Cena Política

Alaíde usa cola para cantar hino de Mauá


Prefeita de Mauá desde abril, Alaíde Damo (MDB) ainda mostra desconhecer alguns trâmites de solenidade da cidade. Apesar de ter nascido na cidade, morar no município há décadas e, em duas oportunidades, ter sido primeira-dama – seu marido, Leonel Damo, foi prefeito na década de 1970 e no meio dos anos 2000 –, a chefe do Executivo recorreu a uma colinha com a letra do hino de Mauá durante ato de entrega de escola municipal no Jardim Maringá. O repórter Daniel Tossato flagrou a emedebista com o papel em mãos com o hino da cidade. O fato chamou atenção até mesmo do líder do governo na Câmara, Adelto Cachorrão (Avante). Sincera, Alaíde comentou com o aliado: “Eu ainda não decorei essa música de Mauá”.

Vai, não vai – 1
Ganhou força o comentário de que o vereador Eduardo Leite (PT), de Santo André, teria comunicado a direção estadual do partido que não será o candidato petista à Prefeitura andreense no ano que vem. A decisão já teria, inclusive, sido informada ao ex-prefeito de São Bernardo e presidente estadual do PT, Luiz Marinho, até agora principal fiador de Eduardo na empreitada. Pessoas próximas de Eduardo, entretanto, negam a desistência neste momento. Esta coluna já mostrou que, para ser prefeiturável, o parlamentar busca estrutura capaz de transformar sua candidatura competitiva na cidade, até porque, por ora, as prioridades petistas têm sido as eleições em São Bernardo, em Diadema e em Mauá, nesta ordem.

Vai, não vai – 2
A postura de indefinição do vereador Eduardo Leite (PT) em ser o prefeiturável do partido em Santo André tem irritado militantes. Muitos acreditam que Eduardo tem receio em perder uma reeleição certa para a Câmara e deixar na mão estrutura de assessores que vem desde o mandato de seu pai, Antônio Leite. O questionamento é que uma liderança, como desponta ser Eduardo, tem de encarar desafios. Seja nos momentos bons ou ruins.

Repercussão
A deputada estadual Carla Morando (PSDB), de São Bernardo, utilizou a tribuna para repercutir a delação de dirigentes da OAS sobre pagamento de propina para realização de obras em São Bernardo durante a gestão de Luiz Marinho (PT). “Esse é um dos maiores escândalos de corrupção que o Grande ABC e São Bernardo já viram. É vergonhoso. O que aconteceu em nossa cidade, um verdadeiro assalto”, classificou a líder do PSDB na Assembleia.

Movimentações
Nesta semana, duas movimentações partidárias foram registradas. O ex-prefeiturável e ex-vereador de Rio Grande da Serra Claudinho da Geladeira confirmou filiação ao Podemos, de olho em candidatura à sucessão do prefeito Gabriel Maranhão (Cidadania). Nas duas vezes em que concorreu à Prefeitura, estava no PT – em 2012, aliás, foi classificado como xodó do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Em Mauá, a ex-vereadora Sandra Regina Vieira acertou ida ao PTB. O partido fala em apostar no ex-deputado Wagner Rubinelli (PTB) como prefeiturável em 2020.

Explicações
O secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado, Marcos Penido, esteve ontem na Assembleia Legislativa para explicar o projeto de lei no qual o governo paulista pede autorização dos deputados para contrair empréstimos para obras antienchente e de despoluição de rios. Na proposta está a solicitação de aval para construção do Piscinão Jaboticabal, que será instalado na Capital, mas atenderá diretamente o Grande ABC. O Estado pleiteia R$ 300 milhões para a obra, mas o deputado estadual Thiago Auricchio (PL), de São Caetano, protocolou emenda com aumento do valor para R$ 350 milhões.

CPI da Enel
O vereador André Scarpino (PSDB), de Santo André, protocolou pedido de CPI da Enel, a antiga AES Eletropaulo, sob alegação de irregularidades nas podas de árvores e abandono de fiação por parte da empresa. O documento conta com 12 adesões, quórum suficiente para sua instalação. A solicitação, porém, causou estranheza na casa, uma vez que a pressão interna é para abertura de CPI da FUABC (Fundação do ABC).  

Comentários


Veja Também


Alaíde usa cola para cantar hino de Mauá

Prefeita de Mauá desde abril, Alaíde Damo (MDB) ainda mostra desconhecer alguns trâmites de solenidade da cidade. Apesar de ter nascido na cidade, morar no município há décadas e, em duas oportunidades, ter sido primeira-dama – seu marido, Leonel Damo, foi prefeito na década de 1970 e no meio dos...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar