Política

Frota sugere que PSL avalie caso Nishikawa


O deputado federal Alexandre Frota (PSL), por meio de sua conta pessoal no Twitter, sugeriu que o deputado estadual Coronel Nishikawa (PSL), de São Bernardo, seja levado ao conselho de ética do partido após a PGJ (Procuradoria-Geral de Justiça), órgão máximo do Ministério Público de São Paulo, abrir investigação sobre suposta prática de pedágio no gabinete do parlamentar do Grande ABC.

Em rota de colisão com lideranças da legenda no País – entre eles o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) –, Frota citou que Nishikawa é aliado do senador paulista Major Olímpio (PSL), com quem brigou publicamente, e escreveu: “MP de São Paulo apura rachadinha com deputado estadual amigo do Major. Será que esse o Major vai levar para o conselho de ética?”

Como o Diário mostrou com exclusividade na segunda-feira, o Ministério Público recebeu autorização do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) para investigar denúncia contra Nishikawa, contra o chefe de gabinete do deputado e presidente do PSL de São Bernardo, Walter Resende Filho, e o assessor especial David Monteiro de Mello. A suspeita é a de que eles cobravam devolução de até 50% dos salários de colaboradores contratados no gabinete de Nishikawa na Assembleia Legislativa. O termo ‘rachadinha’ utilizado por Frota é sinônimo de ‘pedágio’.

O jornal O Estado de S.Paulo mostrou ontem que, conforme a denúncia apresentada ao PGJ, Mello seria responsável por arrecadar os valores dos funcionários no gabinete e depositar em contas bancárias dos filhos de Nishikawa e da tia de sobrinha adotiva do parlamentar. Quem coordenaria o esquema era Resende Filho.

No caso de Frota, ele deve ser encaminhado ao conselho de ética após proferir críticas a Bolsonaro, em especial depois de o presidente da República bancar a indicação do filho Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), deputado federal, para ser embaixador do Brasil nos Estados Unidos. Frota chegou a dizer que Bolsonaro era “sua maior decepção”. Entre os que defendem o enquadramento do ex-ator está Major Olímpio.

RESPOSTA

Após utilizar a tribuna da Assembleia e gravar vídeo nas redes sociais refutando as acusações de cobrança de pedágio, Nishikawa divulgou ontem nova nota acerca do episódio.

“Nego veementemente as acusações que são infundadas, feitas de forma anônima e sem qualquer prova, pois elas não existem. É com indignação que recebo essas acusações. Sustento vida de lisura e prezo pela transparência e ética”, escreveu. “Entrei para a vida pública aos 70 anos, com o objetivo de mudar o atual cenário político, envolto por corruptos e corruptores. Abraço aquilo que chamamos de nova política. Política limpa, séria e que beneficie a sociedade. Fui eleito com a bandeira da ética, contra a corrupção e a favor da segurança pública.” 

Comentários


Veja Também


Frota sugere que PSL avalie caso Nishikawa

O deputado federal Alexandre Frota (PSL), por meio de sua conta pessoal no Twitter, sugeriu que o deputado estadual Coronel Nishikawa (PSL), de São Bernardo, seja levado ao conselho de ética do partido após a PGJ (Procuradoria-Geral de Justiça), órgão máximo do Ministério Público de São Paulo, ab...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar