Palavra do Leitor

Dicas para futuros empreendedores


O Brasil já é País de empreendedores e tem amadurecido na oferta de ecossistema propício à inovação. Segundo uma pesquisa realizada pela GEM (Global Entrepreneurship Monitor) no início de 2019, a taxa de empreendedorismo chegou a 38%, ou seja, 52 milhões de brasileiros afirmam possuir negócio próprio. No entanto, empreender é tarefa desafiadora e faz com que muitas ideias não se tornem negócios sustentáveis. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), uma em cada quatro empresas no Brasil fecha antes de completar dois anos.

Entre as diversas receitas de sucesso, a participação em programas de aceleração contribui muito para os negócios, reforçando a maturidade das startups e oferecendo troca rica de experiências entre mentores e mentorados. Em geral, essas iniciativas trazem conselhos de especialistas e o contato com empreendedores mais experientes, que podem ajudar com direcionamentos para que a nova empresa alcance seus objetivos. Um dos grandes desafios é lidar com as frustrações. Novos negócios trazem série de dificuldades e, em contexto econômico cada vez mais competitivo, as frustrações serão, sem dúvida, parte da evolução natural da empresa.

Por isso, o melhor a fazer é ser resiliente e, sempre que o desespero bater, se lembrar de alguns pontos importantes, como fazer escolhas. Ao abrir seu próprio negócio, o empreendedor verá diversas opções de caminhos e terá que optar pelos que julga fazerem mais sentido. Diante das diferentes possibilidades que aparecerem, será importante lembrar que, independentemente do resultado, fazer escolhas é amadurecer. Novos negócios requerem também série de iniciativas e é importante gerir os recursos, financeiros e operacionais, tendo em mente o que é essencial para se manter no mercado. Para que o caminho fique mais fácil, é relevante que o empresário entenda que a energia deve ser concentrada sempre no ‘projeto 1’.

Após definir prioridades, é imprescindível criar método de gestão e organização. Isso auxiliará na mensuração de resultados, filtrando as ideias que podem ou não irem adiante, e colocando as metas em linha do tempo. Elencar todas as possibilidades ajuda o empreendedor a visualizar os caminhos que podem ser percorridos e se eles condizem com a ideia inicial. Por fim, é essencial usar todos os obstáculos que surgem no decorrer do projeto como impulso para chegar ainda mais perto de seus sonhos. O dono do negócio precisa entender que é muito comum que alguns de seus esforços rendam poucos frutos, mas que não pode desanimar e que precisa seguir em frente, colecionando experiências que vão levá-lo ao seu objetivo final.

Rafael Navarro é responsável por gestão do conhecimento na Braskem e mentor da plataforma Braskem Labs.

Não se entendem

Bolsonaro disse ao porta-voz da Presidência: ‘Vou ditar uma carta e você vai datilografar, mas como a carta é secreta, você datilografa, mas não leia’. O porta-voz então respondeu: ‘Presidente, então só há um jeito, o senhor dita, mas não fala, tá? Viva o Brasil!

João de Deus Martinez

Santo André

Precatórios

Muito boa a notícia de que a Prefeitura de Santo André vai tentar empréstimo de R$ 2 bilhões com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para quitar as dívidas com precatorianos da cidade (Política, dia 4). Pode ficar ainda melhor se realmente a Prefeitura conseguir esse empréstimo, porque a maioria dos precatorianos precisa, e muito, do dinheiro. Muitos esperam desde o governo de Celso Daniel. Alguns, inclusive, já até morreram sem receber o que tinham de direito. Tem o nosso apoio, prefeito Paulo Serra. Vá em frente com essa ideia. 

Israel Arruda de Medeiros

Santo André

Sem futuro

Digo aos ainda defensores deste presidente que aí está que, em sã consciência, ninguém mais deveria fazer isso. Não é questão de ‘quanto pior, melhor’, ou que ‘estamos no mesmo barco’. Como posso torcer para ‘bom governo’ de presidente que nada fez até agora, após dez meses no poder, a não ser tirar direitos de trabalhadores, beneficiar a si mesmo e à própria família, se meter em discussões nas redes sociais, brigar com nações parceiras e exaltar a época de chumbo? Como pode o cidadão falar em ‘não retornar à era dos roubos, corrupção, conchavos, lavagem de dinheiro, aparelhamento do Estado’ (Futuro do Brasil, dia 6) se o presidente está atolado até o pescoço em problemas de toda ordem? Onde ele estava nos últimos dez meses? Não viu os escândalos em que aparecem o nome do presidente? Amigo, com este presidente não teremos futuro. Esqueça.

Jorge Sabino

Mauá

Mais pobres

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) divulgou estudo que revela que o Brasil tem 13,5 milhões de pessoas vivendo abaixo da linha da extrema pobreza, 4,5 milhões a mais que em 2014. São seres humanos que ganham cerca de R$ 145 por mês. É tanta gente nessa situação que se tornam maiores do que as populações de países como Portugal, Bélgica e Grécia. E o que faz nosso sensacional presidente Bolsonaro para mudar esse cenário? Admite que seu governo pode diminuir a multa de 40% sobre o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) a que os trabalhadores têm direito em caso de demitidos sem justa causa para 20%. É ou não é presidente que se preocupa com a população? Mito! E ainda tem gente que diz para torcer por Bolsonaro. Faça-me um favor!

Abedias Barbato

São Caetano

As cartas para esta seção devem ser encaminhadas pelos Correios (Rua Catequese, 562, bairro Jardim, Santo André, CEP 09090-900) ou por e-mail (palavradoleitor@dgabc.com.br). Necessário que sejam indicados nome e endereço completos e telefone para contato. Não serão publicadas ofensas pessoais. Os assuntos devem versar sobre temas abordados pelo jornal. O Diário se reserva o direito de publicar somente trechos dos textos.

Comentários


Veja Também


Dicas para futuros empreendedores

O Brasil já é País de empreendedores e tem amadurecido na oferta de ecossistema propício à inovação. Segundo uma pesquisa realizada pela GEM (Global Entrepreneurship Monitor) no início de 2019, a taxa de empreendedorismo chegou a 38%, ou seja, 52 milhões de brasileiros afirmam possuir negócio pró...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar