Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 27 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Nardini inicia remoção de pacientes para UTI

Denis Maciel/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Alocados em centro de tratamento improvisado, dez enfermos vão ocupar leitos reformados


Daniel Macário
Do Diário do Grande ABC

09/11/2018 | 07:00


 Dez pacientes alocados em espaço improvisado do Hospital Dr. Radamés Nardini, em Mauá, serão removidos, a partir de hoje, para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva), reaberta ontem, de maneira parcial, no primeiro andar do complexo hospitalar.

Ao todo, dez leitos passaram por reforma, que abrangeu troca de pisos, instalação de sistema de climatização e ar-condicionado, bem como redes elétrica e hidráulica. Ainda foram realizadas as revitalizações da farmácia e do almoxarifado da unidade de Saúde. Segundo a Prefeitura, foi investido R$ 1,2 milhão em recursos estaduais e municipais na intervenção.

Reaberta ontem, a UTI adulta deve receber nos próximos dias reparos finais, mesmo após sua entrega. Isso porque apenas dois leitos estavam totalmente equipados com cama e aparelhos em sua inauguração. A expectativa é a de que o restante dos itens seja instalado conforme a transferência de pacientes para o local.

Com a medida, a estrutura do complexo hospitalar da cidade volta a ter 20 leitos de UTI adulta e outros 16 divididos entre as salas amarela e vermelha da emergência do hospital. O Nardini conta ainda com 22 UTIs neonatal.

Internados em estado grave, os enfermos foram direcionados nos últimos seis meses para centro de tratamento situado em área ociosa, no segundo piso do hospital. Isso porque, embora estivesse equipada com todos os itens de unidade intensiva, a antiga UTI não contava com acomodações próprias para o tratamento de munícipes, conforme apurado pelo Diário. Um dos pontos desrespeitados era o espaço de no mínimo dois metros entre cada leito. “Neste local onde os pacientes estão hoje, o espaçamento dos leitos não chega a 1,20 metro”, afirmou a diretora técnica do Nardini, Ádlin Savino.

Para o prefeito Atila Jacomussi (PSB), a entrega do equipamento revitalizado permitirá atendimento humanizado aos pacientes do equipamento de Saúde. “Essa nova UTI é uma das mais modernas da região, com aparelhos de última geração”, enfatiza. Segundo ele, com a entrega dos dez leitos revitalizados, o Nardini passa a receber, a partir dos próximos meses, a readequação de sua maternidade – cujas obras estão paradas desde janeiro.

A entrega da UTI, após revitalização, permitirá que o setor de maternidade tenha 19 leitos de pré-parto, parto e pós-parto, sendo dez deles como centro de parto normal, dez leitos de UTI neonatal, 15 leitos de cuidados intermediários e cinco na unidade mamãe canguru. A revitalização também prevê novo centro obstétrico. A estimativa é a de que esta etapa de obras remanescentes consuma cerca de R$ 2,2 milhões.

O espaço que foi improvisado como UTI nos últimos meses, no segundo andar, também deverá passar por reforma. A área deverá abrigar leitos de unidade intensiva de adultos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Nardini inicia remoção de pacientes para UTI

Alocados em centro de tratamento improvisado, dez enfermos vão ocupar leitos reformados

Daniel Macário
Do Diário do Grande ABC

09/11/2018 | 07:00


 Dez pacientes alocados em espaço improvisado do Hospital Dr. Radamés Nardini, em Mauá, serão removidos, a partir de hoje, para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva), reaberta ontem, de maneira parcial, no primeiro andar do complexo hospitalar.

Ao todo, dez leitos passaram por reforma, que abrangeu troca de pisos, instalação de sistema de climatização e ar-condicionado, bem como redes elétrica e hidráulica. Ainda foram realizadas as revitalizações da farmácia e do almoxarifado da unidade de Saúde. Segundo a Prefeitura, foi investido R$ 1,2 milhão em recursos estaduais e municipais na intervenção.

Reaberta ontem, a UTI adulta deve receber nos próximos dias reparos finais, mesmo após sua entrega. Isso porque apenas dois leitos estavam totalmente equipados com cama e aparelhos em sua inauguração. A expectativa é a de que o restante dos itens seja instalado conforme a transferência de pacientes para o local.

Com a medida, a estrutura do complexo hospitalar da cidade volta a ter 20 leitos de UTI adulta e outros 16 divididos entre as salas amarela e vermelha da emergência do hospital. O Nardini conta ainda com 22 UTIs neonatal.

Internados em estado grave, os enfermos foram direcionados nos últimos seis meses para centro de tratamento situado em área ociosa, no segundo piso do hospital. Isso porque, embora estivesse equipada com todos os itens de unidade intensiva, a antiga UTI não contava com acomodações próprias para o tratamento de munícipes, conforme apurado pelo Diário. Um dos pontos desrespeitados era o espaço de no mínimo dois metros entre cada leito. “Neste local onde os pacientes estão hoje, o espaçamento dos leitos não chega a 1,20 metro”, afirmou a diretora técnica do Nardini, Ádlin Savino.

Para o prefeito Atila Jacomussi (PSB), a entrega do equipamento revitalizado permitirá atendimento humanizado aos pacientes do equipamento de Saúde. “Essa nova UTI é uma das mais modernas da região, com aparelhos de última geração”, enfatiza. Segundo ele, com a entrega dos dez leitos revitalizados, o Nardini passa a receber, a partir dos próximos meses, a readequação de sua maternidade – cujas obras estão paradas desde janeiro.

A entrega da UTI, após revitalização, permitirá que o setor de maternidade tenha 19 leitos de pré-parto, parto e pós-parto, sendo dez deles como centro de parto normal, dez leitos de UTI neonatal, 15 leitos de cuidados intermediários e cinco na unidade mamãe canguru. A revitalização também prevê novo centro obstétrico. A estimativa é a de que esta etapa de obras remanescentes consuma cerca de R$ 2,2 milhões.

O espaço que foi improvisado como UTI nos últimos meses, no segundo andar, também deverá passar por reforma. A área deverá abrigar leitos de unidade intensiva de adultos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;