Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 5 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Hospital passa a contar com sistema que trará economia

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Parceria com a Comgás para aquecimento por gás
natural ajudará Paço a economizar R$ 36 mil por ano


Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

06/05/2017 | 07:00


A Prefeitura de São Bernardo oficializou ontem parceria com a empresa de fornecimento de gás natural Comgás para que o Hospital de Clínicas seja o primeiro da cidade a dispor de sistema de aquecimento movido por energia sustentável, ao invés de GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), popularmente conhecido como gás de botijão. O equipamento responsável para a canalização e utilização do gás – já em funcionamento na unidade – foi cedido pela companhia, sem investimento financeiro da Prefeitura. O custo arcado pela empresa foi de R$ 270 mil.

“A implantação do gás natural no sistema vai gerar economia de R$ 3.000 mensais, o que dará R$ 36 mil em um ano e no meu mandato R$ 130 mil”, salientou o prefeito Orlando Morando (PSDB), lembrando que o hospital agora está pronto para atender os 257 leitos com água quente. “Tenho pedido sistematicamente para as empresas estenderem as mãos e ajudar o poder público. Tenho clareza de que este modelo de parceria com a iniciativa privada é o ideal neste momento de grave crise econômica”, completou o chefe do Executivo.

Na ocasião, o prefeito anunciou que os outros três hospitais da cidade – Hospital Anchieta, HMU (Hospital Municipal Universitário) e o Pronto-Socorro Central – também contarão com gás natural. Para estas unidades, ainda não há prazo definido para a implantação, segundo o gerente executivo de relações institucionais da Comgás, Antonio Henrique Gross. “Vamos ter de fazer estudo para verificar qual a condição em que estão os hospitais”, explicou.

Gross destacou que, além de o gás natural ser menos poluente em comparação ao GLP, também traz mais segurança. “Com a troca, (o hospital vai) deixar de armazenar um cilindro enorme com 1.000 quilos de GLP, que é uma bomba. Agora, o gás chega pelo tubo. Não precisa mais de armazenamento.”

FROTA

Os 300 veículos que integram a frota da Prefeitura também serão equipados com gás natural, com os conversores doados pela Comgás. O processo será feito de forma gradativa, segundo o prefeito. “Estamos instalando na frota com menos de dez anos. Hoje, gastamos R$ 4,8 milhões por ano com combustível para abastecer estes carros. Quando conseguirmos implantar o gás em toda a frota, economizaremos metade”, frisou Morando. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Hospital passa a contar com sistema que trará economia

Parceria com a Comgás para aquecimento por gás
natural ajudará Paço a economizar R$ 36 mil por ano

Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

06/05/2017 | 07:00


A Prefeitura de São Bernardo oficializou ontem parceria com a empresa de fornecimento de gás natural Comgás para que o Hospital de Clínicas seja o primeiro da cidade a dispor de sistema de aquecimento movido por energia sustentável, ao invés de GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), popularmente conhecido como gás de botijão. O equipamento responsável para a canalização e utilização do gás – já em funcionamento na unidade – foi cedido pela companhia, sem investimento financeiro da Prefeitura. O custo arcado pela empresa foi de R$ 270 mil.

“A implantação do gás natural no sistema vai gerar economia de R$ 3.000 mensais, o que dará R$ 36 mil em um ano e no meu mandato R$ 130 mil”, salientou o prefeito Orlando Morando (PSDB), lembrando que o hospital agora está pronto para atender os 257 leitos com água quente. “Tenho pedido sistematicamente para as empresas estenderem as mãos e ajudar o poder público. Tenho clareza de que este modelo de parceria com a iniciativa privada é o ideal neste momento de grave crise econômica”, completou o chefe do Executivo.

Na ocasião, o prefeito anunciou que os outros três hospitais da cidade – Hospital Anchieta, HMU (Hospital Municipal Universitário) e o Pronto-Socorro Central – também contarão com gás natural. Para estas unidades, ainda não há prazo definido para a implantação, segundo o gerente executivo de relações institucionais da Comgás, Antonio Henrique Gross. “Vamos ter de fazer estudo para verificar qual a condição em que estão os hospitais”, explicou.

Gross destacou que, além de o gás natural ser menos poluente em comparação ao GLP, também traz mais segurança. “Com a troca, (o hospital vai) deixar de armazenar um cilindro enorme com 1.000 quilos de GLP, que é uma bomba. Agora, o gás chega pelo tubo. Não precisa mais de armazenamento.”

FROTA

Os 300 veículos que integram a frota da Prefeitura também serão equipados com gás natural, com os conversores doados pela Comgás. O processo será feito de forma gradativa, segundo o prefeito. “Estamos instalando na frota com menos de dez anos. Hoje, gastamos R$ 4,8 milhões por ano com combustível para abastecer estes carros. Quando conseguirmos implantar o gás em toda a frota, economizaremos metade”, frisou Morando. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;