente entre os poderes públicos e a atenção voltada para a educação de São Caetano permitem que ações atinjam diretamente a nossa comunidade, trazendo resultados positivos por meio do incansável trabalho realizado no dia a dia e apoiados pelo prefeito Auricchio.

São Caetano trabalha na busca da excelência e qualidade do ensino, pois temos consciência de que a educação é sempre o melhor caminho.

Pio Mielo é professor, vereador e presidente da Câmara de São Caetano.

Hora errada

Em relação à volta às aulas nesta pandemia (Setecidades, dia 25), e a contaminação? Mesmo com todos os cuidados necessários que estão sendo tomados pelos estabelecimentos ainda há risco! Volta neste momento, em que nos encontramos fragilizados com as 1.000 mortes (dia 24)? Será que não deveríamos deixar o próximo semestre como está, com aulas on-line? Acho que não deveriam mexer no time, que parece estar dando certo. Assim colaboram com as famílias que estão sofrendo com a Covid-19.

Katia Cristina Revolta Trentin

Santo André

Arredores

Como ajuda para combater o terrível coronavírus, sugiro à Prefeitura de Santo André que feche as ruas no entorno do Complexo Pedro Dell’Antonia e do Estádio Bruno Daniel, para que não haja movimentos de carros nem de pessoas correndo ou fazendo caminhada. Isso porque é grande a possibilidade de que naquela área o vírus esteja no ar, já que há dois hospitais de campanha, um de cada lado da Avenida Capitão Mário Toledo de Camargo – via que muitas pessoas utilizam para atividades físicas. Nesses hospitais todos sabemos que há pessoas infectadas, em tratamento contra a Covid. Seria mais uma maneira de tentar diminuir a propagação do vírus. 

Janete Maria Florêncio

Santo André

Enel – 1

Ridícula a resposta da Enel às reclamações dos consumidores (Setecidades, dia 26). Se gastei entre 140 KWh e 150 KWh nos meses antes da pandemia e durante esse período paguei por essa média, como agora pode vir 300 KWh se a rotina é a mesma e não estou trabalhando em home office? E vai ficar por isso mesmo...

Lukas Nokata Ayumi

Santo André

Enel – 2

São notadamente despreparados alguns setores para o trabalho home office no Brasil! Entre eles, o da Enel, que tem deplorável atendimento remoto. Essa companhia está simplesmente aumentando – às vezes até dobrando, triplicando – o valor das contas de consumo de energia (Setecidades, dia 25). São inúmeras as reclamações nesse sentido. A alegação, pasmem, é a de que há ‘resíduos’ dos meses em que não foi feita a leitura pelo profissional da empresa. Duas coisas: a empresa não fez a leitura alegando a pandemia, mas nada impedia o leiturista de fazer o trabalho. Qual seria o risco? Outra coisa é que era quase impossível mandar a leitura pelo aplicativo disponibilizado pela empresa, muito travado, limitado, irritante. E é incompreensível o fato de, se estava mandando a conta pela média, ter dobrado e até triplicado o valor em dois meses. Como pode? Pior ainda é não conseguir atendimento presencial, já que os ‘atendentes virtuais’ são totalmente despreparados para tal procedimento, não sabem resolver e ainda debocham de quem expõe as dificuldades. Nós, os consumidores, nos sentimos lesados, enganados e sem ter a quem recorrer. 

Gustavo H. Marinheiro

Santo André

Casa de todos

Fiquei muito triste com a atitude do padre Decio, novo pároco da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, em São Caetano, que proibiu pessoas que moram na praça em frente à igreja – e que ajudaram a construi-la – de entrar na mesma, no último domingo. Sabemos que esse homem e sua mulher são pessoas do grupo de risco, mas isso não é motivo para proibi-los de entrar na paróquia. A mulher ficou até doente após essa atitude do padre. Isso não se faz com as pessoas, não.

Fernando Zucatelli

São Caetano

Outro mundo

Não cuidou da Amazônia, a cada dia mais devastada; não cuidou da educação, cada vez pior; não cuidou da economia, que se arrasta e só o trabalhador é penalizado; não cuidou do emprego, com número de desempregados batendo recordes; não cuidou da saúde, sucateada, e até os cubanos, que poderiam estar ajudando muito, foram mandados embora; não cuidou da habitação, da corrupção – os filhos estão atolados até o pescoço, enfim, ele cuida do quê? Não se vê esse homem dar uma palavra sequer em solidariedade às famílias vítimas da Covid-19, mesmo com mais de 1 milhão de infectados no Brasil. Em qual mundo ele vive?

Gilmar Tefé

Santo André

As cartas para esta seção devem ser encaminhadas pelos Correios (Rua Catequese, 562, bairro Jardim, Santo André, CEP 09090-900) ou por e-mail (palavradoleitor@dgabc.com.br). Necessário que sejam indicados nome e endereço completos e telefone para contato. Não serão publicadas ofensas pessoais. Os assuntos devem versar sobre temas abordados pelo jornal. O Diário se reserva o direito de publicar somente trechos dos textos.

Comentários


Veja Também


Voltar