Palavra do Leitor

Jesus, o cotidiano e o trabalho


Acordar, arrumar a cama, enfrentar o trânsito, participar de reuniões, fazer entregas, atender pacientes ou clientes, vender carros ou imóveis, fabricar peças e encontrar amigos são atividades realizadas por muitos cotidianamente. O cenário em que desenvolvemos nossas tarefas, convivemos, choramos e sorrimos é o mundo onde vivemos, sendo razoável que o amemos apaixonadamente.

Há 91 anos, o padre espanhol Josemaria Escrivá fundou algo até então inexistente na Igreja Católica: a Prelazia do Opus Dei, anunciando que no meio do mundo, fora dos templos e mosteiros, no local onde cada um desempenha suas atividades cotidianas, todos também podem encontrar-se com Deus. É, portanto, nos acontecimentos cotidianos que somos chamados a colaborar para o mundo ser melhor, através de vida virtuosa, de fé e de compromisso com o Evangelho. Não podemos ser meros espectadores dos acontecimentos.

Trata-se do chamado universal à santidade, que tem como arauto São Josemaria Escrivá, canonizado no dia 6 de outubro de 2002, cuja festa litúrgica a Igreja celebra hoje, data de sua morte, ocorrida no ano de 1975. Durante a cerimônia de canonização, ‘São’ João Paulo II o chamou de santo do cotidiano, porque anunciava a real possibilidade de todos alcançarem o céu através da santificação de seu trabalho diário.

Dedicamos boa parte da vida ao trabalho e ao estudo, de acordo com o talento que temos. Nosso tempo necessita de santos profissionais, pais e mães de família, que busquem agir a exemplo de Jesus e de Maria. O ideal de santidade é convite para todos. O Criador continua sua obra através do trabalho humano. Jesus Operário dignificou as atividades profissionais, e juntamente com São José Carpinteiro tocavam a oficina de Nazaré, atendendo com cordialidade e qualidade, com zelo e honradez. E Santa Maria foi exemplar nos cuidados do lar.

Nascemos para trabalhar, e por eles inspirados será possível alcançarmos a perfeição cristã. O trabalho não é maldição como equivocadamente se diz, mas matéria-prima que pode ser ofertada a Deus. Convém um exame sobre aquelas murmurações de fim de domingo em face da semana de labor que principiará. Igualmente cabe questionar a importância exagerada dada à sexta-feira por meio do já tradicional bordão ‘sextou!’, como se apenas o lazer fosse importante.

O santo de hoje recorda o ideal cristão da santidade por meio do trabalho, nas realidades diárias, onde estamos metidos e somos chamados a sermos bons profissionais, honestos, dedicados, pontuais, zelosos, para, enfim, seguirmos nossa caminhada rumo ao céu.

Carlos Roberto Pegoretti Júnior é advogado.


PALAVRA DO LEITOR

Poupança
Dia 19 de abril de 2019 o ministro Gilmar Mendes liberou trâmites processuais na Justiça referentes aos processos do confisco da caderneta de poupança. Recentemente, o STF (Supremo Tribunal Federal) prorrogou por mais dois anos e meio aos interessados em fazer acordo proposto pelos banqueiros e pelo Idec (Instituto de Defesa do Consumidor?), mas não anula a decisão do ministro. No entanto, esses processos continuam estagnados na Justiça até hoje. A quem interessa isso tudo? São mais de 20 anos que os poupadores esperam por Justiça! E o STF prorrogou por mais dois anos e meio o acordo com os banqueiros! Lembro que esse acordo prorrogado não precisa o STF impor data de validade como ameaça, ou seja, ou aceita ou não recebe nada! Ministro Gilmar Mendes, quando mandou represar os processos no STJ (Superior Tribunal de Justiça) a ordem foi cumprida de imediato, mas quando o senhor liberou os trâmites processuais, continuam estagnados nos Tribunais. E daí?
Nelson Sanchez
Santo André

Enel
Esta pandemia está atrapalhando a vida de todo mundo! Se não bastasse o vírus, grande parte das companhias de prestação de serviço compete com o vírus. A Vivo dá preferência às chamadas de emergência e o serviço para os clientes fica em segundo plano. Pior ainda é a Enel. Em menos de uma semana estou recebendo aviso de conta de energia vencida dia 12. Como não tinha recebido a conta, paguei dia 19. Dia 24 recebi novo aviso, de novo com mesmo dia de vencimento! Tentar entrar no site para pedir segunda via deve ser por e-mail, com senha. Acho que nunca tive senha e mencionei que tinha esquecido minha senha. Resposta na hora: ‘Nova senha foi enviada para seu e-mail’. Uma hora depois e não tinha chegado nada! Como serviço entendo outra coisa.
Serge Rene Vandevelde
São Bernardo

Olho do furacão
O presidente Bolsonaro foi eleito com meu voto, o de minha família e de milhões de brasileiros, que, fartos do engodo criminoso do PT, depositaram no candidato a esperança de liberdade dos grilhões corruptos que nos assolavam. Um ano e meio na cadeira, Bolsonaro não consegue passar uma semana sem criar crise, em meio à pandemia da Covid-19. Promessas foram feitas, muita indignação contra o sistema chamado de velha política, furor de governar em prol da democracia e do avanço da Nação em meio à globalização. Mas o tempo está passando e o candidato da esperança vem dia a dia descumprindo as promessas, fazendo conchavo com velhas raposas do Centrão, levando seu governo de volta à velha e manjada política. Não bastasse isso, invertendo fatos pontuais. O que esperar do nosso País que, na pandemia, o presidente resolveu brincar de esconde-esconde. O Brasil se tornou líder no mundo em número de mortes por dia. Que mal fizemos nós ao Criador para merecer o que estamos vivenciando na Pátria amada Brasil?
Turíbio Liberatto
São Caetano

Gratidão
Quero deixar público aqui neste querido espaço que este Diário nos proporciona minha imensa gratidão à deputada Vanessa Damo pelo convite de ser pré-candidata a vereadora em sua chapa no MDB. Fiquei bastante honrada pelo convite, no entanto, tive que declinar, pois, depois de analisar juntamente com minha família, entendemos não estarmos preparados em vários aspectos. Mas estou à disposição para ajudá-la no que precisar, pois acredito muito em sua garra, especialmente por ser mulher, mãe e de um coração enorme. Desejo sabedoria de Deus para conduzir sua campanha e chegar com êxito à vitória. Conte comigo sempre.
Rosângela Caris
Mauá

Otimismo
Como não é declaração de Jair Bolsonaro, mas do competente presidente do BC (Banco Central), Roberto Campos Neto, acredito e torço para que o PIB (Produto Interno Bruto) deste ano, como divulga o BC, seja de queda de 6,4%, e não o estimado pelo FMI (Fundo Monetário Internacional), de menos 9,1% para o Brasil. E, como afirma Campos, a política monetária está estimulando a economia, já que a curva é de alta no consumo de energia, tráfego, maior confiança etc. Nesse sentido, apoia a prorrogação do auxílio emergencial de R$ 600, entendendo que irá incentivar o consumo de milhões de famílias. Lógico que reativação mais consistente da atividade econômica depende e muito da diminuição acentuada da evolução da propagação da Covid-19. Mas não deixa de ser alívio essa fala do presidente do BC.
Paulo Panossian
São Carlos (SP) 

Comentários


Veja Também


Voltar