Esportes

Irresistível, Ramalhão supera Tricolor


O Santo André acabou ontem com qualquer desconfiança que ainda pairava sobre o time no Campeonato Paulista. Diante do São Paulo, um dos grandes da competição, a equipe se impôs, principalmente no primeiro tempo, soube segurar a pressão do Tricolor na etapa final e venceu por 2 a 1, mantendo a melhor campanha do Estadual depois de cinco rodadas disputadas.

Sobrou reclamação do São Paulo para a arbitragem, que errou ao validar o primeiro gol do Santo André aos quatro minutos de jogo – Ronaldo estava impedido antes do chute de Fernandinho. Fernando Diniz também culpou a defesa pelo vacilo no segundo tento ramalhino, marcado por Dudu Vieira, que na sequência teve a oportunidade de fazer o terceiro, mas parou em Tiago Volpi.

Fernando Diniz abriu mão de um zagueiro na volta do intervalo e foi com tudo para cima do Santo André. Em 45 minutos, foram dezenas de bolas cruzadas na área e três grandes chances criadas. Vitor Bueno, na pequena área, mandou por cima e as outras duas oportunidades pararam em defesas de Fernando Henrique.

O Santo André soube sofrer e deixou o campo ainda mais fortalecido. A vitória foi construída sem seus dois principais atacantes. Com virose, Branquinho foi vetado nos vestiários, enquanto Douglas Baggio sofreu lesão muscular na partida contra o Criciúma, quarta-feira, pela Copa do Brasil.

Com poucas opções, o técnico Paulo Roberto terminou o jogo com quatro laterais em campo, na tentativa de minimizar a pressão do São Paulo. Por pouco, o Santo André não fez o terceiro, nos acréscimos, quando o goleiro Tiago Volpi foi para o ataque, acabou sendo driblado e, mesmo sem goleiro, o zagueiro Rodrigo não conseguiu concluir no gol e errou o passe para Ronaldo.

Não fez falta. Instantes depois o apito final soou com alívio para os andreenses e deu início à festa na arquibancada Leste do Bruno Daniel. No outro lado, era um misto entre críticas direcionadas ao time e também ao trio de arbitragem.

Paulo Roberto dá ‘bronca’ na imprensa e diz que grupo abraçou proposta

Uma cena após o jogo de ontem deu a dimensão do que representou a vitória do Santo André sobre o São Paulo. Enquanto dezenas de repórteres se aglomeravam na expectativa de ouvir o técnico Fernando Diniz, do São Paulo, o andreense Paulo Roberto chegou para a entrevista e estranhou a disparidade. Em tom alto, disparou: “Quem ganhou está aqui deste lado”, provocou.

Mais calmo e falando exclusivamente ao Diário, o treinador valorizou o resultado. “Sabíamos que seria difícil, para atingir o resultado o grupo teve de abraçar nossa estratégia, e eles abraçaram. Tínhamos de sofrer para ganhar do São Paulo. Propusemos marcar do meio para trás e uma transição rápida, mesmo sem o Baggio e o Branquinho, que são os especialistas nisso. Fomos felizes”, constatou o treinador.

O zagueiro Rodrigo enalteceu o adversário. “Era planejada a pressão do São Paulo. Suportamos bem. Grupo está de parabéns porque ganhamos de um time com estrutura fantástica”, comentou.

Para Diniz, falta de eficiência decretou o primeiro revés

Abatido após ver cair a invencibilidade do São Paulo no Paulistão, o técnico Fernando Diniz justificou que a pouca produção ofensiva foi fatal para o tropeço diante do Santo André com . Ousado ao voltar do intervalo sem um dos zagueiros e com dois pontas abertos, ele lamentou as oportunidades desperdiçadas.

“Claro que foi o ponto negativo do time de novo: inúmeras chances criadas e a gente não conseguiu aproveitar. Temos de começar a fazer os gols para vencer e ter margem para uma falha ou outra. Estamos todos os jogos no limite”, admitiu o treinador.

O técnico disse que a proposta usada no segundo tempo foi programada. “Para quem acompanha meus trabalhos, não é inusitado. Já fiz isso várias vezes. Foi uma coisa pensada, estudada... E deu certo. Tivemos volume”, constatou.

Comentários


Veja Também


Voltar