Memória

Em torno de um botão, a alegria do futebol


Dedicamos a Memória de hoje ao professor Hélio Maffia, que no domingo completou 87 anos. Maffia, preparador físico histórico do futebol brasileiro, integrante do Memofut.

***

Apaixona a troca de informações e de imagens a partir dos botões do futebol feita no último final de semana entre craques do Memofut (Grupo Literatura e Memória do Futebol). Os historiadores do futebol se reúnem mensalmente no Pacaembu, mas mantém um intercâmbio, via Internet, sempre que uma dúvida surge. Com isso, constroem a história do futebol brasileiro.

Memória e Memofut  dividem este quebra-cabeça com você, leitor

Moacir Andrade Peres – Preciso do auxílio de vocês. Quem é o jogador? Quase certamente é de um time do Rio ou de São Paulo, do ano de 1970. A cor do botão não significa nada. Forte abraço.
Celso Unzelte – Nossa! Seria o ponta-esquerda corintiano Lima?
Moacir – Olá Celso. Sim, há uma probabilidade de que seja o Lima. Eu, particularmente, arriscaria o Ubirajara Alcântara, goleiro do Flamengo à época.
Max Gehringer – Pode ser sim, doutor. Aí vai o Ubirajara para comparação.
Celso Unzelte – Ubirajara Alcântara! Aquele que nos anos 70 ganhou, no programa do Chacrinha, o concurso “O Negro Mais Bonito do Brasil”...
Gustavo Longhi Carvalho – Infelizmente, eu não sei a resposta. Creio que pode ser sim o Ubirajara Alcântara. Em 1970, ele estava no Flamengo – foi o ano em que ele fez um gol de goleiro, ao repor a bola, contra o Madureira.
Apenas a título de curiosidade, Moacir, existe mais alguma informação referente aos demais botões que estão no time deste jogador que você está buscando?
Rodrigo Saturnino Braga – Lembra, vagamente, o Ubirajara. Mas creio que não é ele, pois o goleiro não era um botão, mas uma espécie de placa, com a foto no meio. Certo, Moacir?
Moacir Peres (enviando novas fotos de botões) – Conheço aproximadamente 20 fabricantes de botões de carinhas e, em algumas poucas coleções (Bola de Prata, Campeões do Futebol etc), os goleiros vinham em botões comuns, embora tal fato possa parecer estranho, Rodrigo.
Nesta coleção desconhecida ocorre a mesma coisa. Vejam, na terceira das imagens que envio, o Leão e o Orlando da Portuguesa, entre outros botões avulsos.
A coleção é com certeza de 1970, Gustavo. O time com mais jogadores que possuo é o Botafogo. Só me falta o goleiro. O “berço” é da coleção Brianezi, motivo pelo qual há um lugar vazio para o goleiro. Só coloquei os botões para fotografar.
Perguntei também ao Diniz, que me conseguiu este lote de botões avulsos, e ele também acha que Ubirajara é o jogador do botão verde, até em razão da camisa cinza clara que o goleiro usava em algumas partidas.
Rodrigo Saturnino – Esse time do Botafogo (desfalcado de Carlos Roberto, Jairzinho e Roberto) entrou em campo duas vezes: 18/10/70, domingo, vitória de 2 x 1 sobre o Atlético PR, no Belfort Duarte; 21/10/70, quarta-feira, vitória de 1 x 0 sobre o Corinthians, no Parque Antártica.
Quanto à foto do botão, a melhor alternativa é Ubirajara Alcântara.
Moacir Peres – Ainda falando sobre botões, veja esta imagem da coleção ''Campeões de Futebol'', de 1963. Os pacotinhos com estes botões eram vendidos em jornaleiros. A curiosidade é o distintivo do São Bento de São Caetano utilizado em substituição ao do São Bento de Sorocaba. Em síntese, 1963, o ano em que a AASB ressuscitou, infelizmente apenas nos botões...
Nota da Memória – E você, leitor boleiro, quem é o goleiro do botão apresentado por Moacir Andrade Peres? Participe desta construção de mais um episódio da rica história do futebol brasileiro. E compareça às reuniões do Memofut. A próxima será em 3 de agosto, no Pacaembu.

Diário há 30 anos

Domingo, 23 de julho de 1989 – ano 32, edição 7125

Manchete –  Adutora do Semasa rompe em Santo André; água pode faltar em 28 bairros.
Indústria –  Poliolefinas iniciará a construção de dois prédios para abrigar os laboratórios de processo e produtos do seu centro de tecnologia, em Capuava, Santo André. A empresa fabrica polietileno de baixa densidade.
Cultura & Lazer –  Xuxa iniciará turnê pelo Brasil com um esquema de segurança pessoal sob a responsabilidade de uma empresa de Santo André, a Equipe Django.
Diário – Seção esportiva “Confidencial” ganha novo formato; lançada a seção “Futebol Amador”. Jornalista Divanei Guazzelli é o editor de Esportes.

Em 23 de julho de...

1969 – O jornal O Estado de S. Paulo comenta com elogios o livro “Meu Sertão”, de Catullo da Paixão Cearense (Livraria Castilho, 1918).
O jornal cita dois autores que também elogiaram a obra, Humberto de Campos e Roquete Pinto.
E publica uma das quadrinhas da obra: “Minha viola morena é uma gaiola de pinho, adonde canta e saluça tudo quando é passarinho”.
Internacional
- Do noticiário do Estadão: telegramas destacam o fracasso da greve internacional de protesto contra a intervenção dos aliados na Rússia.
- Do noticiário do Correio Paulistano: os aliados procuram fazer que os polacos respeitem os confins da demarcação fronteiriça.
Nota – A I Guerra Mundial terminara no ano anterior, mas era nítido o ensaio daquela que poderia ser chamada de “guerra fria” envolvendo esquerda e direita.
1924 – Revolução em São Paulo. Manchete do Estadão: combates intermitentes em toda linha; o tráfego nas estradas de ferro; a situação no interior; os socorros às populações necessitadas.
- Quase três semanas já passaram, em que a Capital de São Paulo assiste ao desenrolar da revolução.
- Estadão mantém uma coluna de informações. Leitores pedem informações. Caso de Affonso Salvador Rocco. Ele buscava notícias de seu sobrinho, Dr. Salvador Rocco e família, que até 5 de julho residiam na Estação de São Caetano.
- A Prefeitura, em dificuldade para remover os mortos que se achavam nas zonas de combate, pedia ao público para notificá-la, por escrito, sobre os lugares em que se encontravam cadáveres, para facilitar o serviço de remoção.

Hoje

-Dia do Guarda Rodoviário

Santos do Dia

- João Cassiano

Municípios Brasileiros

Celebram aniversários em 23 de julho:

- Na Bahia, Conceição da Feira, Santa Cruz Cabrália e Serrolândia
- Em Santa Catarina, Jacinto Machado e Pouso Redondo
- Em Alagoas, Japaratinga
- No Espírito Santo, Viana

Fonte: IBGE

Comentários


Veja Também


Em torno de um botão, a alegria do futebol

Dedicamos a Memória de hoje ao professor Hélio Maffia, que no domingo completou 87 anos. Maffia, preparador físico histórico do futebol brasileiro, integrante do Memofut.

***

Apaixona a troca de informações e de imagens a partir dos botões do futebol feita no últim...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar