Fechar
Publicidade

Domingo, 5 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Demanda doméstica cresce 34,13%



16/09/2010 | 07:02


As companhias aéreas brasileiras tiveram crescimento de 34,13% no fluxo de passageiros transportados no País em agosto, na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo dados divulgados ontem pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Já nas rotas internacionais realizadas pelas empresas brasileiras, houve no mês passado alta de 28,53% ante agosto de 2009.

No acumulado dos primeiros oito meses deste ano, as companhias aéreas brasileiras acumulam expansão de 27,04% no mercado nacional e de 17,34% no internacional.

OCUPAÇÃO
A taxa média de ocupação dos aviões aumentou. Nos voos domésticos, o índice saltou de 62,64% em agosto do ano passado para 70,27% em agosto deste ano. Nos voos internacionais, o crescimento do índice de ocupação dos assentos foi de 68,93% para 79,42%, considerando o mesmo período.

Em agosto, a TAM se manteve na liderança do mercado doméstico, com 42,61% de participação. Na segunda posição está a Gol/Varig, com 39%. A Azul é a terceira maior empresa brasileira, com 6,14% da fatia do mercado. Em seguida, está a WebJet, com participação de 5,82%. Avianca (antiga OceanAir) e Trip detêm 2,89% e 2,38% respectivamente de participação.

A demanda doméstica da TAM aumentou 30,49% nos últimos 12 meses; a da Gol/Varig, 27,81%; Azul, 64,74%; e WebJet, 56,58%.

Entre as empresas brasileiras que voam para o Exterior, a Gol/Varig registrou crescimento de 95,62% em agosto de 2010, com 15,88% de participação do mercado. A TAM é líder com 84,04% de participação e crescimento de 20,82% no mesmo período.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Demanda doméstica cresce 34,13%


16/09/2010 | 07:02


As companhias aéreas brasileiras tiveram crescimento de 34,13% no fluxo de passageiros transportados no País em agosto, na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo dados divulgados ontem pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Já nas rotas internacionais realizadas pelas empresas brasileiras, houve no mês passado alta de 28,53% ante agosto de 2009.

No acumulado dos primeiros oito meses deste ano, as companhias aéreas brasileiras acumulam expansão de 27,04% no mercado nacional e de 17,34% no internacional.

OCUPAÇÃO
A taxa média de ocupação dos aviões aumentou. Nos voos domésticos, o índice saltou de 62,64% em agosto do ano passado para 70,27% em agosto deste ano. Nos voos internacionais, o crescimento do índice de ocupação dos assentos foi de 68,93% para 79,42%, considerando o mesmo período.

Em agosto, a TAM se manteve na liderança do mercado doméstico, com 42,61% de participação. Na segunda posição está a Gol/Varig, com 39%. A Azul é a terceira maior empresa brasileira, com 6,14% da fatia do mercado. Em seguida, está a WebJet, com participação de 5,82%. Avianca (antiga OceanAir) e Trip detêm 2,89% e 2,38% respectivamente de participação.

A demanda doméstica da TAM aumentou 30,49% nos últimos 12 meses; a da Gol/Varig, 27,81%; Azul, 64,74%; e WebJet, 56,58%.

Entre as empresas brasileiras que voam para o Exterior, a Gol/Varig registrou crescimento de 95,62% em agosto de 2010, com 15,88% de participação do mercado. A TAM é líder com 84,04% de participação e crescimento de 20,82% no mesmo período.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;