Economia

TST busca fim de paralisação dos Correios


Audiência no TST (Tribunal Superior do Trabalho) marcada para hoje, às 13h30, pode definir os rumos da greve iniciada às 22h de terça-feira pelos trabalhadores dos Correios em todo o País. Ontem, no Grande ABC, em torno de 70% dos 900 profissionais cruzaram os braços pela reposição da inflação nos salários e a manutenção de benefícios. Enquanto isso, a paralisação continua.

De acordo com os Correios, na expectativa de solução que não comprometa ainda mais a situação financeira dos Correios, que acumula prejuízo de R$ 3 bilhões, a empresa ingressou com dissídio coletivo no TST. A Findect (Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores dos Correios) celebrou decisão da empresa e a atribuiu à forte adesão no primeiro dia de paralisação.

Às vésperas da data-base da categoria, em 1º de agosto, os trabalhadores haviam rejeitado proposta oferecida pelos Correios, cujo reajuste sobre os salários sugerido tinha sido de 0,8% – sendo que a inflação do período, conforme o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), acumulava 3,84% nos últimos 12 meses. Além disso, a oferta retirava direitos ao excluir pai e mãe de convênio médico e o aumentar a coparticipação de 30% para 40%. A categoria também aprovou estado de greve, mas qualquer paralisação, se houvesse, só será iniciada neste mês, como ocorreu.

“Estávamos em negociação com a empresa desde o início de julho e, após dez reuniões, os Correios não apresentaram proposta convincente para os trabalhadores. A discussão passou então a ser mediada pelo TST, que prorrogou o nosso acordo coletivo até 31 de agosto e manteve as negociações, mas a estatal deixou de lado o acordo proposto para este mês”, explicou o diretor da Findect Douglas Melo. “Queremos a manutenção do acordo coletivo em geral e a reposição da inflação.”

Em nota, os Correios disseram que estão executando plano de saneamento financeiro para garantir sua competitividade e sustentabilidade. “As federações, no entanto, apresentaram reivindicações que superam até mesmo o faturamento anual da empresa.”
 

Comentários


Veja Também


TST busca fim de paralisação dos Correios

Audiência no TST (Tribunal Superior do Trabalho) marcada para hoje, às 13h30, pode definir os rumos da greve iniciada às 22h de terça-feira pelos trabalhadores dos Correios em todo o País. Ontem, no Grande ABC, em torno de 70% dos 900 profissionais cruzaram os braços pela reposição da inflação no...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar