Palavra do Leitor

Grande ABC sofre duro golpe


Um crime foi cometido contra o desenvolvimento econômico, urbano e qualidade de vida no Grande ABC. A região viveu por anos a expectativa da chegada do Metrô, que facilitaria o acesso à Capital. Durante a campanha de 2018, o então candidato Doria, em visita à região, prometeu implantar o monotrilho na Linha 18-Bronze. Venceu as eleições e, em março, o tucano disse que realizaria estudos para ver se VLT era a melhor opção. 

Neste ínterim, este deputado e o Diário, como vozes díspares dos prefeitos da região, denunciaram o prejuízo com a mudança do modal de Metrô para ônibus. Tentamos sensibilizar políticos e prefeitos a entrarem na luta. Em audiência com o vice-governador na Assembleia, ouvimos que era quase certa a mudança de modal.

Em 3 de julho, Doria confirmou o cancelamento da Linha 18-Bronze do Metrô. E assumiu substituir por corredor de ônibus (BRT). Num toque de marketing, prometeu uma linha de Metrô ligando a Lapa ao Rudge Ramos.

A região foi colocada em último plano. O dono do 4º maior PIB, atrás de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, não necessita de corredor de ônibus, e sim de transporte de alta capacidade.

Para a retomada do crescimento, só com investimento como seria a implantação do Metrô. Não é de hoje que a Anchieta e a Imigrantes estão saturadas. Os trólebus, que ligam a região a São Paulo (São Mateus e Jabaquara) já saem lotados de suas origens, em ambos sentidos. Quem pode optar pelo transporte particular fica parado no trânsito cerca de uma hora e meia para ir de São Bernardo ao Centro de São Paulo; de ônibus, mais de duas horas. De Metrô, demoraria 30 minutos.

E o que dizer da multa contratual de R$ 270 milhões e dos cerca de R$ 50 milhões pagos ao projeto funcional pelo Ministério das Cidades e pelo governo do prefeito Luiz Marinho em 2010 – este, sim, o verdadeiro autor da iniciativa para trazer o Metrô ao Grande ABC? Serão jogados literalmente no lixo?

Esse duro golpe torna-se mais grave porque contou com a complacência dos prefeitos do PSDB Paulo Serra (Santo André), Orlando Morando (São Bernardo) e José Auricchio (São Caetano). Os três são próximos a Doria e poderiam ter defendido a manutenção do Metrô. Não o fizeram.

A justificativa de Doria para o cancelamento foi o alto custo da obra. Somente esqueceu-se de dizer que o grosso ficaria para a iniciativa privada. Em contrapartida, Doria e aliados na Assembleia Legislativa aprovaram a LDO deste ano com renúncia fiscal de R$ 20 bilhões para empresários ocultos. Claro fica que o problema nunca foi o custo, mas a prioridade. O Grande ABC precisa, merece e exige respeito.

Luiz Fernando Teixeira é deputado estadual pelo PT de São Bernardo.

Poda

Gostaria de saber, sr. prefeito Orlando Morando, por que não se faz mais poda de árvores e substituição de árvore quando danificado o passeio público em São Bernardo. Já faz mais de três anos que o setor de parques e jardins não faz manutenção. Falam que não tem. Cadê a arrecadação do município?

Cláudio da Silva

São Bernardo

Monumento

Não poderia, em hipótese alguma, deixar de parabenizar o jornalista e historiador Ademir Medici pela coluna intitulada ‘Velhas notícias, registros históricos’, focalizando o Monumento à Independência, no histórico bairro do Ipiranga, e a ponte aérea (Setecidades, dia 8). Com muita propriedade, Ademir aproveitou para registrar os 60 anos de ponte aérea, que na época era explorada pelas empresas Vasp, Cruzeiro do Sul e Varig, que, infelizmente, não existem mais. Sobre o monumento, onde existe cripta com os restos mortais de D. Pedro I e os das imperatrizes D. Leopoldina e D. Amélia, construído na Praça da Independência, aquela área encontra-se em estado de abandono e não se sabe se as reformas anunciadas para comemorar os 200 anos da Independência (em 7 de setembro de 2022), estarão concluídas até lá. O prédio do imponente Museu do Ipiranga esteve prestes a desabar, obrigando a direção a retirar todo o acervo ali existente para as reformas, que andam a passos de tartaruga. Se aquela enorme e linda praça fosse no Japão, com certeza seria considerada um local sagrado. Infelizmente, aqui no Brasil é um local abandonado.

Arlindo Ribeiro Rodrigues

Diadema

Gás

Ao receber a conta de gás do mês de maio, para pagamento em junho, vi que o valor estava bem acima da média que costumo pagar. Liguei para o SAC da Comgás e o atendente solicitou o número do relógio e pediu para aguardar. Ao retornar, disse-me que a leitura estava errada e que em cinco dias úteis seria emitida outra conta com o valor correto. Passado esse tempo liguei outras vezes e sempre obtive a mesma resposta, de que minha solicitação estava em análise ainda. Faltando dois dias para débito em conta liguei novamente e disse que bloquearia o pagamento até solução. A atendente entrou em contato com a supervisora, que disse para eu não pagar a conta até que resolvessem o problema. No dia 5 de julho recebi a conta do mês de junho, com vencimento no dia 20 de julho, também com valor acima da média. Liguei novamente e a atendente me pediu dois telefones para contato no dia 8. Ninguém entrou em contato. Nessa conta consta que estou em débito com a conta de maio e corro risco de mandarem para protesto. Estou em débito sem ter culpa devido a erro da Comgás, que só ‘enrola’ e não resolve. Gostaria que a Comgás agisse com respeito com o consumidor, pois não temos outra opção para fornecimento de gás.

Keiko Sakata

São Bernardo

Resposta

Tivemos a nossa honra brutal e covardemente atacada quando fomos difamados por suposto ‘leitor’, que subscreveu o texto criminoso como Copiniano de Souza (Férias, dia 2). O texto afirma que estou lotado no gabinete do deputado estadual Luiz Fernando Teixeira Ferreira, percebendo como contrapartida mensal o valor de R$ 13.372,84 . Tal fato, além de mentiroso, caracteriza conduta tipificada no Código Penal Brasileiro, portanto, estamos a falar de fato criminoso, que foi perpretado por indivíduo imbuído de má-fé e que certamente se utilizou do prestígio desse conceituado veículo para atingir a minha honra e a de minha mulher, causando danos à minha imagem junto à opinião pública. Nunca fui e não sou lotado em nenhum gabinete parlamentar e minha mulher, quando atuou em assessoria parlamentar, assim o fez por reconhecida competência política/administrativa, sendo a conduta do sedizente ‘leitor’, portanto, criminosa e com nítido caráter de atingir a nossa honra se valendo de mentiras.

Zé Ferreira, ex-vereador

São Bernardo

Previdência X Presidência

Pelo que depreendi do discurso do presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ), na sequência da aprovação, em primeiro turno, da reforma da Previdência, nasceu um candidato à Presidência em 2020.

Edvaldo Vassaz

Santo André

As cartas para esta seção devem ser encaminhadas pelos Correios (Rua Catequese, 562, bairro Jardim, Santo André, CEP 09090-900) ou por e-mail (palavradoleitor@dgabc.com.br). Necessário que sejam indicados nome e endereço completos e telefone para contato. Não serão publicadas ofensas pessoais. Os assuntos devem versar sobre temas abordados pelo jornal. O Diário se reserva o direito de publicar somente trechos dos textos.

Comentários


Veja Também


Grande ABC sofre duro golpe

Um crime foi cometido contra o desenvolvimento econômico, urbano e qualidade de vida no Grande ABC. A região viveu por anos a expectativa da chegada do Metrô, que facilitaria o acesso à Capital. Durante a campanha de 2018, o então candidato Doria, em visita à região, prometeu implantar o monotril...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar