Defesa do Consumidor

Casas Bahia oferta seguro e não entrega serviço à consumidora


Após comprar um smartphone na loja virtual da Casas Bahia, a auxiliar de primeira infância Tatiane Pinheiro Ruela, 30 anos, de Mauá, resolveu adquirir também um seguro contra roubo, furto ou quebra acidental para o aparelho no dia 18 de maio, via televendas. O problema foi que a apólice não chegou nas mãos da consumidora até agora e, portanto, seu telefone não está assegurado.

“Disseram que o certificado do seguro seria enviado via e-mail. Só que isso nunca chegou até mim. Fiz inúmeras reclamações em todos os canais da loja, e depois de um mês, entraram em contato para dizer que o seguro não estava mais disponível e eles iriam cancelar a compra”, conta Tatiane.

Ela, contudo, não quer que o serviço seja cancelado, muito pelo contrário, exige que o acordo de venda seja cumprido e que o celular tenha a proteção que contratou por R$ 692 e que segue pagando as parcelas no cartão de crédito.

“Vai fazer quase três meses que comprei o celular e o seguro, estou pagando por eles, mas não estou usufruindo do serviço”, diz indignada.

De acordo com o Procon, é direto da consumidora não aceitar o cancelamento da compra e requerer o cumprimento do servido ofertado. Caso a loja se recuse a pôr isso em prática, o órgão aconselha Tatiane a juntar os comprovantes da contratação do seguro, número do protocolo de atendimento e nome do atendente e procurar o Procon da cidade, munida de um documento pessoal, para registrar a reclamação.

A Casas Bahia foi procurada e informou somente que “o caso da cliente já está sendo analisado pela equipe de atendimento junto à empresa seguradora”.

Leia Mais

Comentários


Veja Também


Voltar