Palavra do Leitor

O dia em que o fogo falou


 Artigo

“(...) E as pessoas se curvavam e rezavam/Ao deus de neon que elas criaram/E a placa mostrou o seu aviso/Nas palavras que formava/E a placa dizia/As palavras dos profetas estão escritas nas paredes do Metrô/E nos corredores dos cortiços/E sussurradas no som do silêncio (...).”

Desde que a escuridão envolveu o céu na tarde do dia 19 de agosto, não paro de pensar nesses versos de Sounds of Silence (Sons do Silêncio), de Simon & Garfunkel. Rezamos para o deus de neon, e para o deus-grife, o deus-consumo, o deus-ganância... E não escutamos os avisos de que a natureza está sucumbindo ao fogo, à ação da motosserra, ao massacre da floresta. Sons do silêncio. Descubro que corredor de fumaça proveniente das queimadas na Amazônia desceu pela América do Sul. Ele tomou conta do Centro-Oeste, do Sudeste e do Sul do Brasil, além de invadir países vizinhos, como Argentina, Uruguai, Peru e Bolívia.

Embora os incêndios sejam mais comuns entre agosto e setembro, por causa da temporada seca, chama atenção que a tarde assustadora tenha ocorrido quando o Programa Queimadas, do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), constatou aumento de 70% nas áreas de desmatamento. No dia 1º de setembro, a imprensa noticiou que agosto de 2019 teve o maior número de queimadas – mais de 30 mil focos de incêndio – desta década.

Ao contrário do que se observa na região do cerrado, onde o próprio calor provoca focos espontâneos de incêndio, todo fogo surgido na Amazônia é causado pelo ser humano. Normalmente, coloca-se fogo para ‘limpar’ área depois de proceder à retirada de mata nativa. É disto que estamos falando, portanto: mais do que curiosidade meteorológica, a tarde escurecida de agosto foi aviso. A floresta está morrendo. Em silêncio. Precisamos desviar os olhos das telas dos celulares e observar o que de fato acontece lá fora. Estamos realmente dispostos a colocar pasto e monocultura no lugar de árvores centenárias e de milhares de espécies animais? A Amazônia abriga cerca de 1.300 espécies de aves, quase 500 de mamíferos, 400 de répteis. É fauna rica e repleta de espécies ainda desconhecidas. Leio que brigadistas voluntários tentam salvar as vidas de animais atingidos pelo fogo, mas muitos não resistem aos ferimentos. Outros ficam com sequelas e jamais poderão voltar à natureza.

A destruição da natureza é covarde, porque suas vítimas são indefesas, e é egoísta, porque não leva em conta as gerações futuras. Não existe luz no fim do túnel para País que opta pela devastação. É desesperador constatar que os poderosos não se lembram disso.

Sons do silêncio. Até quando nós nos calaremos também?

Silvana Andrade é presidente da Agência de Notícias de Direitos Animais.

Palavra do Leitor

Caos
Até quando vamos ter de aguentar o caos em São Bernardo? Os tempos dos atrapalhadores (que eles chamam de semáforos) aumentaram, o que fez aumentar também as filas. A praça municipal é exemplo claro de que eles não sabem o que fazer. Sincronização de complicadores de trânsito? O que é isso? Filas da Avenida Kennedy até aquela ‘coisa’ que eles chamam de viaduto sobre a Avenida Castelo Branco são normais! São duas faixas para trânsito intenso e uma para ônibus, que não existem! Trapalhadas no trânsito em frente ao portão seis da Scania continuam. O que pode ser feito para melhorar o trânsito na complicadíssima São Bernardo?<

Serge Rene Vandevelde
São Bernardo

Bachelet
Em vez de insultar o pai de Michelle Bachelet, assassinado pela ditadura chilena, Bolsonaro deveria se preocupar em indicar procurador-geral da República capaz de desengavetar o acordo da OAS, que financiou a campanha presidencial da socialista, aliada de Lula.
Antônio José Gomes Marques
Rio de Janeiro

Cadê Baldy?
Na última eleição para deputado estadual votei na então candidata Carla Morando (PSDB), que foi eleita e conquistou o posto de líder do governo! Então, como seu eleitor, deputada, peço seu empenho, o mesmo que a senhora tem quando é para divulgar qualquer coisa que o governador faça, para cobrar do secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, que cumpra a palavra e venha até a região dar satisfação aos sete prefeitos. Cobre do mesmo mais respeito pela nossa região e pelo povo, pois a senhora sempre divulga em rede social o livre acesso às secretarias do governo, encontros com vice-governador, além de vários encontros com o próprio governador João Doria. Como deputada eleita pela região, líder do governo, casada com prefeito próximo do governador, tem a obrigação de trabalhar mais e melhor pela nossa região. Fazer com que o secretário dê as devidas explicações seria demonstração de respeito por essa gente que confiou o voto na senhora. Como bem disse este Diário, um forasteiro não pode tratar nossa região com tamanho descaso (Opinião dia 3). Exigimos explicações detalhadas sobre as linhas 18 e 20 do Metrô, pois não pensem que esse assunto irá cair no esquecimento.
Thiago Scarabelli Sangregorio
São Bernardo

Os Garotinho
Garotinho é bom-moço, claro, sendo político no Rio de Janeiro. Tem histórico invejável de honestidade, preso pela terceira vez, e se diz perseguido. E pior é que tem razão! É perseguido pela corrupção e pela grana, que ele e a mulher sempre se deliciaram em Campos, feudo do casal e de sua tropa corrupta!
Zureia Baruch Jr.
Capital

Exemplo
Jair Bolsonaro não foi fiel ao seu slogan ‘Brasil acima de tudo, Deus acima de todos’ ao proteger o seu filho Flávio, envolvido em movimentação financeira sob suspeição, quando deveria apoiar a investigação. Seria a forma de Flávio provar sua inocência e ele, como presidente, sair fortalecido com ‘o exemplo vem de casa’. Afinal, quem não deve não teme.
Humberto Schuwartz Soares
Vila Velha (ES)

Grande ABC comemora
A interferência do governador João Doria permitiu ao Grupo Caoa comprar, no Grande ABC, a fábrica da Ford (Economia, ontem). Notícia auspiciosa para os trabalhadores da região, já que com a paralisação da produção de caminhões e do Fiesta em fevereiro, algo em torno de 3.000 funcionários correm risco de perder seus empregos. O Grupo Caoa, que produz o modelo Chery em Jacareí, Interior de São Paulo, e na unidade de Anápolis, em Goiás, deve montar na planta de São Bernardo automóveis de marca chinesa. Ou seja, não somente o Grande ABC comemora esse negócio, de mais de R$ 1 bilhão, mas também o governador Doria, artífice dessa negociação, que durou seis meses, cujo Estado que governa deve se beneficiar com a elevação da arrecadação de impostos, e investir nas prioridades da população!
Paulo Panossian
São Carlos (SP)

Comentários


Veja Também


O dia em que o fogo falou

 Artigo

“(...) E as pessoas se curvavam e rezavam/Ao deus de neon que elas criaram/E a placa mostrou o seu aviso/Nas palavras que formava/E a placa dizia/As palavras dos profetas estão escritas nas paredes do Metrô/E nos corredores dos cortiços/E sussurradas no som d...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar