Setecidades

Moradores da Vila Marina, em Santo André, reclamam de falta de água


 Moradores da Vila Marina, em Santo André, reclamam da falta de abastecimento de água, que segundo os relatos, já dura ao menos dois dias. A assistente social Maria do Carmo Ribeiro, moradora da Rua Coronel Seabra, explicou que desde a quarta-feira não tem água na rua.

"Temos uma caixa de mil litros e nossa preocupação é que a qualquer momento, a água acabe", relatou. De acordo com a munícipe, há vários meses a região não sofria com desabastecimento, mas que o problema já foi frequente. "Já fizemos abaixo assinado e brigamos muito. Nos pultimos meses, tem sido mais raro, mas dessa última vez causou transtornos novamente", completou.

Apesar de estar há dois dias sem água, Maria do Carmo afirmou que ao reclamar no Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental), autarquia responsável pelo abastecimento, foi informada de que não havia qualquer problema na rede. "Isso é um absurdo. É só vir aqui na minha rua e abrir as torneiras, todas secas, para eles verem", reclamou.

Questionado, o Semasa informou que a falta de água no local está relacionada à uma falha no sistema de bombeamento no reservatório Miguel Ângelo, que refletiu diretamente no abastecimento do setor Vila Vitória - Zona Média, no período de 31 de julho a 2 de agosto. "A normalização do abastecimento será ao longo da tarde de hoje", garantiu a empresa.

SABESP

A Prefeitura de Santo André assinou, na manhã de ontem, contrato com a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), que vai assumir o abastecimento de água e a coleta de esgoto no município por um período de 40 anos. O acordo encerra dívida de R$ 3,4 bilhões da cidade com a empresa estadual. A Sabesp garantiu, além de investimentos, acabar com o problema recorrente de falta de água em Santo André até o próximo verão.

Comentários


Veja Também


Moradores da Vila Marina, em Santo André, reclamam de falta de água

 Moradores da Vila Marina, em Santo André, reclamam da falta de abastecimento de água, que segundo os relatos, já dura ao menos dois dias. A assistente social Maria do Carmo Ribeiro, moradora da Rua Coronel Seabra, explicou que desde a quarta-feira não tem água na rua.

"Temos uma cai...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar