Cena Política

Momento do PSDB inspira cautela


O momento do PSDB tem inspirado cautela de suas principais lideranças. Há, assim como no PT – que polarizou com o tucanato nos últimos 20 anos –, um visível racha interno. A cúpula da legenda tentou antecipar as eleições partidárias para mudança de comando. No âmbito nacional, a sigla é presidida pelo ex-governador Geraldo Alckmin, quarto colocado na disputa presidencial. A briga tende a ocorrer em maio. Fato é que, em 2016, num quadro diferente do atual, o PSDB elegeu quatro prefeitos no Grande ABC pela primeira vez na história. Neste ínterim, já perdeu um, expulso. Algumas cotoveladas entre figuras da região foram identificadas no pleito de 2018. Surgiu até relatório da coordenação regional, abrindo mais as feridas. O desgaste atribuído às investigações sobre Aécio Neves, deputado e ex-dirigente nacional da sigla, é outro fator considerado na lista, com possíveis desdobramentos, bem como a recente prisão de Paulo Preto, apontado nas apurações como operador do PSDB na Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A), o que pode atingir parte da sigla na esfera paulista. A conferir.

BASTIDORES

Como fica?
Com o atrito protagonizado entre o prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), e o ex-secretário Ailton Lima (PSD) quem ficou em saia justa foi ex-vereador José de Araújo (PSD). Ele entrou na administração tucana no cargo de diretor da SATrans, empresa que gerencia o transporte público da cidade, e migrou para posto de assessor de gabinete do Paço. Ex-vice-prefeito andreense e ex-presidente da Câmara, Araújo já estava no PSD quando Ailton se filiou à legenda para postular vaga de deputado. Diante do desentendimento, Ailton fala em candidatura ao Paço. Araújo, aliado de Paulo Serra, ainda não manifestou qual será seu próximo passo.

Criação de secretaria
A Câmara de Santo André deu aval ontem, em primeira votação, a projeto de lei do Executivo municipal que prevê a criação da Secretaria da Pessoa com Deficiência, dentro de espécie de minirreforma administrativa do Paço. A proposta foi aprovada por 18 votos, inclusive com crivo favorável de vereadores do PT. Não há data certa para a próxima apreciação, mas é possível que na semana que vem volte à pauta. A reestruturação prevê também abrir posto de assessor de comunicação do prefeito, além de definir atribuições e competências das funções estabelecidas no texto.

Arrecadação de fotos
O Leilão Lula Livre, organizado por grupo de fotógrafos para vender fotos de episódios da carreira política e da vida pessoal do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), na noite de quarta-feira, arrecadou R$ 624 mil. O dinheiro será destinado ao Instituto Lula, que enfrenta dificuldade financeira desde a prisão do petista, há quase um ano. A última foto e com maior lance (arrematada por R$ 65 mil) mostra Lula sendo carregado por multidão depois de participar do ato que se tornou o último antes de ele ser preso, em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo.

Fundamentada
Por falar em Lula, o ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), arquivou o inquérito que investigava a atuação de Rogério Favreto, desembargador do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), no caso simbólico de guerra jurídica em que acolheu pedido de habeas corpus e mandou colocar o ex-presidente em liberdade. Barroso considerou que Favreto, na ocasião do plantão, em julho, trabalhou nos limites de suas atribuições “de maneira fundamentada”.

Evento do MBL
A coordenação regional do MBL (Movimento Brasil Livre) adiou a data do segundo congresso do grupo no Grande ABC. Com ingressos à venda, o evento estava marcado para ocorrer no dia 20 de abril, num hotel em Santo André. A agenda, no entanto, foi alterada. Agora, ficou para 13 de julho, com a mesma programação estimada. Entre as presenças, os deputados Kim Kataguiri (DEM, federal) e Arthur do Val (DEM, estadual), além do vereador paulistano Fernando Holiday (DEM). 

Comentários


Veja Também


Momento do PSDB inspira cautela

O momento do PSDB tem inspirado cautela de suas principais lideranças. Há, assim como no PT – que polarizou com o tucanato nos últimos 20 anos –, um visível racha interno. A cúpula da legenda tentou antecipar as eleições partidárias para mudança de comando. No âmbito nacional, a sigla é presidida...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar