Cena Política

Aarão e Kiko em duelo em Ribeirão


Ex-prefeito de Rio Grande da Serra, Aarão Teixeira nunca escondeu suas diferenças políticas com o irmão, Adler Kiko Teixeira. Nos anos 1990, os dois foram candidatos a prefeito de Rio Grande, um duelando contra o outro. Agora, Kiko é prefeito de Ribeirão Pires, cidade onde Aarão também mantém sua atuação política. E começa a circular pelos bastidores do município uma possibilidade de candidatura de Aarão à Prefeitura de Ribeirão. De última hora, Aarão se filiou ao Solidariedade, que, por ora, tem planos de lançar Marisa das Casas Próprias ao Paço. Ou seja, é uma sigla que, pelo menos por enquanto, está fora do arco de aliados do governo Kiko. Independentemente se será prefeiturável, Aarão tem agido como verdadeiro oposicionista ao irmão, com críticas à gestão do caçula nas redes sociais.

BASTIDORES

Condições
Para ser candidato à Prefeitura de Ribeirão Pires, porém, Aarão Teixeira (SD) precisará que o irmão, Adler Kiko Teixeira (PSDB), não consiga aval jurídico para tentar a reeleição e fique fora da disputa. Isso porque o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) proíbe que parentes próximos sucedam os políticos. Mas, neste caso, há jurisprudência sobre candidaturas à reeleição: se Kiko se inviabilizar juridicamente, o irmão poderia ser candidato agora, sem direito à reeleição.

Doação
O prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB), decidiu doar metade de seu salário – equivalente a R$ 7.500 – para o Lar Bom Repouso, instituição localizada na Alameda Cassaquera, no bairro Barcelona. No mês passado, Auricchio havia transferido 50% dos vencimentos para o Fundo Social de Solidariedade, para atendimento de pessoas impactadas pela pandemia do novo coronavírus.

Afago
Ex-prefeito de Diadema e pré-candidato do PT à Prefeitura neste ano, José de Filippi Júnior organizou uma live, ontem, com o ex-presidenciável e ex-prefeito da Capital Fernando Haddad (PT). Na quase uma hora de conversa, ambos questionaram as ações federais no combate à Covid-19. Mas Haddad fez afago a Filippi – os dois trabalharam juntos, quando Filippi foi secretário de Saúde da Capital na gestão de Haddad. “Espero, Filippi, que você volte a prefeitar sua cidade. Saiu do governo superbem avaliado.” O ex-prefeito agradeceu e também elogiou o correligionário. “Sei que se fosse você o presidente estaríamos em melhores mãos.”

Defesa – 1
O deputado federal Alex Manente (Cidadania) engrossou a lista de defensores do nome do vereador Marcel Munhoz (Cidadania) como candidato a vice na chapa encabeçada pelo prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB), na eleição deste ano. Alex ressaltou que, além da expressiva votação de Marcel em 2016 (3.000 votos), seu correligionário sempre foi leal a Auricchio.

Defesa – 2
O líder do governo do prefeito José Auricchio Júnior (PSDB) na Câmara de São Caetano, vereador Tite Campanella (Cidadania), é outro a sustentar o nome do parlamentar Marcel Munhoz (Cidadania) para a vice. Na visão de Tite, Marcel, servidor da Polícia Civil, agregaria à chapa por ser especialista na área de segurança pública, que tem sido preocupação crescente da administração local.

Articulação
Reitor da USCS (Universidade Municipal de São Caetano), Marcos Bassi (PSDB), também postulante a vice de José Auricchio Júnior (PSDB), tem impulsionado articulações para conseguir apoios em seu projeto eleitoral. Nesta semana, por exemplo, se reuniu com o vereador Olyntho Voltarelli (PSDB). Outros encontros – sempre protegidos com máscaras e álcool em gel – devem acontecer em breve. 

Comentários


Veja Também


Voltar