Social

Empreender é preciso


  Teve um tempo em que Arnaldo Hirato, 70 anos, não se sentia bem, teve depressão. Mas sua mulher, Vilma Hirata, 56, pensou em ideia que mudou tudo. Eles, que moram na divisa com Diadema, começaram a trabalhar com reciclagem de jeans. “Era berçarista e deixei o emprego para ficar com dele. Vamos aos domingos na feira de Embudas Artes”, comenta Vilma. As peças – bolsas, aventais – também estarão no 13º Salão do Artesanato, de 9 a 13 de outubro no Pavilhão da Bienal, em São Paulo. “Percebemos o despedício do tecido e apostamos. É rentável e todos gostam.” O casal produz, por mês, 80 peças. Os filhos Bruno e Natália ajudam .Tudo lindo. Principalmente a união da família.

Veja mais noticias da nossa coluna:

Na Semana...

? Hoje, às 9h, a Secretaria de Assistência Social e Cidadania vai promover sua 12º conferência municipal na Avenida Francisco Monteiro, 331, em São Caetano.

? Hoje, às 19h, tem palestra com o empresário Geraldo Rufino, na Estação Leopoldina, em São Bernardo.

? Hoje, a partir das 14h30, e amanhã, a partir das 8h, a Direito São Bernardo realiza seu 3º Congresso Internacional.

? Amanhã até sábado vai acontecer a 2ª Semana de Arte, Cultura e Tecnologia da UFABC de Santo André.

? Na sexta, às 9h, Ribeirão Pires terá a Caminhada contra o Câncer, pela Vida, no Complexo Ayrton Senna.

? No domingo, às 9h, acontece a 12ª Cãominhada, com saída da Acisa.

? No domingo, às 9h, vai ter a 7ª Caminhada Outubro Rosa, no Parque Chico Mendes, em São Caetano. 

Que show!

 Astrobiologia é o estudo da origem, evolução, distribuição e futuro da vida no universo. O tema inspirou alunos da Escola Municipal Ensino Especial Olga Benário a se apresentarem hoje, às 14h, no Shopping Praça da Moça, em Diadema. Em parceria com o Instituto Cultural Matéria Rima, 60 alunos ouvintes cantarão e os 40 surdos vão interpretar a canção pela Linguagem Brasileira de Sinais, Libras. 

Comentários


Veja Também


Empreender é preciso

  Teve um tempo em que Arnaldo Hirato, 70 anos, não se sentia bem, teve depressão. Mas sua mulher, Vilma Hirata, 56, pensou em ideia que mudou tudo. Eles, que moram na divisa com Diadema, começaram a trabalhar com reciclagem de jeans. “Era berçarista e deixei o emprego para ficar com dele. V...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar