Confidencial

Azulão pode barrar conselho do Paulistão


A vaga da discórdia na elite do Campeonato Paulista, que surgiu com a compra do Bragantino pelo Red Bull, pode estar longe de um desfecho. Apesar de o Água Santa, terceiro colocado da Série A-2, ter recebido convite para participar do conselho técnico que acontece hoje, às 11h, na sede da Federação, na Barra Funda, movimentações nos bastidores dão conta de que o São Caetano, penúltimo colocado e rebaixado à Segunda Divisão, pode apresentar recurso de última hora e tentar, na Justiça, liminar para impedir a realização da reunião.

As informações são peças de grande quebra-cabeça. Uma delas é o estranho pedido de afastamento do presidente Nairo Ferreira de Souza, que entregou carta ao conselho deliberativo, mas continua mandando no São Caetano. Seria estratégia jurídica, já que o dirigente havia se manifestado, inclusive para mim, em reportagem veiculada neste Diário, que achava correto que o terceiro colocado da Série A-2 herdasse a vaga. Reforça essa possibilidade o fato de a Federação Paulista não ter oficializado o Água Santa na Série A-1, não houve um comunicado, uma nota, absolutamente nada público, talvez com receio de dar armas jurídicas aos dirigentes azulinos. Por fim, o presidente do Netuno, Paulo Korek, também preferiu não se manifestar publicamente sobre o assunto antes do encontro de hoje, mostrou nítido receio, já que tudo está ainda um tanto quanto nebuloso.

O São Caetano não seria o único clube disposto a impedir a realização do conselho técnico, que oficialmente serve para balizar a competição, seus participantes e divulgar grupos e regulamento. O Barretos entregou carta aos jornalistas de olho na remontagem das divisões após a compra do Bragantino pelo Red Bull. A diretoria do Touro tem interpretação coerente. O time de Campinas, como indica a Federação Paulista, seria rebaixado para a Série A-2, já que o mesmo grupo não pode gerir duas equipes no mesmo nível estadual. Acontece que a própria entidade trata as Séries A-1, A-2 e A-3 como partes da Primeira Divisão. Desta forma, o Red Bull deveria, segundo entende os barretenses, ser rebaixado à Segunda Divisão, que equivale ao quarto nível estadual. Com isso, o Barretos, terceiro colocado da Série A-3, herdaria a vaga do Água Santa, promovido à elite. Por consequência, o Inter de Bebedouro, terceiro da Segunda Divisão de 2019, teria direto de disputar a Série A-3.

Justamente essa dança de vagas que a Federação Paulista queria evitar. Basta o constrangimento de ver na sua principal divisão um time comprar o lugar do outro, equipes acessarem o tão valorizado Paulistão sem ser pelo desempenho em campo. Talvez por isso, pela vergonha de ter de chancelar algo que não compactua, a entidade não tenha se pronunciado oficialmente. Mas a falta de transparência na condução deste delicado assunto pode desaguar no conselho técnico de hoje e no das Séries A-2 e A-3, que acontecem amanhã.
Independentemente de liminar, será necessário trazer mais clareza ao regulamento na questão de compra de vaga, já que com cada vez mais clubes-empresas no futebol me parece ser uma tendência. Além disso, é ótima oportunidade para a Federação Paulista renomear e organizar suas competições, denominando claramente como primeira, segunda, terceira e quarta divisões. As nomenclaturas A-1, A-2, A-3 e Segunda Divisão causam enorme confusão e dão margem a interpretações como a do Barretos. Não concordo, claro, que um time suba no chamado tapetão, mas o que está escrito é preciso ser cumprido e, neste caso, os regulamentos não são nada esclarecedores.

TIGRE NA DÚVIDA
Conversei com o presidente do São Bernardo FC, Edinho Montemor, e ele deixou claro que não sabe se vai repetir a fórmula usada nesta temporada, ou seja, buscar um parceiro para montar a equipe que vai disputar a Série A-2 em 2020, ou se o Tigre vai tocar sua vida por conta própria. A primeira opção, apesar de ser mais tranquila porque divide a responsabilidade com o parceiro, neste ano quase levou o clube ao rebaixamento – se salvou com gol na última rodada. Mas o clube, bancar sozinho a competição, mal das pernas financeiramente e ainda tendo que começar do zero, também não é nada confortável.

Independentemente da escolha, ela precisa ser feita rapidamente, porque a Série A-2 deve começar no fim de janeiro, ou seja, novembro é o mês em que deveria iniciar a preparação da equipe. No caso do São Bernardo, até a diretoria está desfalcada, já que Edgard Montemor, filho do presidente, deixou o cargo de diretor de futebol. Desse jeito, as perspectivas para o futuro não são nada animadoras.

PALPITÃO DO FATTORI
O clima de decisão toma conta do futebol brasileiro, sobretudo pela briga por vaga na final da Libertadores. Após empate por 1 a 1 na ida, em Porto Alegre, Flamengo e Grêmio voltam a jogar amanhã, no Maracanã. Em melhor momento que o adversário, aposto todas as fichas nos cariocas: 2 a 0. Vamos aos outros chutes da semana. Brasileirão: Corinthians 0 x 2 Santos, São Paulo 1 x 0 Atlético-MG, Avaí 0 x 2 Palmeiras. Copa Paulista: EC São Bernardo 1 x 1 São Caetano. 

Comentários


Veja Também


Azulão pode barrar conselho do Paulistão

A vaga da discórdia na elite do Campeonato Paulista, que surgiu com a compra do Bragantino pelo Red Bull, pode estar longe de um desfecho. Apesar de o Água Santa, terceiro colocado da Série A-2, ter recebido convite para participar do conselho técnico que acontece hoje, às 11h, na sede da Federaç...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar