Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 3 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Preço da carne sobe
11,5% nos açougues


Alexandre Melo
Do Diário do Grande ABC

28/12/2010 | 07:09


Os preços das carnes nos açougues ficaram 11,51% mais altos em novembro na comparação com outubro, conforme o IPV (Índice de Preços no Varejo) verificado pela Fecomercio (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo). Em 2010, o índice acumula alta de 4,28%.

A assessora econômica da associação, Júlia Ximenes, explica que os aumento sucessivos devem-se à forte variação no preço de proteínas como a soja e o milho.

"Questões climáticas como seca nos pastos e as instabilidades prejudicaram as safras dessas commodities, produtos que servem de ração para os animais."

No ano, o preço das carnes já acumula alta de 30,55%. As carnes bovinas foram as que tiveram a maior valorização em novembro, com alta de 13,37%. As carnes suínas e as aves ficaram, respectivamente, 6,47% e 3,78% mais salgadas no período.

De acordo com a economista, apesar do País ser um grande produtor de carne, fatia importante da produção é destinada para exportação. Como o preço na venda para outros países é muito bom, os produtores vão atrás de quem paga mais.

"A colheita da nova safra de grãos deverá pressionar os preços para baixo. Por enquanto, as famílias brasileiras não têm outra alternativas a esses produtos, visto que quando a carne bovina sobe, as demais acompanham a evolução no preço", observa Júlia.

SUPERMERCADOS - Outro setor responsável pela elevação do IPV foi o de supermercados. Em média, os produtos deste segmento ficaram 1,2% mais caros. Apesar de o número não parecer tão expressivo quanto o dos açougues, o setor é o que tem maior peso na composição do indicador (32%).

Entre os produtos com maiores altas estão o açúcar e os adoçantes, que ficaram 10,65% e 8,54% mais caros, respectivamente. O pãozinho francês e os demais produtos de panificação ficaram 0,5% mais caros e completaram 13 meses de elevação consecutiva. (com AE)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;