Cena Política

Atila recorre à retórica de Lula


Nas eleições de 2016, o então candidato a prefeito de Mauá pelo PSB, Atila Jacomussi, ironizou adversários do PT que buscavam se esquivar de denúncias na merenda escolar na cidade. O principal argumento dos principais petistas era que, se houve alguma irregularidade, eles não sabiam de nada. “Parece o Lula, não sabe de nada”, disparou Atila, à ocasião. Passados três anos e agora cassado pela Câmara de Mauá por vacância do cargo, é o próprio Atila quem recorre a frases ditas pelo ex-presidente Lula, preso há um ano em Curitiba no âmbito da Operação Lava Jato. Alegando ser vítima de golpe, o socialista tem dito que quer ser julgado pelo que consta nos autos dos processos pelos quais responde – nas operações Prato Feito e Trato Feito, nas quais é acusado de desviar dinheiro da merenda escolar e de pagar mesada a vereadores. “Primeiro se mancha a história das pessoas e só depois se julga e dá o amplo direito à defesa”, tem comentado o socialista em entrevistas.

BASTIDORES

É campeão
O pentacampeonato da Série A-2 do Paulista pelo Santo André, ontem pela manhã, no Estádio Bruno José Daniel, reuniu os dois principais adversários políticos na eleição de 2016. O prefeito Paulo Serra (PSDB) esteve no estádio e participou da festa dos jogadores campeões. O ex-prefeito Carlos Grana (PT) optou pela arquibancada e celebrou o título com a torcida.

Major Olímpio – 1
Senador por São Paulo, Major Olímpio (PSL) estará em São Caetano amanhã à noite. Ele é a estrela de evento realizado no Restaurante Sete Mares, no bairro Mauá, a partir das 19h, para discutir política pública de segurança, área na qual atua.

Major Olímpio – 2
Recentemente, o senador Major Olímpio renunciou à presidência estadual do PSL. Ele alegou que deixava a função para poder se dedicar ao mandato. Ontem, o partido anunciou o sucessor: o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro.

Conectado
O presidente da Câmara de Diadema, Pretinho do Água Santa (DEM), homologou contrato com a BR Importação, que ficará responsável por fornecer smartphones aos vereadores ao preço global de R$ 33,5 mil. A licitação gerou polêmica na cidade, mas o democrata bancou o acordo.

Bronca – 1
Na sessão de terça-feira em São Caetano, chamou atenção dura fala do vereador Marcel Munhoz (PPS), cobrando a instalação de uma lombada na Rua Professora Maria Macedo, próxima à divisa com São Paulo. O popular-socialista, que é governista, reclamou do jogo de empurra entre secretarias a respeito da situação, algo que, segundo ele, foi comunicado à Prefeitura há dois meses.

Bronca – 2
A bronca foi direta ao secretário Iliomar Darronqui, de Serviços Urbanos, citado nominalmente por Marcel Munhoz (PPS), quando o popular-socialista falava com o líder de governo na Casa, Tite Campanella (PPS). Para aproveitar a situação, o vereador Jander Lira (PP), da oposição à atual administração de São Caetano, convidou Munhoz a aderir ao bloco. O convite foi rechaçado de prontidão.

Novo título
O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) divulgou que adotará novo formato no título de eleitor. O documento será impresso em papel sulfite branco e, além dos dados, contará com QR Code para validação. A emissão no Estado começa pelas unidades no Poupatempo – no Grande ABC, há postos em Santo André, São Bernardo, Diadema e Mauá.
 

Comentários


Veja Também


Atila recorre à retórica de Lula

Nas eleições de 2016, o então candidato a prefeito de Mauá pelo PSB, Atila Jacomussi, ironizou adversários do PT que buscavam se esquivar de denúncias na merenda escolar na cidade. O principal argumento dos principais petistas era que, se houve alguma irregularidade, eles não sabiam de nada. “Par...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar