Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 22 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Mãe compra machado e tenta matar filho


Maíra Sanches
Do Diário do Grande ABC

12/03/2011 | 07:03


Uma mulher de 59 anos foi presa ao tentar matar o filho a machadadas na madrugada de ontem, no Jardim das Maravilhas, em Santo André. O estudante de engenharia M. W. P., 29, estava dormindo por volta de 2h quando recebeu dois golpes na cabeça. À polícia, A. M. P. disse que, antes de cometer suicídio, o objetivo era matar o jovem e a outra filha, de 27 anos.

A vítima está fora de perigo e seu estado de saúde é estável, mas segue internada no Hospital Bartira, em Santo André. Há três anos, ela tentou matar o filho pela primeira vez com facadas no pescoço, mas o estudante não registrou boletim de ocorrência.

A acusada confessou que planejou o homicídio e que comprou o machado há uma semana. Três frascos de álcool e dois de removedor seriam usados para atear fogo ao seu corpo após matar W.. De acordo com informações da polícia, a autora do crime, que toma antidepressivos, parece sofrer de transtorno bipolar. "Ela nem percebeu o que aconteceu e confessou sem emoção", relatou a delegada titular do 5º Distrito Policial, Vera Lúcia Pereira Araújo.

A sanidade mental da acusada ficou comprometida após a morte de seu marido, em 2002. "Foi a depressão que me fez isso ao longo dos anos. Preciso de tratamento. Não tenho noção de tudo o que fiz. Me sinto um lixo", declarou a acusada, que disse ter pago R$ 27 pelo machado.

A avaliação de psiquiatras forenses, que será realizada nos próximos dias, vai ser decisiva para saber se a autora do crime pode ou não responder pelos seus atos. Dependendo do diagnóstico, o juiz poderá determinar medida de internação, caso seja necessária.

O boletim de ocorrência foi registrado como tentativa de homicídio qualificado, uma vez que a mãe premeditou o crime e a vítima não teve chance de defesa.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mãe compra machado e tenta matar filho

Maíra Sanches
Do Diário do Grande ABC

12/03/2011 | 07:03


Uma mulher de 59 anos foi presa ao tentar matar o filho a machadadas na madrugada de ontem, no Jardim das Maravilhas, em Santo André. O estudante de engenharia M. W. P., 29, estava dormindo por volta de 2h quando recebeu dois golpes na cabeça. À polícia, A. M. P. disse que, antes de cometer suicídio, o objetivo era matar o jovem e a outra filha, de 27 anos.

A vítima está fora de perigo e seu estado de saúde é estável, mas segue internada no Hospital Bartira, em Santo André. Há três anos, ela tentou matar o filho pela primeira vez com facadas no pescoço, mas o estudante não registrou boletim de ocorrência.

A acusada confessou que planejou o homicídio e que comprou o machado há uma semana. Três frascos de álcool e dois de removedor seriam usados para atear fogo ao seu corpo após matar W.. De acordo com informações da polícia, a autora do crime, que toma antidepressivos, parece sofrer de transtorno bipolar. "Ela nem percebeu o que aconteceu e confessou sem emoção", relatou a delegada titular do 5º Distrito Policial, Vera Lúcia Pereira Araújo.

A sanidade mental da acusada ficou comprometida após a morte de seu marido, em 2002. "Foi a depressão que me fez isso ao longo dos anos. Preciso de tratamento. Não tenho noção de tudo o que fiz. Me sinto um lixo", declarou a acusada, que disse ter pago R$ 27 pelo machado.

A avaliação de psiquiatras forenses, que será realizada nos próximos dias, vai ser decisiva para saber se a autora do crime pode ou não responder pelos seus atos. Dependendo do diagnóstico, o juiz poderá determinar medida de internação, caso seja necessária.

O boletim de ocorrência foi registrado como tentativa de homicídio qualificado, uma vez que a mãe premeditou o crime e a vítima não teve chance de defesa.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;