Cena Política

Processo estoura na mão de Ubiratan


O vereador Ubiratan Figueiredo (PSD), de São Caetano, foi condenado, em segunda instância, ao pagamento de R$ 57 mil a título de custas processuais em ação movida por ele contra a Prefeitura de São Caetano, em 2018. À época, Ubiratan argumentou que o governo do prefeito José Auricchio Júnior (PSDB) havia contratado empresa para prestar show pirotécnico e que a atividade foi em discordância com uma lei municipal, que veda uso de fogos de artifício com estampido. Na primeira instância, Ubiratan perdeu porque citou uma legislação que não trazia essa proibição – a lei citava apenas campanhas de conscientização sobre o perigo do uso de fogos de artifício barulhentos. Depois de o juiz Dagoberto Jeronimo do Nascimento, da 5ª Vara Cível de São Caetano, negar o pedido do parlamentar, a 7ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça acatou recomendação do governo de São Caetano para fazer com que Ubiratan pagasse 10% do valor das custas processuais.

Quem paga a conta?
O resultado da ação judicial deixou o vereador Ubiratan Figueiredo (PSD) ressabiado com o ex-vereador e pré-prefeiturável Fabio Palacio (PSD). Segundo apurou a coluna, Palacio foi um dos principais incentivadores para que Ubiratan, que na cidade promove trabalho junto à causa animal, movesse ação contra o governo de José Auricchio Júnior (PSDB), seu adversário. Ubiratan pode recorrer, mas já está cobrando de outros quem pode pagar a conta.

Recuperação
Internado no Hospital Assunção devido a uma infecção urinária grave, o ex-prefeito Luiz Marinho (PT), de São Bernardo, encaminhou mensagem à militância dizendo acreditar que amanhã deixará a unidade. Marinho argumentou que os remédios prescritos pelos médicos têm dado resultado. Com febre alta, o ex-prefeito teve de passar por exame de Covid-19. Conforme o petista, médicos do hospital disseram que, pelos sintomas, está praticamente descartada a suspeita de novo coronavírus.

Boa ação
Vice-prefeito de São Caetano, Beto Vidoski (PSDB) doou sangue ontem para colaborar com pedido dos médicos para que pessoas positivadas com o novo coronavírus – assintomáticas ou que superaram a doença – possam fornecer o plasma para testes no combate à doença. “Como todos sabem, ainda não existe vacina para esse vírus. Convido você, infectado e curado há mais de 30 dias, que possa participar desse programa para salvarmos mais vidas”, discorreu o tucano.

Autoria
O vereador Fernando Rubinelli (PTB), de Mauá, celebrou o fato de o promotor José Luiz Saikali incluir ofício dele no inquérito aberto para apurar os valores praticados no hospital de campanha da cidade, instalado no Paço. Ele avisou que também deve acionar o MP sobre a informação do número de casos e de óbitos devido à Covid-19. Na visão do petebista, há subnotificação.

Mais um
Depois de o reitor da USCS (Universidade Municipal de São Caetano), Marcos Bassi (PSDB), e o vereador Marcel Munhoz (Cidadania) se colocarem à disposição para vice do prefeito José Auricchio Júnior (PSDB) na eleição deste ano, o secretário de Serviços Urbanos, Iliomar Darronqui (PL), também é cotado – ele integra o partido do deputado estadual Thiago Auricchio (PL). Beto Vidoski (PSDB), detentor atual da vaga, também quer se manter na chapa.

Avaliação
Quarto suplente da coligação que elegeu, em 2016, Roberto Rautenberg (Avante) como vereador de Santo André, Donay Neto (PSB) ainda analisa se recorrerá à Justiça comum ou à Justiça Eleitoral para ficar com a cadeira do ex-parlamentar, que renunciou à função. Na terça-feira, a Câmara deu posse para Jorge Kina (PSDB), primeiro suplente da coligação de 2016. O entendimento de Donay é o de que ele ficou em uma sigla da coligação, diferentemente dos três suplentes acima dele na lista. 

Comentários


Veja Também


Voltar