Economia

Maioria das Bolsas da Europa fecha em alta com apetite por risco, mas Lisboa cai


A maioria dos índices acionários de referência na Europa fechou em alta nesta sexta-feira - a exceção foi Lisboa -, em meio ao apetite ao risco no exterior, com a geração de postos de trabalho em outubro nos Estados Unidos maior do que o esperado e dados industriais positivos no Reino Unido e na China.

O índice pan-europeu Stoxx 600 teve alta de 0,38%, aos 389,30 pontos, com queda semanal de 0,22%.

Em outubro, os Estados Unidos criaram 128 mil empregos, segundo dados com ajustes sazonais divulgados pelo Departamento do Trabalho. O payroll, como é conhecido, veio acima das projeções do mercado e apoiou ativos de risco no exterior. Mais cedo, os mercados internacionais já haviam reagido positivamente ao índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial da China, que subiu de 51,4 em setembro para 51,7 em outubro, maior leitura desde fevereiro de 2017.

O PMI do setor industrial do Reino Unido, que subiu de 48,3 em setembro para 49,6 em outubro, o maior nível em seis meses, também foi considerado positivo, apesar de a leitura abaixo de 50 indicar que o setor manufatureiro britânico continua em contração. Em Londres, o índice FTSE-100 avançou 0,75%, aos 7.302,42, mas teve queda semanal de 0,30%, na semana em que o Brexit, a saída do Reino Unido da União Europeia, foi adiado por três meses. A mineradora Rio Tinto fechou em alta 3,84%, a Anglo American subiu 3,12% e a BHP Group ganhou 2,36%.

Na bolsa de Frankfurt, o índice DAX fechou com ganho de 0,73%, aos 12.961,05, com alta semanal de 0,52%. Entre as empresas listadas na bolsa alemã, o Deutsche Bank avançou 1,56% e a Volkswagen subiu 1,17%.

Em Paris, o índice CAC-40 teve alta de 0,56%, aos 5.761,89 pontos, com avanço semanal de 0,69%. A Peugeot subiu 2,91% e a Renault ganhou 2,11%.

O índice FTSE-MIB, da bolsa de Milão, fechou em alta de 1,06%, aos 22.934,32, com ganho semanal de 1,44%, após o crescimento de 0,2% do Produto Interno Bruto (PIB) da Itália no terceiro trimestre e o anúncio da fusão entre a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) e o grupo PSA. Intesa Sanpaolo subiu 1,20% e Atlantia avançou 3,25%.

Em Madri, o índice IBEX-35 fechou com ganho de 0,76%, aos 9.328,00 pontos, mas registrou queda semanal de 1,08%. Santander avançou 0,45% e Telefonica teve alta de 0,57%.

Em Lisboa, o PSI-20 caiu 0,07%, aos 5.115,90 pontos, mas teve alta semanal de 0,50%. EDP Renováveis caiu 1,37%, mas Banco Comercial subiu 0,05%.

Comentários


Veja Também


Maioria das Bolsas da Europa fecha em alta com apetite por risco, mas Lisboa cai

A maioria dos índices acionários de referência na Europa fechou em alta nesta sexta-feira - a exceção foi Lisboa -, em meio ao apetite ao risco no exterior, com a geração de postos de trabalho em outubro nos Estados Unidos maior do que o esperado e dados industriais positivos no Reino Unido e na ...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar