Política

Com sexto pedido de licença em seguida, Rautenberg completará um ano fora do mandato na Câmara


Eleito vereador de Santo André com a maior votação do Grande ABC – foram 7.863 votos no pleito de 2016 –, Roberto Rautenberg (PRB) pediu formalmente a sexta licença consecutiva e irá completar um ano fora do mandato na Câmara. O republicano oficializou, segundo informações do Legislativo, a solicitação pelo prazo de mais 60 dias, diferentemente do último requerimento, que foi de apenas um mês. Com o novo afastamento, o parlamentar necessita retornar aos trabalhos da Casa no dia 3 de setembro.

Até o momento, Rautenberg atuou somente sete meses de 18 desde o início da legislatura, em janeiro de 2017. Ele saiu pela primeira vez em agosto do ano passado e, desde então, tem protocolado pedidos sequenciais de licença, sob alegação de motivos particulares. Apesar da saída do posto eletivo, sem qualquer aparição pública no ínterim, o parlamentar mantém boa parte de seus assessores de confiança – sete do total de dez funcionários em cargos comissionados –, lotados no gabinete de Jorge Kina (PSB), suplente que herdou provisoriamente a vaga na Câmara.

No pedido anterior de Rautenberg, limitado a 30 dias de afastamento, se especulou, nos bastidores, possível volta ao mandato, o que não se confirmou de fato. O período inferior foi entendido no meio político como sinal de eventual interesse em reassumir a cadeira na vereança. A licença, em contrapartida, teria simbolizado só uma ameaça, principalmente a Kina, que entrou com ação em torno de pedido de perda de mandato eletivo contra o presidente do Legislativo, vereador Almir Cicote – após troca do PSB pelo Avante, em abril –, por infidelidade partidária.

Kina admite frustração com o fato de atuar no mandato com número reduzido de assessores ligados ao seu grupo, embora o titular não atenda suas ligações. “Ele ficou de marcar reunião, mas até agora nada, não fala comigo. Suplente é assim mesmo. Precisa ter paciência. De qualquer forma, estou mantendo o acordo. Dei minha palavra e vou cumprir.”

As licenças recorrentes de Rautenberg, sem remuneração, acontecem por conta da legislação vaga: não há teto estabelecido na LOM (Lei Orgânica do Município) ou no regimento interno. O afastamento teria sido apresentado para se dedicar desde então à vida empresarial. Ele integra quadro societário de rede de academias.

O regresso do parlamentar ainda é cogitado antes do páreo de outubro, com objetivo de ajudar a campanha de Gustavo Palmieri (PSB), ex-servidor de seu gabinete e atualmente vereador de São Vicente, que pretende se lançar candidato a deputado estadual. Ligado à causa animal, o republicano não tem descartado a pessoas próximas a hipótese de abandonar a vida pública com o desfecho desta legislatura, e apoiar seu irmão, Ricardo, no pleito subsequente, em 2020.

Procurado, Rautenberg não foi encontrado para comentar o assunto.
 

Comentários


Veja Também


Com sexto pedido de licença em seguida, Rautenberg completará um ano fora do mandato na Câmara

Eleito vereador de Santo André com a maior votação do Grande ABC – foram 7.863 votos no pleito de 2016 –, Roberto Rautenberg (PRB) pediu formalmente a sexta licença consecutiva e irá completar um ano fora do mandato na Câmara. O republicano oficializou, segundo informações do Legislativo, a solic...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar