Setecidades

Suspeito de participar do assassinato de família em São Bernardo se entrega


O quinto suspeito de envolvimento no assassinato de Romuyuki e Flaviana Gonçalves, 43 e 40 anos, respectivamente, e Juan Victor, 15, encontrados carbonizados no porta-malas do carro da família na Estrada do Montanhão, em São Bernardo, no dia 28 de janeiro, se entregou à polícia na manhã de ontem. Jonathan Fagundes Ramos, 23, se apresentou na delegacia da Praia Grande, Litoral Sul de São Paulo.

Ramos teve mandado de prisão temporária expedido na última quinta-feira e, desde então, estava foragido. Por volta das 7h30, ele se entregou acompanhado do pai. Segundo o delegado Alexandre Comin, o suspeito disse que “se apresentou espontaneamente, pois não estava mais aguentando se esconder da polícia”. Comin comentou ainda que Ramos afirmou “que sua participação no crime foi limitada”.

Ramos foi levado até o IML (Instituto Médico-Legal) e, em seguida, encaminhado para a carceragem do Litoral. No fim da tarde, o suspeito chegou ao COI (Centro de Operações Integradas) de São Bernardo para prestar depoimento sobre o caso.

O quinto suspeito é irmão de Juliano de Oliveira Ramos Júnior, preso no dia 4, e que confessou ter participado da morte da família Gonçalves. Ambos são primos de Carina Ramos, namorada de Anaflávia Menezes Gonçalves – filha e irmã das vítimas. 

Na quinta-feira, no terceiro depoimento à polícia, as duas confessaram ter planejado o roubo na casa da família, no Jardim Ciprestes, em Santo André, mas negaram a participação nas mortes. A prisão temporária de Carina e Anaflávia foi decretada no dia 29 de janeiro, após as duas apresentarem contradições em seus interrogatórios. 

Segundo a polícia, o grupo planejou o assalto à casa da família Gonçalves no dia 25 de janeiro, dois dias antes da ação. As duas suspeitas afirmam que a situação durante o assalto saiu do controle após discussão, quando um dos criminosos chamou as duas pelo nome na frente de Romuyuki e Flaviana. Eles pretendiam roubar cerca de R$ 80 mil que estariam no cofre da residência, mas o dinheiro não foi encontrado.

Já na versão de Júnior, Carina foi a mentora intelectual da ação e responsável pelas mortes. Laudo pericial apontou que os três sofreram traumatismo crânio-encefálico antes de serem queimados.

Imagens de câmeras de segurança de um posto de gasolina mostram um Fiat Palio preto e homem comprando combustível. Segundo as investigações, o motorista seria Ramos e o produto teria sido usado para incendiar o veículo e as vítimas. O suspeito também teria ajudado na fuga do grupo.

Comentários


Veja Também


Voltar