Palavra do Leitor

O desafio do magistério no Brasil


Na próxima década, mais de 60% dos professores em atividade no Brasil poderão se aposentar. A mudança demográfica que está em curso no País demanda nova forma de pensar a carreira na educação. A análise Como melhorar a educação? – do Instituto Alfa e Beto – aponta que o desafio do magistério no Brasil não reside unicamente no currículo dos cursos de formação ou nos salários; o impasse está em criar novas e atraentes carreiras para os recém-formados, o que inclui mecanismos para que esse profissional tenha acesso a diferentes maneiras de continuar aprendendo. E aprender é demanda clara entre os professores, sobretudo os mais jovens. 

Quando pensamos em como tornar a profissão atraente para os jovens brasileiros, podemos buscar inspiração em países com reconhecida qualidade na educação. No Chile, há 20 anos a carreira é pensada de maneira coordenada: da atração de jovens profissionais ao desenho da carreira; eles empreendem, inclusive, políticas para atrair os alunos do ensino médio que têm melhor desempenho.

Não tenho dúvida de que o professor é a chave para a melhoria da qualidade da educação em qualquer país. Jonah Rockoff, John Friedmane e Raj Chetty, professores da Universidade de Harvard, empreenderam pesquisa sobre educação, mobilidade social e desigualdade para investigar qual seria o mecanismo para que crianças vulneráveis possam ter melhores perspectivas na vida adulta. O estudo mostrou que alunos expostos a bons professores na infância e na adolescência tiveram aumento na chance de cursar boas universidades; de terem melhores salários. 

Acredito que as escolas precisam rever os modelos de aprendizagem. Ao tornar a aprendizagem mais atraente para estudantes, criamos a oportunidade de fazer o mesmo com a profissão do professor. Na medida em que os estudantes de hoje veem a possibilidade de pensar o processo de aprendizagem à luz das inovações tecnológicas, a carreira ganha novas cores e desafios. Se o modelo tradicional não traz o engajamento do estudante no processo de aprendizagem, como ele vai engajar a escolha pela docência? 

Hoje, há algumas funções na profissão do professor que são pouco divulgadas: a de designer pedagógico, por exemplo, que pensa nas experiências de aprendizagem da mesma forma que designer. Em suma, o papel do professor é desenhar a melhor experiência para que determinado grupo de alunos consiga aprender o que precisa. Pessoalmente, acho isso inspirador, pois traz nova dimensão para esse professor do século XXI. Para melhorar a educação no Brasil, temos que apoiar os docentes e inspirar jovens estudantes a pensar no magistério como alternativa de carreira. 

Claudio Sassaki é mestre em educação pela Stanford University e cofundador da empresa Geekie. 

Dia do Professor – 1

Parabéns a todos os professores do Grande ABC, do Estado e do Brasil. São os formadores dos seres humanos. Devo muito aos mestres que passaram pela Escola Estadual Professor José do Prado Silveira, na Vila Sacadura Cabral, em Santo André: Lourdes, de português; Cecília, ciências; Rosângela e Leila, educação artística, Dahir e Fátima, geografia; Célia e Zilneide, matemática; Zuleica, educação moral e cívica; Lourival, história; Célia, inspetora de alunos, e tantos outros que este espaço seria pequeno para demonstrar toda a minha gratidão. Parabéns às minhas irmãs Ivone e Iraci, hoje professoras. Para esses profissionais, que nos ensinam muito mais do que teorias, que nos preparam também para a vida, todo o meu carinho. Amei tê-los conhecido. 

Ivete Lacerda

Santo André

Dia do Professor – 2

Homenageio a todas(os) professores(as) pelo seu dia, na pessoa de Débora Garofalo, da rede municipal, finalista do Nobel da Educação, entre os dez melhores professores do mundo!

Tânia Tavares

Capital

Dia do Professor – 3

Hoje é a data em que se comemora o Dia dos Professores. Mas a categoria foi desprestigiada e desrespeitada nos últimos governos, que hoje quase ninguém se lembra dos mestres que levaram homens e mulheres a chegar onde estão. Tal fato é tão real que cursos para formar professores estão esvaziados. É uma das mais belas profissões quando se leva em conta a transformação do ser humano ao aprender a ler e a escrever. O desprezo pela profissão é geral no País. Levando-se em conta o Estado de São Paulo, o mais rico e desenvolvido, o último reajuste da classe foi de 7%, em 2013. Nos últimos seis anos, os planos de saúde, por exemplo, acumulam aumento de cerca de 300% e os reajustes dos professores, zero. Certamente há algo errado neste País. Os professores podem ter esperança? Responda por São Paulo. governador Doria.

Izabel Avallone

Capital

Rua Santiago

No caso das árvores da Rua Santiago, no bairro Assunção, em São Bernardo, se as covas fossem mais profundas talvez as raízes não estivessem crescendo e danificando calçadas e moradias (Setecidades, dia 9). Hoje em dia é comum o poder público lançar campanhas de reflorestamentos, plantando centenas de mudas em ato pomposo. Depois tudo fica no esquecimento e, as mudas, abandonadas, não recebendo cuidado com água, proteção contra depredadores e os que toda planta requer. Portanto, não acredito que se a Prefeitura remover as árvores citadas na reportagem e trocá-las por outras mudas o problema será solucionado. Entendo que os moradores até poderiam ingressar com ações na Justiça contra a Prefeitura, exigindo reparo pelos danos causados a seus imóveis.

Arlindo Ligeirinho Ribeiro

Diadema

Legal e ilegal

Lula é presidiário sui-generis (sem semelhança com nenhum outro). Foi legalmente preso e é ilegalmente privilegiado, mas se diz inocente ilegalmente preso.

Humberto Schuwartz Soares

Vila Velha (ES)

Auricchio

Sempre admirei o jeito de governar do prefeito José Auricchio Júnior, de São Caetano, pois, na minha opinião, ele tem olhar mais humano, ‘cuida’ da cidade, focando sua administração nas áreas da educação e da saúde, sem se esquece dos demais setores. Prova disso são os índices escolares que a cidade alcança a cada ano. E os investimentos não param! Porém, ao ler a opinião do mesmo a respeito de Bolsonaro (Política, ontem), nesses dez meses de governo, minha admiração só aumentou, pois traduziu em poucas palavras o que pensam muitos brasileiros.


Thiago Scarabelli Sangregorio

São Bernardo

Resposta

Em relação aos apontamentos feitos pela leitora Ana Maria Gaiotto Mauro (Cassiano Ricardo, ontem), a Prefeitura de São Bernardo informa, por meio da Secretaria de Segurança Urbana, que a segurança escolar é prioridade nas ações executadas pela GCM (Guarda Civil Municipal). As rondas são feitas durante todo o período letivo, em especial nos horários de entrada e saída dos alunos, a fim de assegurar a segurança da comunidade escolar e do patrimônio. Importante ressaltar que as escolas do município contam também com sistema de monitoramento por câmeras, fortalecendo a prevenção da criminalidade. Referente à Emeb Cassiano Ricardo, a administração municipal destaca que reforçou a segurança escolar da unidade.

Prefeitura de São Bernardo

As cartas para esta seção devem ser encaminhadas pelos Correios (Rua Catequese, 562, bairro Jardim, Santo André, CEP 09090-900) ou por e-mail (palavradoleitor@dgabc.com.br). Necessário que sejam indicados nome e endereço completos e telefone para contato. Não serão publicadas ofensas pessoais. Os assuntos devem versar sobre temas abordados pelo jornal. O Diário se reserva o direito de publicar somente trechos dos textos.

Comentários


Veja Também


O desafio do magistério no Brasil

Na próxima década, mais de 60% dos professores em atividade no Brasil poderão se aposentar. A mudança demográfica que está em curso no País demanda nova forma de pensar a carreira na educação. A análise Como melhorar a educação? – do Instituto Alfa e Beto – aponta que o desafio do magistério no B...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar