Setecidades

Estudantes abordam educação e acessibilidade em concurso


 No 13° Desafio de Redação, os alunos da EE Riolando Cano, na Vila Conceição, em Diadema, abordaram as necessidades de melhoria em segurança, educação e acessibilidade, ao refletir sobre o tema proposto A Região Que Eu Quero em 2030. O concurso literário é realizado pelo Diário e pela USCS (Universidade Municipal de São Caetano).

Estudante do 2° ano do ensino médio, Giovanna Luiza de Moraes, 16 anos, afirmou que encontrou dificuldades em pensar em 2030 pela distância temporal superior a dez anos, mas que ao pensar a fundo sobre a temática, considerou importante destacar a necessidade de tornar a cidade mais respeitosa e acolhedora para idosos e crianças. “A gente vê que existe descaso com essas populações e é preciso investir na acessibilidade”, pontuou a aluna, que pretende se formar em arquitetura. “De certa forma, o desafio me ajuda a elaborar também sobre meu futuro profissional”, concluiu. Para Emilly Amorim de Oliveira, 16, o mais importante é investir em educação e tornar as escolas mais atrativas para os alunos. “É preciso pensar em coisas que nos motivem”, justificou.

O concurso literário é patrocinado pelo Cemitério Vale dos Pinheirais, de Mauá, e tem apoio institucional do Saesa (Sistema de Água, Esgoto e Saneamento Ambiental) de São Caetano.

Comentários


Veja Também


Estudantes abordam educação e acessibilidade em concurso

 No 13° Desafio de Redação, os alunos da EE Riolando Cano, na Vila Conceição, em Diadema, abordaram as necessidades de melhoria em segurança, educação e acessibilidade, ao refletir sobre o tema proposto A Região Que Eu Quero em 2030. O concurso literário é realizado pelo Diário e pe...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar