Setecidades

MP intervém e Diadema vai se reunir com conselho contrário à reforma de praça


A promotora do Meio Ambiente de Diadema, Maria Cecília Denser de Sá, deu 48 horas para que a Prefeitura de Diadema apresente justificativa técnica para a remoção de duas das 14 árvores que devem ser suprimidas da Praça Castelo Branco, no Centro, em virtude das obras de revitalização que estão em curso há cerca de uma semana. Após reunião realizada na tarde de ontem (10), que contou com a participação da secretária de Meio Ambiente, Tatiana Capel, e do assistente da pasta, José Vieira Gonçalves, também ficou acordado que será convocada reunião extraordinária do Condema (Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente) para discutir o tema.

Representantes da sociedade civil no Condema e no Condepad (Conselho Municipal de Proteção ao Patrimônio Histórico, Documental, Artístico e Cultural de Diadema) protocolaram na Promotoria de Diadema, na última segunda-feira, pedido de suspensão das obras. O motivo é a discordância sobre a retirada de árvores. Os representantes da sociedade civil no Condema defendem que nenhum espécime seja removido. Já o projeto da reforma previa o corte de cinco árvores e foi alterado para 14, segundo a prefeitura, por “necessidades fitossanitárias”. A administração alegou que não houve alteração no projeto, mas adequações em função dessas necessidades. Também argumentou que haverá compensação com o plantio de 72 árvores.

Vice-presidente do Condema e um dos autores do pedido de suspensão, Francisco de Assis Cardoso avaliou como positiva a intervenção do MP. “Acho que é uma boa medida e pode reestabelecer o diálogo”, afirmou. Cardoso reiterou a posição do colegiado de não aprovar a remoção de nenhuma árvore da praça, que foi inaugurada em 1965 pelo ex-prefeito Lauro Michels, tio-avô do atual prefeito, Lauro Michels (PV). “Defendemos que sejam mantidas as características originais da praça, o que incluiu a manutenção das árvores”, pontuou. A praça, primeira oficial da cidade, é tombada como patrimônio  da cidade. A Prefeitura de Diadema informou que a reunião será realizada na próxima terça-feira, dia 17 de setembro, às 18h30, na Secretaria de Habitação.

As obras estão sendo realizadas pela empresa Codal Engenharia Ltda-EPP. O investimento é de cerca de R$ 1,5 milhão. A reforma vai contemplar sistema de drenagem, criação de 28 vagas de estacionamento e bicicletário e reabertura de via para tráfego de veículos (que consta no projeto original e hoje é calçadão). A polêmica em torno das intervenções começaram em julho de 2018, após a imprensa noticiar que a população temia que a praça fosse totalmente retirada do local para abrigar um estacionamento. O projeto também prevê que seja instalado painel explicando a história do piso de mosaico português, que será mantido apenas em pequenos trechos, devido ao alto custo de manutenção. 

Comentários


Veja Também


MP intervém e Diadema vai se reunir com conselho contrário à reforma de praça

A promotora do Meio Ambiente de Diadema, Maria Cecília Denser de Sá, deu 48 horas para que a Prefeitura de Diadema apresente justificativa técnica para a remoção de duas das 14 árvores que devem ser suprimidas da Praça Castelo Branco, no Centro, em virtude das obras de revitalização que estão em ...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar