Márcio Bernardes

Brasil na Copa América


(São Paulo) – Quem gosta de futebol não gostou da seleção brasileira contra a Bolívia. Esquema de jogo cauteloso e covarde. Dois volantes nessas circunstâncias fogem da tradição do futebol pentacampeão. Mas não podemos esquecer que nosso técnico é o empaTite.

O Brasil ganhou de 3 a 0 porque enfrentou o vento. A mesma coisa vai acontecer nesta terça-feira. A Venezuela vai perder de goleada e se não for assim estará provado que a comissão técnica e os jogadores são incompetentes. Quem, em sã consciência, acha que Alisson vai sujar o uniforme na Bahia?

PARADA DO BRASILEIRO
Depois de nove rodadas o Brasileiro está parado até a segunda semana de julho, quando estará terminada a Copa América. Alguns clubes vão tentar colocar a casa em ordem.

O exemplo mais evidente é o São Paulo. Com alguns bons jogadores individualmente, fica claro que vários deles estão mal fisicamente. E é incontestável que Cuca precisa dar um jeito no esquema que não está convencendo, nem ganhando jogos.

O Flamengo chamou Jesus e agora o treinador português terá tempo de impor o seu estilo e criar opções táticas para um ótimo elenco que está a cinco – (ou oito?!) pontos do líder Palmeiras.

Luxemburgo também terá tempo de arrumar o Vasco da Gama. Apesar de jogadores limitados, é indiscutível a capacidade do técnico. As coisas vão mudar e melhorar em São Januário. Essa é a minha aposta.

Outros treinadores aproveitarão a parada para aprimorar os seus times. Mano Menezes está inconformado com os pouquíssimos 8 pontos do Cruzeiro. Fábio Carille sabe que se não motivar o ataque corintiano sua batata pode assar. E os outros técnicos têm vários motivos para intensificar os treinos e sonhar com avanços.

FELIPÃO
O técnico palmeirense deve estar torcendo para tudo continuar como está. Não será fácil. A maratona do líder será pesada: Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores. Mesmo com elenco forte e qualificado, o Verdão vai ter de lutar muito no segundo semestre.

Comentários


Veja Também


Brasil na Copa América

(São Paulo) – Quem gosta de futebol não gostou da seleção brasileira contra a Bolívia. Esquema de jogo cauteloso e covarde. Dois volantes nessas circunstâncias fogem da tradição do futebol pentacampeão. Mas não podemos esquecer que nosso técnico é o empaTite.

O Brasil ganhou de 3 ...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar