Márcio Bernardes

Razões corintianas


Na sede da Odebrecht em São Paulo os executivos trataram com desdém e ironia a proposta do Corinthians para ficar com a parte da empresa no fundo que administra o estádio de Itaquera.

Um dos motivos é que o crédito da construtora – (cerca de R$ 670 milhões) está registrado em sua recuperação judicial. O Corinthians quer pagar para a Odebrecht R$ 170 milhões. A diferença, portanto, é muito grande.

As conversas acontecem há algum tempo. Não se vê possibilidade de acordo, segundo uma alta fonte da empresa fundada na Bahia.

Sorte do Flamengo


Algumas vezes os torcedores e este redator também, não entendem porque um clube gasta uma fortuna para contratar determinado jogador. Um exemplo apenas para não preencher muito espaço: Cueva, agora no Santos.

A mesma dúvida pairou entre a maioria da torcida do Flamengo sobre Balotelli. Os mais fanáticos até que gostaram da notícia. Mas, de antemão, desconfiou-se que seria problema na certa.

Aos 29 anos completados em 12 de agosto, Balotellidesde o início da carreira no sub-19 da Inter de Milão, em 2007, entregou muitos gols pela dezena de times que defendeu. No total, até agora, marcou 377 vezes.

O contrato com o Olimpique de Marselha venceu em 1º. de Julho e o clube francês não quis renová-lo. O atacante ficou um período sem clube e quase veio para o Flamengo.

Em 2016 Balotelli ganhava perto de R$ 20 milhões por ano, dinheiro pesado para qualquer clube brasileiro. E por quê os fanáticos marselheses não quiseram mais o atacante? Desconfia-se...

Jogador-problema em todos os clubes por onde passou. Enquanto marcava gols esses problemas eram encobertos. Ou engolidos. No Rio de Janeiro, com sua propensão pela noite e baladas, estaria no céu.

O tempo passa e a idade pesa. Franceses, ingleses, italianos e até que enfim, flamenguistas, sabem disso. A vinda do atacante de origem ganesa seria um grande risco.
Balotelli acaba de assinar contrato com o modesto Brescia. Tomara que continue marcando gols e criando menos problemas. Porque na noite tudo se sabe...

Comentários


Veja Também


Razões corintianas

Na sede da Odebrecht em São Paulo os executivos trataram com desdém e ironia a proposta do Corinthians para ficar com a parte da empresa no fundo que administra o estádio de Itaquera.

Um dos motivos é que o crédito da construtora – (cerca de R$ 670 milhões) está registrado em sua recupera...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar