Automóveis

Risco de combustão assusta donos de Onix Plus


Lançado em 13 de setembro, o Onix Plus agradou em cheio ao consumidor, com 7.140 unidades vendidas do sedã. Dois casos de incêndio fizeram com que a curiosidade fosse trocada pelo medo. As ocorrências, uma no pátio da General Motors, em Gravataí, no Rio Grande do Sul, e outra em uma estrada do Maranhão, levaram a montadora a suspender as vendas do modelo e convocar os compradores para um recall.
Entre os que receberam a mensagem para correção está a gerente financeira Fátima Aparecida Ferreira, 58 anos, que comprou versão mais completa do modelo, e pagou à vista R$ 83 mil – colocou alguns acessórios no veículo – dia 1º de novembro, e na quarta-feira foi chamada para o recall.
Ontem ela foi à concessionária Viamar, na Avenida Pereira Barreto, em São Bernardo. Lá, segundo a cliente, enfrentou problemas também com o pós-venda. “Me disseraram para deixar o meu carro e ligar para o 0800 da GM e solicitar um veículo reserva. Liguei, e o atendimento automático indicava que eu deveria entrar no site”, relatou. Pior ainda foi a opção dada por uma atendente da Viamar. “Ela falou que se eu quisesse, poderia ir embora com o meu carro”, relatou.
Fátima usa o veículo para trabalhar e ficou indignada com a proposta. Ela se desloca diariamente de São Bernardo, onde mora, a Guarulhos. “Eu pego o Rodoanel (Mário Covas) todos os dias. Tenho medo de que o carro pegue fogo.”
No fim da tarde, Fátima acreditava que o caso estava resolvido, com a promessa de que voltaria para casa com um modelo semelhante ao seu. Na locadora indicada, descobriu que havia sido reservado um Onix hatch com câmbio manual. O dela é automático, assim como o Toyota Etios 2018 que deu como parte de pagamento na aquisição do sedã da Chevrolet. “O contrato é de 20 dias, podendo ser prorrogado. Estou preocupada com o tempo que irá demorar esse conserto”, afirmou.
Por nota, a General Motors declarou que está convocando os proprietários por conta de “atualização do software de gerenciamento do motor”, que este chamado tem como prioridade a segurança.
De acordo com a montadora, “em condições muito especificas e combinadas de pressão atmosférica, temperatura ambiente, umidade relativa do ar e composição do combustível o software de gerenciamento do motor pode, eventualmente, apresentar falha, com risco de danos ao motor e potencial incêndio, como no caso ocorrido na região Nordeste. Esta condição é precedida de um alerta visual no painel de instrumentos – a luz indicadora de funcionamento incorreto, referente ao motor, acende”.
Sobre a ocorrência de Gravataí, a GM afirma que “foi um caso isolado provocado por um fator que não tinha relação com o projeto do veículo”.

VECTRA
A GM foi investigada por outro caso envolvendo incêndios no modelo Vectra, que já saiu de linha. Houve relatos de 32 incêndios entre 2006 e 2009, com 24 vítimas fatais, além de feridos. A empresa fez acordos de indenização com os familiares dos envolvidos que recorreram à Justiça.
O primeiro processo pedindo o recall do modelo foi arquivado sem que fosse constatado o motivo dos incidentes. Foi depois reaberto em 2014, mas desde então está parado na Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor.  

Comentários


Veja Também


Risco de combustão assusta donos de Onix Plus

Lançado em 13 de setembro, o Onix Plus agradou em cheio ao consumidor, com 7.140 unidades vendidas do sedã. Dois casos de incêndio fizeram com que a curiosidade fosse trocada pelo medo. As ocorrências, uma no pátio da General Motors, em Gravataí, no Rio Grande do Sul, e outra em uma estrada do Ma...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar