Palavra do Leitor

Orgulho para São Paulo


Poucas marcas no mundo conseguem manter índice de avaliação positiva que beira a unanimidade, como o Poupatempo do governo do Estado de São Paulo. O programa tem quase 100% de ótimo e bom (98,8%), segundo pesquisa anual de satisfação dos usuários. O Poupatempo também acaba de ser eleito, pelo quinto ano seguido, o ‘melhor serviço público de São Paulo’ pelo Datafolha. O maior desafio do Poupatempo, hoje, é responder à altura o nível de exigência dos jovens que não conheceram a realidade anterior ao Poupatempo. Por isso o programa investe em tecnologias de atendimento. Diferentemente de outros órgãos, o Poupatempo já nasceu com o DNA em serviços, com o objetivo claro de facilitar a vida da população. Ele reúne em um mesmo espaço todos os serviços públicos, para facilitar a vida do cidadão.

Desde o início, a gestão do programa ficou a cargo da Prodesp, empresa de tecnologia da informação do governo de São Paulo que tem a missão de ‘contribuir para a eficiência do setor público e para a simplificação da vida do cidadão por meio de soluções técnicas inovadoras’. O atendimento com hora marcada garante conforto a todos e eficiência do uso dos recursos públicos. Aplicativos, serviços eletrônicos que podem ser resolvidos pela internet ou telefone e totens de autoatendimento são inovações para aproximar o Estado do cidadão. O atendente virtual Poupinha, em pouco mais de dois anos, já trocou mais de 200 milhões de mensagens e realizou mais de 9 milhões de agendamentos, com tecnologia de inteligência artificial.

Outras inovações e expansões estão a caminho, dentro do compromisso do governo de ampliar o acesso da população aos serviços do Poupatempo, além de adotar o ‘padrão Poupatempo’ de atendimento para toda a administração pública do Estado de São Paulo. Para a tarefa de atender o nível de exigência cada vez maior da população, o programa conta com o seu maior trunfo: profissionais capacitados e constantemente treinados para atender sempre de forma eficiente e cordial. São eles que garantem a satisfação do cidadão com a qualidade dos serviços prestados. Prova disso é que os usuários entrevistados na pesquisa de avaliação elogiam principalmente o bom atendimento e o respeito, o que reflete o princípio básico de atender com eficiência e cordialidade a todos, sem distinção. Para a Prodesp, a população vem sempre em primeiro lugar, e é pensando nela que buscamos inovar todos os dias.

Isso explica por que, passados 22 anos desde a sua criação, o Poupatempo é considerado ‘um orgulho para São Paulo’ para 99,5% dos usuários. O foco é e sempre será o cidadão.

Ernesto Mascelani Neto é superintendente da Prodesp.


PALAVRA DO LEITOR

Semasa
Não me recordo, excluindo na administração Aidan, de o Semasa ficar tanto tempo no olho do furacão. Autarquia que, na maioria dos governos, prestou sempre bom serviço, mas, nesta gestão, vem em uma fase com diversos problemas, sempre deixando o prefeito em saias justas. Historicamente, por um lado o senhor Sebastião Vaz sempre foi o superintendente de plantão de um dos partidos que mais governaram Santo André; por outro, reconhecemos a atuação sempre eficaz do senhor Ajan Marques, o efetivo superintendente quando esta outra corrente ganha. Tanto Sebastião quanto Ajan efetivamente são do ramo e sabem o que fazer. A nomeação política para cargo onde o conhecimento técnico é medida para o andamento da autarquia foi, é e será com certeza o calcanhar de Aquiles do governo Paulo Serra. Se medidas urgentes não vierem à tona o desandar pode se espalhar por outros setores e a reeleição pode estar ameaçada.
Roberto Gomes da Silva
Santo André


STF
O STF (Supremo Tribunal Federal) é vergonha para o brasileiro! Autoridades levando vantagem e se dando bem como se o Brasil fosse País rico, de primeiro mundo. Comprar quilos de lagosta caríssima é no mínimo falta de vergonha na cara. Sem nos esquecermos dos outros benefícios a eles, que nada fazem para moralizar o País. E quem ganha o salário mínimo morre nas filas de postos de saúde, sucateados pelo PT. É lamentável vermos a Nação se tornar a cada dia mais pobre em tudo e por tudo. Já as nossas autoridades vivem nababescamente, sem a mínima preocupação com seus conterrâneos.
Manoel Simplício da Silva
Capital


Em Diadema
Se eu fosse um dos 21 vereadores de Diadema teria vergonha em aprovar projeto de aumento do próprio salário, em plena época em que o Brasil passa por crise econômica como nunca se viu em toda a sua história (Política, dia 27). A princípio, o acréscimo de 4,58%, aprovado em duas sessões, uma das quais extraordinária, pode representar pouca coisa. Todavia, avaliando que a medida causará impacto de R$ 120,5 mil por ano, é prova de que o Poder Legislativo diademense não está preocupado com problemas mais graves da cidade. A Câmara passa a pagar salário de R$ 10.920,04 a cada vereador para comparecer apenas uma vez por semana, a fim de participar da sessão ordinária, que tem no máximo cinco horas de duração. Isso sem contar as outras mordomias que afetam os cofres públicos. Será que os vereadores, antes de aprovarem essas despesas astronômicas, tiveram tempo de pensar e fazer levantamento do total a ser gasto e no que de melhor e mais útil esse dinheiro poderia ser utilizado?
Arlindo Ligeirinho Ribeiro
Diadema


Pelego
O Paulinho da Força (SD) e suas falas são tudo que o Brasil não precisa e não quer mais. Chega de toma lá dá cá para aprovar a reforma da Previdência.
Tânia Tavares
Capital


Chafariz
Após denúncia nesta Palavra do Leitor sobre o chafariz na entrada do estacionamento do Parque Chico Mendes, em São Caetano (Dengue, dia 19), no dia 30 foi feita limpeza pelo Saesa (Sistema de Água, Esgoto e Saneamento Ambiental). Mas só tiraram a água e não colocaram nenhum produto! Larvas continuam no chafariz. Se é para fazer o serviço, que se faça benfeito. Ou não façam!
Fernando Zucatelli
São Caetano


Sem mérito
Era só o que faltava! Com este governo Bolsonaro, trapalhão e recheado de crises, eu gostaria que alguém explicasse o que de relevante fizeram ao País os dois filhos do presidente, Flávio e Eduardo, e o amigo dele, maluco travestido de filósofo, Olavo de Carvalho para serem condecorados pelo Itamaraty, do inepto ministro Ernesto Araújo, com a Ordem Nacional de Rio Branco, no grau gran-oficial? Essa condecoração é afronta! Ela foi criada em 1963, pelo ex-presidente João Goulart, para homenagear expoentes da vida pública brasileira! Mas não para filhinhos mimados do presidente, que até aqui só criaram problemas para o governo e o País. O Planalto não pode ser usado como parque de diversão!
Paulo Panossian
São Carlos (SP) 

Comentários


Veja Também


Orgulho para São Paulo

Poucas marcas no mundo conseguem manter índice de avaliação positiva que beira a unanimidade, como o Poupatempo do governo do Estado de São Paulo. O programa tem quase 100% de ótimo e bom (98,8%), segundo pesquisa anual de satisfação dos usuários. O Poupatempo também acaba de ser eleito, pelo qui...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar