Cena Política

Igrejas pressionam por reabertura


Há algumas eleições, igrejas – católicas e evangélicas – se organizaram para participar ativamente do processo eleitoral. Lançaram candidatos próprios, fundaram partidos e, de certa forma, provocaram mudança no modo como a classe política enxerga o setor religioso. Atualmente, a organização é tamanha a ponto de influenciar a governabilidade ou a atuação de determinado político. O poderio tem sido visto neste período de quarentena estadual para conter o avanço do coronavírus. Fechadas desde o início da pandemia, muitas igrejas têm pressionado para que haja abertura, com retomada dos cultos, seguindo as recomendações sanitárias. A mesa dos prefeitos da região está cheia de pedidos de pastores e líderes religiosos e de vereadores ligados às bases evangélicas com essa solicitação. Alguns autorizaram o retorno, outros limitaram os cultos.

BASTIDORES

Confusão em Ribeirão
A confusão na frente do terminal de Ribeirão Pires da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) parou na polícia. Dois guardas-civis registraram BO (Boletim de Ocorrência) contra o secretário de Saúde, João Gabriel Vieira, e contra Leandro Majerele, funcionário da pasta e protagonista de vídeo em que aparece trocando socos e chutes com munícipes perto da estação. Esses GCMs (Guardas-Civis Municipais) acusaram Vieira e Majerele de desacato, dizendo que ambos os chamaram de “vagabundos” durante uma abordagem no terminal contra alguns moradores de rua. Nas redes sociais, Majelere disse que as agressões partiram de aliados do vereador Humberto D’Orto, o Amigão (PSB). O socialista, entretanto, rebateu, declarou que não tem relação com nenhum personagem que se envolveu no entrevero e prometeu registrar queixa contra Majerele.

Homenagens
Dois projetos foram protocolados na Câmara de Ribeirão Pires para homenagear João Lessa (PSDB) e Gê do Aliança (Podemos), vereadores que morreram nas últimas semanas. Lessa daria seu nome ao velório do Cemitério Municipal, enquanto a Unidade de Saúde da Família do Jardim Guanabara (na região do Parque Aliança) receberia o nome ‘José Geraldo Pereira Xavier’.

Perfil
Ex-prefeito de São Bernardo e pré-candidato do PT à Prefeitura, Luiz Marinho já traçou perfil de vice ideal para a campanha deste ano: quer uma mulher e de um partido aliado. A tendência é a de que o PTB apresente nomes para avaliação do ex-prefeito. O petista também tem deixado aberta a possibilidade de atrair alguns dos pré-candidatos majoritários colocados.

Panos quentes
Os bastidores políticos do governo em Diadema ferveram após o Diário mostrar que o prefeito Lauro Michels (PV) decidiu apostar no presidente da Câmara, Pretinho do Água Santa (DEM), como seu sucessor. Diante de inúmeras mensagens dentro do PV, partido do prefeito, a secretária de Habitação e uma das cotadas para assumir a empreitada governista ao Paço, a ex-deputada estadual Regina Gonçalves (PV), encaminhou mensagem aos pré-candidatos a vereador da sigla na tentativa de apagar o fogo. Ela considerou Pretinho importante para o projeto político do governo, mas disse que a definição do pré-candidato à Prefeitura virá em debate com os políticos e partidos que compõem a administração. “Vamos manter a calma até chegarmos a definições coletivas e definitivas”, escreveu.

Vice de Rubinelli
Diretora-geral da Fama (Faculdade de Mauá), Eliana Vileide (Republicanos) foi anunciada como candidata a vice em chapa encabeçada pelo ex-deputado federal Wagner Rubinelli (PTB) em Mauá. “Sua vinda nos traz muito orgulho e a certeza de que nosso projeto é o melhor para a cidade”, discorreu Rubinelli. Coordenador regional do Republicanos, o antigo PRB, Erisson Pessoa ficará como coordenador da campanha do petebista – ele havia sido designado para vice. 

Comentários


Veja Também


Voltar