Esportes

Perto da final, seleção aposta em entrosamento entre Firmino e Gabriel Jesus


Em maio, logo nos primeiros dias de treino da seleção brasileira em Teresópolis visando a Copa América, o auxiliar técnico do Brasil Cleber Xavier afirmou que a comissão técnica "já tinha na cabeça" o time titular para a competição. Ele não citou nenhum nome, mas quem acompanhava a seleção mais de perto sabia que o ataque teria Roberto Firmino e Neymar, com Gabriel Jesus esperando uma oportunidade no banco. Um mês e meio depois, o Brasil se prepara para a decisão com Firmino e Gabriel Jesus atuando juntos e demonstrando bom entrosamento.

A formação, contudo, demorou para ser definida pela comissão técnica. Sem Neymar, que acabou cortado às vésperas da disputa após sofrer lesão no tornozelo, Tite e seus auxiliares trataram de montar o setor ofensivo na base da tentativa, com Richarlison, David Neres, Firmino, Everton e Gabriel Jesus disputando posição.

Richarlison e David Neres foram titulares ao lado de Firmino na estreia com a Bolívia, mas a seleção brasileira sofreu para fazer seus três gols. Everton "Cebolinha" acabou sendo acionado e encantou nos primeiros jogos, mas sucumbiu à marcação contra a Argentina e deixou o campo após o intervalo.

Firmino e Gabriel Jesus também foram vistos com desconfiança no início da Copa América. Apesar de fazer boa temporada por Liverpool e Manchester City, a dupla demorou a engrenar na competição. Firmino só foi marcar seu primeiro gol na goleada por 5 a 0 sobre o Peru, no terceiro jogo - mesma partida em que Gabriel Jesus perdeu uma penalidade.

Os dois foram desencantar mesmo na semifinal, quando o Brasil fez uma partida segura e, sobretudo, eficiente diante da Argentina. Gabriel Jesus marcou o primeiro gol após receber assistência de Firmino. Depois, os papéis foram invertidos e o jogador do Liverpool ganhou passe do atleta do City para fazer 2 a 0 e confirmar a vitória.

"Vim (para o Mineirão) com a cabeça de que iria marcar um gol. Não falo só porque fiz o gol, mas porque vim muito confiante mesmo. No começo, já fui para cima", comentou Jesus após a vitória contra a Argentina.

O gol marcado serviu para o atacante alcançar uma meta que estabelecera antes mesmo de a competição começar, a de não passar em branco, como ocorreu no ano passado na Copa do Mundo da Rússia. "É meio que obrigação do atacante fazer gol. Não adianta só dar assistência ou ajudar com a bola ou sem a bola", afirmou Gabriel Jesus em maio, na primeira parte da preparação na Granja Comary, em Teresópolis.

Firmino, por sua vez, procurou enaltecer a parceria no ataque após a vitória na semifinal. "Eu e o Gabriel somos isso. Mostramos entrosamento e parceria. A gente se conhece bem e se dá bem. Temos um grupo forte, e demonstramos nossa força. Independentemente da posição, a gente joga junto, a gente só está aqui para ajudar a seleção da melhor forma possível."

Com dois gols marcados na competição, o atacante do Liverpool é um dos três jogadores do Brasil que estão na artilharia da Copa América. Everton e Philippe Coutinho também integram a lista, que tem nada menos do que 13 artilheiros.

Comentários


Veja Também


Perto da final, seleção aposta em entrosamento entre Firmino e Gabriel Jesus

Em maio, logo nos primeiros dias de treino da seleção brasileira em Teresópolis visando a Copa América, o auxiliar técnico do Brasil Cleber Xavier afirmou que a comissão técnica "já tinha na cabeça" o time titular para a competição. Ele não citou nenhum nome, mas quem acompanhava a seleção mais d...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar