Palavra do Leitor

Dia do Idoso: data para reflexão


Hoje, 1º de outubro, é comemorado o Dia Internacional da Pessoa Idosa. A data foi escolhida pela Organização das Nações Unidas para homenagear as pessoas de mais idade e incentivar a conscientização da sociedade sobre as suas necessidades. No Brasil, que já contabiliza 15 milhões de pessoas idosas, essa data é ainda mais representativa, uma vez que marca a promulgação da Lei Federal número 10.741/2003, conhecida como Estatuto do Idoso.

Até 2060, o percentual de pessoal com mais de 65 anos será de 25,5% da população, considerando, assim, um em cada quatro brasileiros sendo idoso, segundo pesquisas do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Fato é que o envelhecimento é fenômeno natural e característica inerente ao ser humano. O Estatuto do Idoso destaca-se como grande marco no Brasil, na medida em que estabelece a obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Estado de assegurar à pessoa idosa a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária.

De forma inédita, o documento consagra os princípios da proteção integral e da prioridade absoluta às pessoas idosas, regulando direitos específicos a esse grupo. Pela primeira vez, a negligência, a discriminação, a violência, os atos de crueldade e a opressão contra o idoso são criminalizados, sendo hoje passíveis de punição bastante rigorosa. O destacável estatuto deu maior visibilidade a essa parcela, às vezes esquecida, da população, assim como também aumentou o conhecimento e a percepção dos próprios idosos sobre seus direitos.

É certo que o documento representa avanço considerável na proteção jurídica das pessoas de mais idade. Contudo, é fundamental que todas elas, assim como seus familiares e toda a sociedade, estejam cientes sobre os papéis que devem desempenhar.

Neste mês é importante comemorar os avanços alcançados até então, mas também é fundamental reforçar a importância do respeito e da proteção a essa parcela da população tão valiosa, mas, ao mesmo tempo, tão vulnerável. Acima de tudo, é preciso reavaliar a atitude da sociedade brasileira, como um todo, em relação às pessoas idosas, uma vez que elas não constituem categoria à parte, mas, sim, o seu próprio futuro. O envelhecimento é realidade de todos, que está cada vez mais próxima. Mais importante, então, do que apenas parabenizar os idosos em seu dia, é preciso refletir sobre as suas necessidades e, principalmente, as suas dificuldades quanto à realização plena dos seus direitos.

Belisa Nader é professora no curso de direito da Faculdade Pitágoras da Serra.

Zumbis

Incrível! Mano Brown entra fumando ‘baseado’ no palco do Rock In Rio, joga a guimba no público e é aplaudido em delírio por uma galera que grita pela preservação da Amazônia, mas deixa quase 30 toneladas de lixo espalhadas pelo local do show; grita por justiça no caso Ágatha, mas não se dá conta de que a apologia à droga a torna cúmplice do assassinato de milhares de Ágatha; se diz atualizada e moderna, mas continua a se render a novelas e reality shows exibidos por mídia de visão enviesada. Parece que o legado dos 30 anos da tal social democracia (leia-se socialismo) nos brindou com geração alienada, assemelhando-se a zumbis contemporâneos, onde o pensar por si mesmo não tem lugar.

Vanderlei A. Retondo

Santo André

Mercocidades

Cumprimentos à Secretaria de Cultura de Santo André por abrigar a reunião anual UTC (Unidade Temática de Cultura), que abriga mais de 300 cidades do continente latino-americano, o que revela o interesse da nossa cidade pela globalização da cultura. Grandes temas foram abordados. Além dos debates, houve exibição de documentários realizados por cineastas indígenas da tribo Xavantes, apresentação do violonista Robson Miguel; passeio pelo corredor cultural, pelo centro histórico de São Paulo e Vila de Paranapiacaba; feira de produtos indígenas e apresentação de canto e dança indígena. Aguardemos as conclusões das mesas temáticas, informes e compromissos e a aprovação da ata para analisar o que aprendemos e o que ensinamos. Um fato ficou evidente. Sem citar o nome, diversos apresentadores denunciaram a ‘visão colonialista’ do presidente Jair Bolsonaro e o estímulo à exploração das terras indígenas.

Alexandre Takara

Santo André

Qual é a de Doria?

Votei em João Doria porque achava que o Estado de São Paulo estaria melhor em suas mãos. Mas vê-lo desde já fazendo alianças com o pior pelo Brasil afora, já de olho na Presidência em 2022, me sinto traída. Saiu da prefeitura com o trem-bala correndo a mil, prometendo mundos e fundos para o governo de São Paulo. Mal assumiu e se transformou em inimigo do presidente Bolsonaro, que apoiou em campanha, já fazendo campanha para presidente daqui três anos. Doria passa a impressão de que é bom apenas de propaganda de si mesmo. E fica uma dúvida: se conseguir a Presidência em 2022 depois vai concorrer a presidente mundial? Universo será seu limite? Porque até agora só o vimos governar muito bem e ter sucesso nos seus bens pessoais.

Beatriz Campos

Capital

Solução

O Brasil tem solução. É simples. Não precisa aumentar nem criar outros impostos. Basta reduzir despesas e dispor de recursos para amenizar os problemas e investir. A máquina pública nos três níveis (federal, estadual e municipal), cheia de gordura, a cada eleição engorda ainda mais, daí pouco sobra para investir e resolver os inúmeros tormentos.

Humberto Schuwartz Soares

Vila Velha (ES)

Donos do PSL

Assim como até hoje, mesmo na prisão, Lula se coloca como dono de seu partido, e que jamais aceitou que integrantes competentes, probos e preocupados com o País seguissem no PT, parece que o PSL tem dono, os Bolsonaro. Sigla essa rachada, que ninguém se entende, onde muitos dos seus integrantes nem votam com o governo. Agora, o deputado Eduardo Bolsonaro pede que saia da legenda a deputada Joice Hasselmann, líder do governo na Câmara, e que muito trabalhou para eleger Jair Bolsonaro. Ou seja, assim como o toma lá dá cá continua, também o ‘novo Brasil’ prometido não existe.

Paulo Panossian

São Carlos (SP)

Idade maior

<Hoje é comemorado o Dia do Idoso, data que não pode nem deve passar despercebida, pois lembra a presença amiga de quem tem muita história para contar, no âmbito de sua convivência. Cada um traz algo único, diferente e particular. A chamada ‘experiência’ vai ao encontro da ‘maturidade’. Tanto uma quanto a outra tocam em ponto sensível, que damos o nome de amor. O direito de regresso convida-nos para ‘viagem no tempo’. Significa enxergar aquilo que foi deixado para trás, sempre em forma de aprendizado, servindo de alento na busca pelo amanhã. A pessoa com idade maior possui predicados que se tornam o espelho da ‘família feliz’. Dizem que um sorriso fala mais que 1.000 palavras. Todos eles, sem exceção, reúnem agradavelmente os melhores motivos para entendermos a vida. Temos de apreciar e aprender diante dos exemplos trazidos pela terceira idade. Vamos, pois, cumprimentá-los com os merecidos respeito e admiração!

Thiago Valeriano Braga

Capital

As cartas para esta seção devem ser encaminhadas pelos Correios (Rua Catequese, 562, bairro Jardim, Santo André, CEP 09090-900) ou por e-mail (palavradoleitor@dgabc.com.br). Necessário que sejam indicados nome e endereço completos e telefone para contato. Não serão publicadas ofensas pessoais. Os assuntos devem versar sobre temas abordados pelo jornal. O Diário se reserva o direito de publicar somente trechos dos textos.

Comentários


Veja Também


Dia do Idoso: data para reflexão

Hoje, 1º de outubro, é comemorado o Dia Internacional da Pessoa Idosa. A data foi escolhida pela Organização das Nações Unidas para homenagear as pessoas de mais idade e incentivar a conscientização da sociedade sobre as suas necessidades. No Brasil, que já contabiliza 15 milhões de pessoas idosa...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar