Palavra do Leitor

Faculdade de Medicina do ABC: 50 anos


Os 50 anos da FMABC (Faculdade de Medicina do ABC) não representam apenas a comemoração por mera passagem temporal. Representam, sim, período histórico dos mais importantes para a trajetória da medicina e da saúde pública da nossa região e do País. Criada no período dos governos militares, em 1969, juntamente com outras instituições de ensino médico, tinha o claro objetivo de aumentar o número de médicos fora dos grandes centros. Para seu nascimento, contou com as três prefeituras do Grande ABC, que, de forma equânime, criaram a Fundação do ABC, aproximadamente dois anos antes, como instituição mantenedora da nova escola médica. A preocupação com a qualidade sempre esteve presente. Pela proximidade da Capital, a FMABC conseguiu trazer, logo no início, corpo docente de altíssimo nível, na sua maioria, oriundo dos tradicionais centros médicos acadêmicos paulistanos.

No entanto, sua trajetória inicial não teve facilidades. Com a carência de estrutura física à sua altura, sofreu inúmeras greves e, algumas vezes, por insensibilidade dos governantes da época, quase foi fechada, o que teria sido trágico para o Grande ABC e para o ensino médico paulista e brasileiro. Somente na década de 1990, por esforços conjuntos de seu corpo discente, docente, dirigentes, governos locais e sociedade civil conseguiu-se com o governador Mário Covas o término de obra parada havia mais de dez anos, o Hospital Estadual do ABC – que veio a receber o nome do próprio governador. Nessa mesma época, governo do Estado introduziu novo modelo de gestão na saúde pública por meio das OSSs (Organizações Sociais de Saúde). Assim, transformação da Fundação do ABC em OSS, somada à gestão do Hospital Mário Covas e outros equipamentos públicos do Grande ABC como braços acadêmicos da Faculdade, delimita nova era para a educação e atenção em saúde, com notável crescimento do espaço de ensino, ampliação de vagas de residência médica e desenvolvimento de centro de pesquisa. A conquista de bons indicadores de avaliação consolidou a FMABC como uma das melhores escolas médicas do País.

Sua história marca evolução fundamental para ensino, pesquisa e serviços à população da região. Nós, de São Caetano, nos orgulhamos em sermos seus instituidores e mantenedores. Sinto-me honrado por trazê-la, desde nossa primeira gestão iniciada em 2005, como parceira estratégica na saúde da cidade. Eu, de forma particular, ainda carrego orgulho e carinho especiais pela instituição onde me formei e onde, em seus bancos, aprendi não só a ser médico, mas, fundamentalmente, o sentimento de amar e servir ao próximo. Seguramente, o melhor período de formação da minha vida. Parabéns e vida longa à FMABC.

José Auricchio Júnior é médico e prefeito de São Caetano.

Asfalto

Solicito providências referentes ao asfalto da Avenida Faria Lima, no Centro de São Bernardo, que se encontra totalmente estourado. A população quer recapeamento geral, e não somente que se fique tampando buracos, como vem fazendo a Prefeitura e, por sinal, malfeito. Que também seja feito recapeamento na Rua Jurubatuba, também no Centro, que está em péssimo estado de conservação, totalmente esburacada.

João Batista da Silva

São Bernardo

Fake news

Alguns ‘bolsominions’, seguidores fanáticos do ‘biroliro’ Bolsonaro, andam compartilhando em redes sociais que, devido às expectativas neste governo, supostas 700 empresas japonesas querem investir no Brasil impulsionadas pelas promessas de reformas na Previdência e tributária. Pois bem, semana passada a embaixada do Japão no Brasil disse que essa informação é mentirosa, que 700 é o número de companhias do país asiático em terras brasileiras, já estão aqui há um bom tempo. Pior, o embaixador japonês no Brasil, Akira Yamada, disse que esse índice não cresce já faz cinco anos. Nenhuma novidade, apenas mais uma fake news, o que foi, é e sempre será a tônica deste presidente e seus insistentes bajuladores.

Irênio Tavares

Mauá

Conselho

Em relação à reportagem sobre a eleição de conselheiros tutelares no Grande ABC (Setecidades, dia 8), precisava ficarem esclarecidas algumas dúvidas, tais como, por que não há ampla divulgação da eleição? Sim, porque menos de 4% do eleitorado compareceu. Por que candidatos geralmente são ligados a grupos de igrejas e parentes de políticos? Qual o salário do conselheiro? Sim, porque é muita procura! O que faz o conselheiro tutelar? Conselho tutelar não seria grande cabide de empregos? Em minha Rio Grande eu nem sabia que existia Conselho Tutelar.

Osiel Tibério Gualdabem

Rio Grande da Serra

Briga

Semana passada, o deputado Delegado Waldir, líder do partido de Bolsonaro na Câmara Federal, o PSL, retrucou o presidente da República – que havia dito que o mandatário da sigla, Luciano Bivar, do Pernambuco, está ‘queimado para caramba’ –, afirmando que ‘como você fala mal do quintal alheio se o seu quintal está sujo. Candidaturas em Minas Gerais e Pernambuco estão sendo investigadas (Política, dia 9). Mas o filho do presidente também’, lembrando o caso de Fabrício Queiroz. E que Bolsonaro ‘tem liberdade para trocar de partido quando quiser’. É pôr lenha na fogueira em que está o Brasil e confirmar mais uma vez que a família do chefe da Nação está atolada em falcatruas. Trata-se de briga dentro da própria casa, entre dois ferozes inconsequentes, cujos efeitos atingem em cheio a situação do País, que não tem a atenção necessária do presidente, preocupado apenas com picuinhas. O País não anda, não volta a crescer, não há combate ao desemprego, à corrupção, enfim, até quando Bolsonaro vai brincar de ser presidente? 

Nice do Carmo Veras

Mauá

Cassiano Ricardo

Em plena semana da criança, constatei que não há segurança nas Emebs (Escolas Municipais de Educação Básica) de São Bernardo. Estão ocorrendo vários roubos de carros e celulares em frente às escolas, na entrada e na saída dos alunos. Dia 10, minha nora foi levar meu neto, de 4 anos, na Emeb Cassiano Ricardo, no Jardim Vera Cruz, e foi abordada por marginais armados, que levaram seu carro. Infelizmente não é caso isolado. A diretoria da escola informou que já havia pedido viaturas policiais para a Prefeitura, mas não foi atendida. Tenho observado nos noticiários que o número de roubos aumentou no município. Espero que o nosso prefeito tome as providências cabíveis o mais breve possível, para que a nossa cidade não fique em primeiro lugar no ranking da criminalidade.

Ana Maria Gaiotto Mauro

São Bernardo

Árvores

É simplesmente uma vergonha a Prefeitura de São Bernardo demorar sete anos para remover árvores cujas raízes estão danificando calçadas e imóveis na Rua Santiago, no bairro Assunção, conforme reportagem da jornalista Aline Melo (Setecidades, dia 9). É incrível que uma prefeitura tão rica como a de São Bernardo não disponha de equipe disponível para fazer a remoção. O mais absurdo é a nota oficial do Executivo são-bernardense reconhecendo que, conforme laudo técnico, foi constatado que as referidas árvores causaram danos de grandes proporções ao passeio público (omite os danos aos imóveis) e prometendo a remoção das árvores para dentro de até 20 dias úteis. É preciso que moradores tenham conhecimento de que o plantio dessas espécies de árvores foi feito sem nenhuma avaliação técnica no tocante ao terreno e às árvores. 

Arlindo Ligeirinho Ribeiro

Diadema

Azulão

Em relação ao afastamento de Nairo Ferreira de Souza da presidência do São Caetano (Esportes, dia 9), o Ministério Público precisa se posicionar e verificar se as denúncias de desvios de recursos apontados por Saul Klein – filho de Samuel Klein, fundador da Casas Bahia – são verdadeiras. Se forem, caso gravíssimo em clube da região e que precisa de punição exemplar, haja vista que Nairo está à frente do Azulão desde a fundação, há mais de 30 anos. Assim, não devem ser tão recentes esses desvios. Sobre o futebol, será ótimo que Samuel assuma o comando do Azulão, pois haverá injeção de recursos no clube, que poderá voltar aos velhos e bons tempos de brigar por títulos e não somente figurar em divisões inferiores.

Thiago dos Santos

São Caetano


As cartas para esta seção devem ser encaminhadas pelos Correios (Rua Catequese, 562, bairro Jardim, Santo André, CEP 09090-900) ou por e-mail (palavradoleitor@dgabc.com.br). Necessário que sejam indicados nome e endereço completos e telefone para contato. Não serão publicadas ofensas pessoais. Os assuntos devem versar sobre temas abordados pelo jornal. O Diário se reserva o direito de publicar somente trechos dos textos.

Comentários


Veja Também


Faculdade de Medicina do ABC: 50 anos

Os 50 anos da FMABC (Faculdade de Medicina do ABC) não representam apenas a comemoração por mera passagem temporal. Representam, sim, período histórico dos mais importantes para a trajetória da medicina e da saúde pública da nossa região e do País. Criada no período dos governos militares, em 196...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar