Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 1 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Metade dos homens não se cuida

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Estudo mostra que 51% do público masculino
nunca se consultou com um médico urologista


Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

03/11/2015 | 07:00


Se foi o Outubro Rosa, com o movimento de conscientização à saúde da mulher; entra o Novembro Azul, para chamar a atenção dos homens a se cuidarem. E estudo realizado pela SBU (Sociedade Brasileira de Urologia) alerta o quanto isso é preciso: o levantamento apontou que 51% dos homens nunca consultaram um urologista. Feita em julho, a pesquisa abrangeu oito cidades brasileiras (São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador, Recife e Curitiba) e 3.200 homens foram entrevistados.

Como consequência do fato, a região registrou, de janeiro a agosto deste ano, 340 internações por neoplasia maligna de próstata, segundo dados do DataSUS (banco de dados do Ministério da Saúde). No mesmo período, 27 pessoas morreram vítimas da doença, que é a segunda mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não melanoma), de acordo com o Inca (Instituto Nacional de Câncer).

“A pesquisa mostra que mais da metade dos homens nunca foram ao urologista ou não vão regularmente e isso é muito preocupante, porque se o diagnóstico só é feito através de exames, quantos estão deixando de ser diagnosticados?”, salienta o presidente da Sociedade Brasileira de Urologia de São Paulo, Roni Fernandes. A recomendação da SBU é que os exames comecem a ser feitos a partir dos 50 anos e, em pessoas cuja família tem histórico de câncer, a orientação é antecipar para 45 anos.

Com 88 anos, o morador de Santo André Nelson Cerchiari é um dos que fazem parte da estatística. “Nunca fui ao urologista, não tenho nada, é muito difícil eu ir em médico”, fala.

Mas mesmo que se esbanje saúde e vitalidade, os especialistas alertam para a importância de se consultarem com periodicidade, já que o câncer de próstata não apresenta sintomas. “Na maior parte do tempo, é assintomático e avança de forma silenciosa. Quando apresenta algo, é porque já está avançado e as queixas mais comuns são dor óssea e dificuldade para urinar”, explica o urologista Marcus Augusto Elias de Mattos. “O paciente que não procura as formas preventivas pode perder a chance de tratamento. Em mais de 90% dos casos de câncer de próstata, se o tratamento é realizado no estágio inicial, há cura”, completa.

O câncer prostático pode ser diagnosticado por meio de exame físico e de dosagem no sangue da PSA – substância produzida pelas células da glândula prostática. “É importante fazer os dois, pois eles se complementam”, frisa Mattos.

Na maioria das vezes, a resistência dos homens em procurar um urologista se dá pelo receio e preconceito de se submeter ao exame de toque retal, mas não há o que temer. “É rápido, dura de 15 a 20 segundos, não dói e não é invasivo. Os homens precisam quebrar esse preconceito de que o toque vai tirar a virilidade ou mudar alguma coisa na esfera sexual”, ressalta Fernandes.

O aposentado Ozires Alves Rodrigues, 72, de Santo André, assina embaixo na fala do presidente da SBU e argumentou, inclusive, pouco depois de passar pela consulta com seu urologista. “É um exame tão rápido que nem dá para perceber que foi feito. Não fazer é machismo.”

Exame de ultrassonografia de próstata tem fila de espera

Das sete cidades da região, duas – Mauá e Santo André – informaram que há fila de espera para a realização de ultrassonografia de próstata, exame de imagem útil para se avaliar o tamanho e a presença de nódulos suspeitos. Os demais municípios não retornaram as informações.

No território mauaense, a Prefeitura informou que 442 homens aguardam vaga em serviço estadual.

“O município atende questões de urologia apenas nas ações de Atenção Básica e toda a demanda especializada é hoje de responsabilidade da Secretaria de Estado da Saúde nos AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades)”, disse o secretário municipal de Saúde, Luís Fernando Nogueira Tofani.

Em Santo André, a administração municipal afirmou que há espera com 285 guias para agendamento de ultrassonografia de próstata abdominal e 60 para ultrassonografia de próstata transretal. “Os números de vagas mensais são insuficientes para atender à demanda”, disse, em nota. A Secretaria de Estado da Saúde não retornou sobre o tema até o fechamento desta edição.

Outro importante exame para avaliar a próstata é a biópsia, solicitada quando há suspeita de tumores. Em 2014, foram feitas 65 avaliações em pacientes de Santo André pelo Estado. A cidade também ofertou 170 vagas, após assinar termo com a FMABC (Faculdade de Medicina do ABC). Neste ano, está registrada a realização de 32 biópsias em homens andreenses, feitas pelo Estado, já considerando as agendadas para este mês. A Prefeitura ressalta que a cidade não tem fila de espera para agendamento deste exame.

Cidades terão programação especial durante todo o mês

Para cumprir o objetivo da campanha Novembro Azul, que é diagnosticar casos de câncer de próstata no início, quando as chances de cura beiram 90%, as secretarias de Saúde do Grande ABC promoverão série de ações voltadas ao público masculino.

Em Santo André, palestras trarão informações sobre a doença. A primeira será realizada no dia 9, no período da manhã, na US (Unidade de Saúde) Parque Andreense. No mesmo dia, à tarde, a US Jardim Sorocaba promoverá prevenção do câncer de próstata e teste rápido para DST/Aids.
No dia 16, a palestra será na USF (Unidade de Saúde da Família) Jardim Santo Alberto, no período matutino. Nos dias 25 e 27, a ação será à tarde, na US Centro e US Utinga, respectivamente. Na manhã do dia 28, haverá avaliação da saúde do homem na Associação dos Funcionários Públicos e na USF Valparaíso.

Em Mauá, haverá na quinta-feira, na UBS (Unidade Básica de Saúde), palestras informativas, com espaço para perguntas e respostas com os médicos do local. No dia 28, ação abordará pela cidade todos os homens acima de 40 anos para informar sobre o exames de PSA.

Em São Caetano, a Secretaria de Saúde realizará, também no dia 28, das 8h às 13h, o Mutirão da Saúde do Homem, no Hospital São Caetano (Rua Espírito Santo, 277, bairro Santo Antônio). A ação será a sétima edição mensal do Programa Fila Zero.

A Prefeitura de Diadema informou que, até o momento, não está prevista programação especial para o Novembro Azul. As demais cidades não retornaram até o fechamento desta edição. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Metade dos homens não se cuida

Estudo mostra que 51% do público masculino
nunca se consultou com um médico urologista

Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

03/11/2015 | 07:00


Se foi o Outubro Rosa, com o movimento de conscientização à saúde da mulher; entra o Novembro Azul, para chamar a atenção dos homens a se cuidarem. E estudo realizado pela SBU (Sociedade Brasileira de Urologia) alerta o quanto isso é preciso: o levantamento apontou que 51% dos homens nunca consultaram um urologista. Feita em julho, a pesquisa abrangeu oito cidades brasileiras (São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador, Recife e Curitiba) e 3.200 homens foram entrevistados.

Como consequência do fato, a região registrou, de janeiro a agosto deste ano, 340 internações por neoplasia maligna de próstata, segundo dados do DataSUS (banco de dados do Ministério da Saúde). No mesmo período, 27 pessoas morreram vítimas da doença, que é a segunda mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não melanoma), de acordo com o Inca (Instituto Nacional de Câncer).

“A pesquisa mostra que mais da metade dos homens nunca foram ao urologista ou não vão regularmente e isso é muito preocupante, porque se o diagnóstico só é feito através de exames, quantos estão deixando de ser diagnosticados?”, salienta o presidente da Sociedade Brasileira de Urologia de São Paulo, Roni Fernandes. A recomendação da SBU é que os exames comecem a ser feitos a partir dos 50 anos e, em pessoas cuja família tem histórico de câncer, a orientação é antecipar para 45 anos.

Com 88 anos, o morador de Santo André Nelson Cerchiari é um dos que fazem parte da estatística. “Nunca fui ao urologista, não tenho nada, é muito difícil eu ir em médico”, fala.

Mas mesmo que se esbanje saúde e vitalidade, os especialistas alertam para a importância de se consultarem com periodicidade, já que o câncer de próstata não apresenta sintomas. “Na maior parte do tempo, é assintomático e avança de forma silenciosa. Quando apresenta algo, é porque já está avançado e as queixas mais comuns são dor óssea e dificuldade para urinar”, explica o urologista Marcus Augusto Elias de Mattos. “O paciente que não procura as formas preventivas pode perder a chance de tratamento. Em mais de 90% dos casos de câncer de próstata, se o tratamento é realizado no estágio inicial, há cura”, completa.

O câncer prostático pode ser diagnosticado por meio de exame físico e de dosagem no sangue da PSA – substância produzida pelas células da glândula prostática. “É importante fazer os dois, pois eles se complementam”, frisa Mattos.

Na maioria das vezes, a resistência dos homens em procurar um urologista se dá pelo receio e preconceito de se submeter ao exame de toque retal, mas não há o que temer. “É rápido, dura de 15 a 20 segundos, não dói e não é invasivo. Os homens precisam quebrar esse preconceito de que o toque vai tirar a virilidade ou mudar alguma coisa na esfera sexual”, ressalta Fernandes.

O aposentado Ozires Alves Rodrigues, 72, de Santo André, assina embaixo na fala do presidente da SBU e argumentou, inclusive, pouco depois de passar pela consulta com seu urologista. “É um exame tão rápido que nem dá para perceber que foi feito. Não fazer é machismo.”

Exame de ultrassonografia de próstata tem fila de espera

Das sete cidades da região, duas – Mauá e Santo André – informaram que há fila de espera para a realização de ultrassonografia de próstata, exame de imagem útil para se avaliar o tamanho e a presença de nódulos suspeitos. Os demais municípios não retornaram as informações.

No território mauaense, a Prefeitura informou que 442 homens aguardam vaga em serviço estadual.

“O município atende questões de urologia apenas nas ações de Atenção Básica e toda a demanda especializada é hoje de responsabilidade da Secretaria de Estado da Saúde nos AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades)”, disse o secretário municipal de Saúde, Luís Fernando Nogueira Tofani.

Em Santo André, a administração municipal afirmou que há espera com 285 guias para agendamento de ultrassonografia de próstata abdominal e 60 para ultrassonografia de próstata transretal. “Os números de vagas mensais são insuficientes para atender à demanda”, disse, em nota. A Secretaria de Estado da Saúde não retornou sobre o tema até o fechamento desta edição.

Outro importante exame para avaliar a próstata é a biópsia, solicitada quando há suspeita de tumores. Em 2014, foram feitas 65 avaliações em pacientes de Santo André pelo Estado. A cidade também ofertou 170 vagas, após assinar termo com a FMABC (Faculdade de Medicina do ABC). Neste ano, está registrada a realização de 32 biópsias em homens andreenses, feitas pelo Estado, já considerando as agendadas para este mês. A Prefeitura ressalta que a cidade não tem fila de espera para agendamento deste exame.

Cidades terão programação especial durante todo o mês

Para cumprir o objetivo da campanha Novembro Azul, que é diagnosticar casos de câncer de próstata no início, quando as chances de cura beiram 90%, as secretarias de Saúde do Grande ABC promoverão série de ações voltadas ao público masculino.

Em Santo André, palestras trarão informações sobre a doença. A primeira será realizada no dia 9, no período da manhã, na US (Unidade de Saúde) Parque Andreense. No mesmo dia, à tarde, a US Jardim Sorocaba promoverá prevenção do câncer de próstata e teste rápido para DST/Aids.
No dia 16, a palestra será na USF (Unidade de Saúde da Família) Jardim Santo Alberto, no período matutino. Nos dias 25 e 27, a ação será à tarde, na US Centro e US Utinga, respectivamente. Na manhã do dia 28, haverá avaliação da saúde do homem na Associação dos Funcionários Públicos e na USF Valparaíso.

Em Mauá, haverá na quinta-feira, na UBS (Unidade Básica de Saúde), palestras informativas, com espaço para perguntas e respostas com os médicos do local. No dia 28, ação abordará pela cidade todos os homens acima de 40 anos para informar sobre o exames de PSA.

Em São Caetano, a Secretaria de Saúde realizará, também no dia 28, das 8h às 13h, o Mutirão da Saúde do Homem, no Hospital São Caetano (Rua Espírito Santo, 277, bairro Santo Antônio). A ação será a sétima edição mensal do Programa Fila Zero.

A Prefeitura de Diadema informou que, até o momento, não está prevista programação especial para o Novembro Azul. As demais cidades não retornaram até o fechamento desta edição. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;