Confidencial

Investidores desistem do São Caetano


Azedou a primeira tentativa do São Caetano em encontrar um substituto para Saul Klein, antigo mecenas do time. Lucas Moraes, que chegou com status de braço direito do presidente Nairo Ferreira de Souza e capitaneava grupo que estava disposto a investir na agremiação, desistiu diante das inúmeras irregularidades que apurou nas contas cada vez mais negativas do clube.

Uma fonte assegurou que até carros de propriedade do Azulão foram apreendidos para pagar dívidas e as contas jurídicas estão bloqueadas. No total, estima-se que o clube deve algo na casa dos R$ 29 milhões e corre o risco de perder os 50% que tem direito do meia Nonato, emprestado ao Internacional, e 30% de Matheus Henrique, cedido ao Grêmio e que recentemente foi convocado por Tite para a Seleção Brasileira.

Os jogadores estão sendo blindados. Por mais que assumam que o clima está longe do normal, não entram em polêmica. Jean Dias, autor do gol no clássico contra o EC São Bernardo, que deu a classificação ao São Caetano para a final da Copa Paulista, disse que houve conversa interna e o pedido foi para que os jogadores pensem apenas no campo. Só que a crise chegou ao bolso. No mês passado eles receberam os direitos de imagem com 13 dias de atraso e os salários deste mês, que vencem hoje, não se sabe quando serão pagos. Até mesmo os hotéis usados para concentração nos dois jogos contra o Cachorrão não foram pagos.

Com o refugo do grupo de investidores, talvez a única saída do São Caetano seja recorrer a Saul Klein. Tudo indica que o empresário desistiu de investir no clube, como fazia desde o início dos anos 2000, também por não concordar com a gestão de Nairo Ferreira de Souza. Filho de Samuel Klein, fundador da Casas Bahia, ele até estaria disposto a reconsiderar a decisão, mas com uma condição: que Nairo se afaste da presidência.

Nesta queda de braço, quem perde é o São Caetano, que dentro de campo está fazendo o que se espera do time que mais investiu na Copa Paulista. Chegou à final com a melhor campanha e com o direito de decidir em casa. Apenas espero que o reflexo da bagunça que acometeu a parte administrativa não chegue ao campo de jogo e que o técnico Marcelo Vilar consiga administrar os problemas, principalmente os salários atrasados.

PROVOCAÇÃO
As redes sociais evidenciaram algo que há muito tempo se percebia no futebol profissional de São Bernardo. Com o ressurgimento do Cachorrão e a queda repentina do Tigre, os clubes passaram a lutar pelo mesmo espaço, mas sempre prevaleceu o respeito entre as diretorias, pelo menos até o fim de semana.

Assim que o EC São Bernardo foi eliminado pelo São Caetano na Copa Paulista, o Tigre postou em seu perfil oficial no Facebook imagem se reafirmando como o único time da cidade campeão do torneio, lembrando o título de 2013. Até aí, faz parte da rivalidade que está surgindo entre as equipes. Mas nos comentários a página passou a retrucar seus próprios torcedores, que pediram respeito ao rival e cansou de lembrar que em 91 anos de história o Cachorrão ainda não conquistou títulos. Em um dos posts, o perfil deixou a entender que existe desvio de dinheiro no rival: “Aluguéis que se fossem usados no futebol fariam do Esporte (Clube São Bernardo) um grande clube”. Até o presidente Edinho Montemor entrou na discussão e também mostrou desconfiança sobre as finanças alheias. “Você deveria se informar melhor porque o Esporte Clube ainda está em atividade. Se é por amor ao futebol ou...”

Quem me conhece sabe que sou contra o ‘mimimi’ e adoro provocações sadias entre rivais. Falta isso no futebol moderno. Mas é preciso dosar para que a brincadeira não extrapole os limites do respeito. Não é interessante para ninguém que haja conflito entre os dois times de São Bernardo. Pelo contrário. Um deve servir de motivação ao outro para que cresçam juntos.

ADEUS, CARILLE
Não conheço um só torcedor do Corinthians que gostaria que Fábio Carille permanecesse. Ficou muito claro na goleada por 4 a 1 para o Flamengo que ele perdeu o comando. Perdeu o pouco do respeito que restava na entrevista coletiva que deu na sexta-feira, na qual praticamente se retirou do problema e jogou tudo nas costas dos jogadores. O treinador campeão brasileiro e tri do paulista pelo Timão enterrou parte da sua reputação.

Agora o Corinthians está em sinuca. Briga por vaga na primeira fase da Libertadores, ainda mais se o Athletico-PR, campeão da Copa do Brasil, estiver entre os seis primeiros e o Flamengo conquistar o torneio continental, dia 23, contra o River Plate. O G-6 se transformaria em G-8. Diante disso, não dá para jogar fora a chance e esperar até 2020 para contar com Tiago Nunes, treinador do Furacão e único nome na lista. Caso ele não possa vir agora, o jeito é buscar um técnico tampão que possa recolocar o time nos trilhos e tentar conquistar a vaga. Odair Hellmann, demitido após quase dois anos no Inter, me parece boa aposta.

PALPITÃO DO FATTORI
Direto e reto vamos aos chutes da semana. Brasileirão – Rodada 31: Corinthians 1 x 0 Fortaleza, Avaí 0 x 3 Santos, Vasco 1 x 2 Palmeiras e São Paulo 2 x 0 Fluminense. Rodada 32: Goiás 0 x 1 Santos, Palmeiras 3 x 0 Corinthians e São Paulo 1 x 2 Athletico-PR. Copa Paulista: XV de Piracicaba 0 x 0 São Caetano. 

Comentários


Veja Também


Investidores desistem do São Caetano

Azedou a primeira tentativa do São Caetano em encontrar um substituto para Saul Klein, antigo mecenas do time. Lucas Moraes, que chegou com status de braço direito do presidente Nairo Ferreira de Souza e capitaneava grupo que estava disposto a investir na agremiação, desistiu diante das inúmeras ...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar