ABC da Economia

Redes sociais


A difusão da internet fez surgir as chamadas redes sociais. Estas têm o objetivo de interligar pessoas e empresas, que se conectam segundo suas necessidades e interesses. Dentre as redes sociais, destacam-se o MySpace, Facebook, WhatsApp, Twitter, Instagram, Linkedin (este com foco profissional).

As redes sociais são forma de democratização de difusão de informações. Contudo, muitas são as notícias que têm ganhado espaço na mídia relacionadas ao seu uso indevido. Há aquelas informações que promovem risco de segurança, devido à grande exposição de alguns usuários, o roubo de informações por hackers. Há também muitas discussões acerca de temas polêmicos, tais como religião, misoginia, opção sexual e preferências políticas – sobretudo, no Brasil, desde as últimas eleições presidenciais de 2018. Recentemente, casos de vandalismo, de crimes, alguns deles informados antecipadamente e transmitidos em tempo real.

O uso indevido das redes sociais traz consequências danosas para a sociedade. Percebe-se uma onda de intolerância ante a opinião alheia. Crianças e jovens mais suscetíveis acabam por vezes sendo influenciados por pessoas de má índole.

Na Carta de Conjuntura do Observatório da USCS, publicamos os resultados de uma pesquisa de campo que visou levantar os motivos pelos quais as pessoas utilizam as redes sociais; a percepção que elas têm em relação aos pontos negativos do uso indevido e a influência que as redes exercem no comportamento social. A pesquisa foi aplicada com o uso de formulário eletrônico. O objetivo foi o de abranger um grande número de respondentes. A pesquisa foi inserida nas redes sociais Facebook e WhatsApp. Foram recepcionados 134 questionários, respondidos entre os dias 22 e 23 de março de 2019.

Dos 134 respondentes, 33,6% (45 pessoas) são do gênero masculino e 66,4% (89 pessoas) são do gênero feminino. A faixa etária abrangeu pessoas dos 18 aos 74 anos. A maior concentração está na faixa dos 18 aos 30 anos. Do total, 72,4% (97 respondentes) são do ensino superior completo/incompleto; 54,5% são solteiros; 36,6%, casados; 4,5%, divorciados; 4,5%, união estável.

WHATSAPP E FACEBOOK LIDERAM - Questionados sobre qual rede social faz uso, o respondente tinha a opção de escolher todas às quais é usuário. Neste sentido, destacam-se WhatsApp (99,2%), Facebook (94,7%), Instagram (79,4%), YouTube (74,8%), Linkedin (48,9%) e Twitter (17,6%).

Em relação ao tempo médio diário em cada uma das redes: WhatsApp, acima de 181 minutos; Facebook, de 21 a 40 minutos; Twitter, menos de 20 minutos; Linkedin, menos de 20 minutos; YouTube, menos de 20 minutos e Instagram, de 21 a 40 minutos.

Após a aplicação das questões de identificação do perfil dos respondentes e tempo de acesso diário às redes sociais, foram aplicadas questões com escala de concordância de 1 a 5, sendo que 1 representa discordância e 5 representa concordância. Foram encontrados os seguintes resultados para os fatores determinantes para uso das redes sociais: distração, 4,05; expressar opiniões, 2,74; pesquisas escolares, 2,83; busca por interesses comuns, 2,39; busca de relacionamentos amorosos, 1,45; busca por oportunidades profissionais, 3,12; fazer novas amizades, 2,45; reencontrar amigos, 3,23.

Questionados se as redes sociais apresentam algum fator negativo, a média foi de 4,07, fato que evidencia que os usuários das redes sociais estão cientes dos possíveis perigos aos quais estão suscetíveis.

Acerca dos fatores negativos apontados pela amostra tiveram destaque: divulgação de fotos indevidas, 2,72; invasão de privacidade, 2,93; risco de segurança, 2,92; falta de atenção, 2,57; utilização trabalho-escola-atraso de tarefas, 2,19.

A pesquisa abordou o sentimento relacionado às postagens acessadas nas redes sociais: nervosismo, 2,18; angústia, 2,13; prazer, 2,39; ódio, 1,7; piedade, 2,4; raiva, 2,3; tristeza, 2,62; alegria, 4,33. Portanto, a maior média está relacionada com o sentimento de alegria e a menor média está no sentimento de ódio.

Foram elencadas afirmativas relacionadas aos debates e críticas expostas nas redes sociais: ‘Não gosto de expor minhas opiniões com quem discorda de mim’, 2,27; ‘debater significa dialogar com o outro’, 4,4; ‘debater significa que o outro deve concordar comigo’, 1,43; ‘divergências geram debates’, 4,34; ‘os pontos de vista de todos merecem respeito’, 4,37; ‘cada um tem seu ponto de vista’, 4,53.


* Conteúdo desta coluna foi elaborado pelos pesquisadores do Observatório de Políticas Públicas, Empreendedorismo e Conjuntura da USCS (Universidade Municipal de São Caetano), Antonio Aparecido de Carvalho, Álvaro Francisco Fernandes Neto e Leonardo Birche de Carvalho.  

Comentários


Veja Também


Redes sociais

A difusão da internet fez surgir as chamadas redes sociais. Estas têm o objetivo de interligar pessoas e empresas, que se conectam segundo suas necessidades e interesses. Dentre as redes sociais, destacam-se o MySpace, Facebook, WhatsApp, Twitter, Instagram, Linkedin (este com foco profissional)....

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar