Política

Corpo de Ramon Ramos seguiu em cortejo até cemitério no carro de Corpo de Bombeiros


Atualizada às 17h

Após velório nas dependências do Legislativo de São Bernardo, o corpo do presidente da Câmara, o vereador Ramon Ramos (PDT), foi levado, sob aplausos, em carro aberto dos bombeiros para ser enterrado no Cemitério da Paulicéia. No caixão, as bandeiras do munícipio e também do time de futebol de várzea Nacional da Vila Vivaldi. A classe política do Grande ABC mostrou tristeza com a morte do parlamentar. O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), decretou luto oficial por três dias.

Ramon Ramos morreu vítima de acidente de carro na manhã deste domingo (6). Ele tinha 43 anos, estava no terceiro mandato como vereador da cidade e no primeiro à frente do Legislativo. O acidente aconteceu por volta das 7h, na altura do número 2.700 da Avenida Caminho do Mar, no Rudge Ramos, onde morava o pedetista. O Volkswagen Jetta colidiu com uma árvore em frente ao colégio Harmonia, no sentido Centro. Ramon morreu no local.

Ele estava sozinho no veículo. A velocidade máxima da via é de 50 km/h. Porém, no local da colisão, há uma lombofaixa, instalada para passagem dos alunos da instituição de ensino, e o limite cai para 40 km/h. Testemunha disse aos policiais que o político perdeu o controle do carro justamente ao passar pela faixa elevada.

Ramon era natural de São Bernardo, bacharel em Direito e juiz de paz. Sua atuação começou na Vila Vivaldi, como presidente da associação de moradores do bairro e conselheiro da UBS (Unidade Básica de Saúde) Rudge Ramos. Também trabalhou na Secretaria de Serviços Urbanos.

Elegeu-se vereador pela primeira vez em 2008, pelo DEM, com 3.594 votos – em 2004, concorreu a uma cadeira na Câmara, obteve 825 votos e ficou como suplente. Dois anos depois, teve o mandato cassado pela Justiça Eleitoral devido a um processo relacionado à acusação de porte ilegal de arma – ele prestou serviços comunitários até maio de 2010 como parte da sentença aplicada.

Em 2012, pelo PDT, retornou ao Legislativo, ao conquistar 3.196 votos. Foi nesta legislatura que sua atuação política ganhou destaque. Ele se tornou um dos principais nomes da base de sustentação do então prefeito Luiz Marinho (PT). Foi figura central na campanha a deputado estadual de Luiz Fernando Teixeira (PT) em 2014. Ao se reeleger em 2016, com 4.149 votos, virou um dos principais personagens da política são-bernardense.

Foto: Divulgação

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com a eleição de Morando ao Paço, foi convidado pelo prefeito a ser líder do governo na casa. Ficou na função até dezembro de 2018, quando lançou candidatura para presidir o Parlamento. Venceu com 27 dos 28 votos possíveis. E se cacifou para voos maiores. Seu nome estava na lista de cotados para ser vice de Morando na eleição do ano que vem. Ramon deixa dois filhos, um rapaz de 21 anos e uma menina de 9.

O vice-presidente da Câmara é Toninho Tavares (PSDB), que deve assumir a direção da casa a partir desta segunda-feira. O mandato será ocupado por Roberto Palhinha (Avante), primeiro suplente da coligação PDT-Avante-PSL-PTC, de 2016. 

Comentários


Veja Também


Corpo de Ramon Ramos seguiu em cortejo até cemitério no carro de Corpo de Bombeiros

Atualizada às 17h

Após velório nas dependências do Legislativo de São Bernardo, o corpo do presidente da Câmara, o vereador Ramon Ramos (PDT), foi levado, sob aplausos, em carro aberto dos bombeiros para ser enterrado no Cemitério da Paulicéia. No caixão, as bandeiras do muníci...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar