Palavra do Leitor

Sua casa é ecologicamente correta?


Em um mundo onde estão todos cada vez mais preocupados com o meio ambiente, com sustentabilidade e com o uso racional dos recursos naturais, a arquitetura bioclimática ganha destaque nas construções. Daí, surgem as perguntas: a sua casa é ecologicamente correta? Como saber isso? E o que fazer, caso não seja?

Destaco, por exemplo, que o uso da energia solar, embora bem conhecida, ainda tem crescimento tímido no Brasil. Menos de 1% da energia produzida aqui vem através da luz solar, mesmo sendo um dos países com maior índice de radiação solar do planeta. E você sabia que a indústria de construção civil é a segunda mais poluente do mundo? Os principais responsáveis por isso são as tintas e a quantidade de resíduos despejados na natureza.

Materiais alternativos, como madeira plástica e tintas à base de água oferecem soluções eficientes, tanto para a natureza quanto para projeto inovador. Claro que o projeto de casa sustentável ainda é muito difícil de ser colocado em prática. Isso porque a sustentabilidade não está apenas em produtos físicos, está também em mudar costumes, abraçando princípios que nos conduzam à convivência harmoniosa com a natureza. Para isso, devemos adotar estratégias como iluminação natural, lâmpadas de LED, paredes externas duplas, coleta e reservatório de água da chuva – que poderá ser usada para limpeza predial e das calçadas, por exemplo. Implementando sistema como esse, é possível economizar até 50% na conta.

Para quem está pensando em construir, comprar imóvel ou até deixar a casa mais ecológica, a escolha dos materiais é o ponto-chave. Opte por materiais encontrados na região onde você mora. Isso irá reduzir o impacto ambiental da obra. Na alvenaria e telhado, vale apostar em materiais de grande inércia térmica, ou seja, aqueles que demoram para esquentar e que custam a resfriar.

Para pintura, é importante que as partes externas e internas sejam em cores claras. Elas refletem mais a luz e absorvem menos calor, proporcionando temperatura mais agradável dentro do local. As construções devem, ainda, aproveitar ao máximo o vento da região. Ter pé-direito alto também é fundamental para ajudar na circulação do ar.

Já para a decoração, as plantas e flores são ótima pedida, mas opte pelas espécies nativas. Isso garante a preservação de plantas regionais. Sem contar que elas se adaptam melhor ao clima e ao solo, além de criar equilíbrio com a fauna local. São os alimentos que os animais nativos precisam. Agora que já sabemos desde as primeiras atitudes até ações de maior envergadura nos projetos bioclimáticos, mãos à obra!

Sebastião Lopes é arquiteto e fundador da Arqsol Arquitetura e Tecnologia.

Amarelo

Li neste Diário reportagem sobre diversidade de gênero nas escolas (Política, dia 13). Fiquei pensando em quantos adolescentes se suicidam exatamente por não compreenderem o que se passa em sua vida quando se veem atraídos por alguém do mesmo sexo. No Setembro Amarelo, o significado é prevenção ao suicídio. Prevenção que está exatamente no esclarecimento, na conversa aberta em casa, na escola. Venho de geração onde tudo era vedado. Falar em sexo nem pensar; pessoas deficientes eram consideradas doentes, devendo ser trancadas em casa; menino com boneca na mão apanhava; menina brincar com bola não podia. Hoje, sexo se conversa abertamente, pessoas deficientes estão no mercado de trabalho, homens cuidam de seus filhos, trocam fraldas, levam ao pediatra, enquanto as mulheres trabalham, disputam Copa do Mundo de futebol. Tudo evolui na velocidade do tempo. O importante hoje é ser feliz, independentemente do que escolhemos para criar a felicidade, sermos livres para escolher. Família é a base de tudo, devemos preservar, sim, família com amor e respeito. Conversar com nossos filhos, netos e alunos sem preconceitos ou julgamentos, mas com amor e respeito.

Maria Aparecida Chitto dos Reis

São Bernardo

Apoiarão?

Mesmo que ainda não tenha sido condenado, Atila Jacomussi, prefeito de Mauá, pelo simples fato de receber acusações da Polícia Federal, já seria motivo suficiente para ter o mandato cassado pelo Poder Legislativo, até porque, passou a ser político com a imagem denegrida. Interessante que na entrevista concedida a este Diário (Política, dia 10), Atila Jacomussi fala que vai trabalhar e espera contar com apoio da Câmara. Será que os 23 vereadores irão lhe dar voto de confiança depois de tê-lo cassado?

Arlindo Ligeirinho Ribeiro

Diadema

Região quer Metrô

Como morador de São Bernardo há mais de 50 anos, não deixarei de lutar por transporte rápido e eficiente. O Grande ABC tem enorme arrecadação de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), portanto, é justo e merecedor de transporte digno e não BRT. Doria nomeou para cargo tão importante um forasteiro na Secretaria dos Transportes Metropolitanos, que, aliás, teve problemas em Goiânia e pouco se importa com nossa região, pela qual demonstra desprezo. Senhor secretário, tenha mais respeito. Com relação a Doria, será que São Paulo não teria um secretário digno para gerir essa pasta? Recado ao senhor Morando: não deixe que esse forasteiro faça essa barbaridade com São Bernardo. Tenho certeza que o senhor, assim como eu, ama a cidade e não permitirá que Baldy faça isso com nossa região. A população quer é o Metrô e não BRT!

Copiniano de Souza

São Bernardo

Autor da nova CPMF

Em 18 de setembro de 2018, o presidente mentiroso, que disse que faria diferente – acabaria com a velha política, colocaria fim à corrupção, governaria para o bem do Brasil (que era ‘acima de tudo’) e outras lorotas –, postou, em rede social: ‘Ignorem essas notícias mal-intencionadas dizendo pretendermos recriar a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira). Não procede. Ninguém aguenta mais impostos, temos consciência disso’. Em outra feita, ‘votei pela revogação da CPMF na Câmara dos Deputados e nunca cogitei sua volta. Nossa equipe econômica sempre descartou qualquer aumento de impostos’. Mas, como tudo que faz é mentir, lemos neste Diário (Economia, dia 11) a volta desse imposto que ele dizia combater. Acham mesmo que o então secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, levaria adiante essa ideia se não tivesse aval do presidente? Mas, claro, para bancar o super-herói, Bolsonaro o demitiu. Mais um ponto negativo na conta desse fascista. O que será que os ‘bolsominions’ têm a comentar sobre isso? Defendam a CPMF!

Orlando Smênio Soares

São Bernardo

Foi avenida...

Uso com frequência a Avenida Capitão Mário Toledo de Camargo, em Santo André, e asseguro que está em péssimas condições, má sinalizada, desnivelada, trechos cedendo em direção ao Córrego Guarará, faltando tachões que separam a faixa exclusiva de ônibus, pintura apagada da ciclovia e muitos buracos. Além disso, há estacionamento de veículos em fila dupla e sobre a ciclovia na altura da Vila Luzita. Para completar o quadro deplorável, na via há sujeira demais, o cheiro vindo do rio é insuportável, e faz muito tempo que não é capinado. A Prefeitura precisa lembrar que bairros afastados do Centro também fazem parte do município e que o prefeito não foi eleito somente com votos de moradores da região central, que contam com vias em bem melhores condições. Total falta de respeito e, claro, de fiscalização. 

Mário Campos

Santo André

Sol com peneira

Oportuna a reportagem deste Diário sobre a queda de participação dos militantes no processo de eleição do PT no Grande ABC (Política, ontem). Mas é inoportuna a declaração do coordenador regional do partido, que culpou exclusivamente o filiado. Até quando os altos dirigentes da legenda vão tapar o sol com a peneira e entender que o problema está em cima, e não embaixo?

Rosilene Fernandes

Mauá

Laurentino Gomes

Muito me alegrou ver a entrevista do escritor Laurentino Gomes neste Diário (Cultura&Lazer, ontem). Sou fã de seu trabalho pela trilogia sobre a história do País. Estou ansioso para ler, agora, a trilogia sobre a escravidão no Brasil. Que sirva de exemplo.

Gonçalo Cristiano

Santo André

As cartas para esta seção devem ser encaminhadas pelos Correios (Rua Catequese, 562, bairro Jardim, Santo André, CEP 09090-900) ou por e-mail (palavradoleitor@dgabc.com.br). Necessário que sejam indicados nome e endereço completos e telefone para contato. Não serão publicadas ofensas pessoais. Os assuntos devem versar sobre temas abordados pelo jornal. O Diário se reserva o direito de publicar somente trechos dos textos.

Comentários


Veja Também


Sua casa é ecologicamente correta?

Em um mundo onde estão todos cada vez mais preocupados com o meio ambiente, com sustentabilidade e com o uso racional dos recursos naturais, a arquitetura bioclimática ganha destaque nas construções. Daí, surgem as perguntas: a sua casa é ecologicamente correta? Como saber isso? E o que fazer, ca...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar