Nacional

Ação da PF prende mafiosos italianos


A Polícia Federal cumpriu, na manhã desta segunda-feira, 8, dois mandados de prisão para fins de extradição, de cidadãos italianos suspeitos de trabalhar para o braço da máfia italiana na América do Sul, conhecido como "Ndrangheta". Segundo a PF, "o grupo mafioso, baseado na região da Calábria, no sul de Itália, controlaria 40% dos envios globais de cocaína, sendo o principal esquema criminoso importador para a Europa".

"Um dos presos já tem condenação por tráfico e associação para tráfico de drogas na Itália (com pena fixada em 14 anos de prisão)", diz a PF. Um dos detidos é Nicola Assisi. "O outro, filho do primeiro criminoso, ocupava ao menos três apartamentos na cobertura de prédio de alto padrão, no litoral paulista", afirma a Federal.

De acordo com a corporação, "ambos estavam foragidos desde de 2014, havendo notícia de que passaram por Portugal e Argentina, utilizando-se de nomes falsos. A cobertura onde foram presos possuía sofisticado sistema de vigilância, com câmera dome 360º na área externa, o que possibilitava identificar todos as pessoas que acessavam o prédio".

"Foram encontrados em poder dos presos, até o momento, duas pistolas, dinheiro em espécie e veículos", diz a PF. "Os mandados foram expedidos pelo Supremo Tribunal Federal, a pedido da Representação da Polícia Federal junto à Interpol, em cooperação à Polícia Italiana", conclui a Polícia Federal brasileira.

Comentários


Veja Também


Ação da PF prende mafiosos italianos

A Polícia Federal cumpriu, na manhã desta segunda-feira, 8, dois mandados de prisão para fins de extradição, de cidadãos italianos suspeitos de trabalhar para o braço da máfia italiana na América do Sul, conhecido como "Ndrangheta". Segundo a PF, "o grupo mafioso, baseado na região da Calábria, n...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar