Internacional

Reino Unido não deve subestimar dificuldade de aprovar acordo do Brexit, diz UE


O negociador-chefe da União Europeia para o Brexit, Michel Barnier, afirmou nesta segunda-feira que a sua mensagem ao Reino Unido é que não subestime as dificuldades que enfrentará para a aprovação de um acordo para a sua saída do bloco. Uma vez que haja um consenso entre Bruxelas e Londres para as condições do trato, ele ainda terá de ser aprovado por unanimidade pelos parlamentos de todos os 27 Estados-membros restantes e, em alguns casos, até por parlamentos regionais, segundo explicou o francês em participação no Fórum Estratégico de Bled (BSF, na sigla em inglês), na Eslovênia.

Alternando momentos de resignação e com um tom esperançoso, ele disse ainda assim ser "realístico" alcançar um acordo para o divórcio nas próximas seis a oito semanas. Quando questionado pelo moderador do evento sobre reclamações de que a UE não estaria disposta a quaisquer concessões na busca por um entendimento, garantiu que "não há punição nem vingança" na postura que tem adotado nas tratativas com autoridades britânicas. "É interesse comum dos Estados-membros da UE construir uma parceria com o Reino Unido", pontuou.

Barnier reiterou que, se Londres aceitar as regras relacionadas à livre transação de serviços e à livre movimentação de pessoas, os representantes europeus estariam prontos para dar as boas vindas aos britânicos no mercado comum. Por outro lado, repetiu em mais de um momento lamentar o resultado da votação do Brexit "todos os dias". "Não há vencedor no Brexit. O Brexit não traz nenhum valor agregado", sublinhou.

Ao se voltar para a lista mais ampla de obstáculos atualmente diante da UE, o francês reconheceu ser a primeira vez em que o bloco enfrenta "tantos desafios, internos e externos, ao mesmo tempo".

A uma plateia integrada também por jovens líderes europeus apontados pela organização do fórum, Barnier se permitiu revelar o curso de um encontro que teve com o parlamentar britânico Nigel Farage, do Partido da Independência do Reino Unido (UKIP), um dos principais personagens da votação favorável ao Brexit.

"Perguntei ao senhor Farage qual era a sua ideia de como seria o futuro das relações entre o Reino Unido e a UE agora que o Brexit ganhou. Ele deu uma resposta muito clara: ''A UE vai deixar de existir.'' Aqui, vamos provar que ele está errado, porque isso não pode acontecer. Nunca", concluiu Barnier.

Comentários


Veja Também


Reino Unido não deve subestimar dificuldade de aprovar acordo do Brexit, diz UE

O negociador-chefe da União Europeia para o Brexit, Michel Barnier, afirmou nesta segunda-feira que a sua mensagem ao Reino Unido é que não subestime as dificuldades que enfrentará para a aprovação de um acordo para a sua saída do bloco. Uma vez que haja um consenso entre Bruxelas e Londres para ...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar