Fechar
Publicidade

Sábado, 15 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Defesa do Consumidor

defesadoconsumidor@dgabc.com.br | 4435-8057

Morador de Mauá compra balcão na LojasKD e não recebe

Roberto Mourão/ Foto do leitor  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Marília Montich
Do Diário OnLine

12/07/2018 | 07:00


O fotojornalista de Mauá Roberto Mourão, 49 anos, comprou um balcão com nichos para o escritório da esposa no valor de R$ 192 na LojasKD no dia 26 de abril, porém não recebeu o móvel até hoje.

Inicialmente, a entrega estava prevista para acontecer entre os dias 6 e 12 de junho. “Eu entrava na área do cliente e lá dizia que o andamento do pedido estava normal e que excepcionalmente aconteceria algum atraso. Só que o prazo passou. Aí vieram com outra história, de que prorrogariam para 30 de junho, por conta da greve dos caminhoneiros”, lembra o morador de Mauá. Novamente a entrega não foi realizada no tempo prometido e novo prazo foi estabelecido: 30 de julho. “Tenho certeza que não será cumprido mais uma vez”, aposta.

Toda a comunicação entre Mourão e a LojasKD foi feita na área do cliente, uma vez que a empresa não disponibiliza e-mail ou número de telefone para contato. O consumidor explica que só não optou pelo cancelamento porque teme não ser ressarcido como tantos outros clientes sobre os quais tomou conhecimento, alguns, inclusive, através de casos noticiados por esta coluna. Clique abaixo para relembrá-los:

Bancária não consegue devolução de dinheiro após cancelamento na LojasKD

Consumidora enfrenta problema com entrega de móveis da Lojas KD

Loja cancela compra e cliente consegue ressarcimento pelo cartão de crédito

“Foi a primeira vez que entrei neste site. Comprei porque o prazo da loja era menor que o dos concorrentes. Fiz pesquisa e não encontrei nada que desabonasse o serviço no começo”, conta.

Sem conseguir comunicação eficiente com a loja, o fotojornalista fez duas queixas no Reclame Aqui. “Da primeira vez disseram que tudo tinha sido resolvido pela área do cliente, o que é mentira. Fiz uma nova reclamação e estou aguardando resposta.”

O Diário entrou em contato com a LojasKD, que informou que, no início de maio, protocolou na Vara Cível de Pinhais, no Paraná, seu pedido de recuperação judicial. “A medida garantirá à empresa o fôlego financeiro e o tempo necessários para  reorganizar sua operação e garantir o cumprimento de todas as suas obrigações com clientes e fornecedores”, disse, em nota.

Ainda segundo o posicionamento oficial enviado à coluna, nos últimos 12 meses, a LojasKD realizou cerca de 200 mil vendas, sendo que desse total, cerca de 8% não puderam ser atendidas.

“Os consumidores que pagaram e não receberam seus produtos tiveram seus pedidos cancelados - integral ou parcialmente - e foram informados pelo site sobre como proceder para ter o dinheiro restituído. O procedimento adotado na recuperação judicial garante que esses consumidores terão os valores pagos restituídos, de acordo com o plano a ser aprovado pela Justiça”, completou a nota.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Morador de Mauá compra balcão na LojasKD e não recebe

Marília Montich
Do Diário OnLine

12/07/2018 | 07:00


O fotojornalista de Mauá Roberto Mourão, 49 anos, comprou um balcão com nichos para o escritório da esposa no valor de R$ 192 na LojasKD no dia 26 de abril, porém não recebeu o móvel até hoje.

Inicialmente, a entrega estava prevista para acontecer entre os dias 6 e 12 de junho. “Eu entrava na área do cliente e lá dizia que o andamento do pedido estava normal e que excepcionalmente aconteceria algum atraso. Só que o prazo passou. Aí vieram com outra história, de que prorrogariam para 30 de junho, por conta da greve dos caminhoneiros”, lembra o morador de Mauá. Novamente a entrega não foi realizada no tempo prometido e novo prazo foi estabelecido: 30 de julho. “Tenho certeza que não será cumprido mais uma vez”, aposta.

Toda a comunicação entre Mourão e a LojasKD foi feita na área do cliente, uma vez que a empresa não disponibiliza e-mail ou número de telefone para contato. O consumidor explica que só não optou pelo cancelamento porque teme não ser ressarcido como tantos outros clientes sobre os quais tomou conhecimento, alguns, inclusive, através de casos noticiados por esta coluna. Clique abaixo para relembrá-los:

Bancária não consegue devolução de dinheiro após cancelamento na LojasKD

Consumidora enfrenta problema com entrega de móveis da Lojas KD

Loja cancela compra e cliente consegue ressarcimento pelo cartão de crédito

“Foi a primeira vez que entrei neste site. Comprei porque o prazo da loja era menor que o dos concorrentes. Fiz pesquisa e não encontrei nada que desabonasse o serviço no começo”, conta.

Sem conseguir comunicação eficiente com a loja, o fotojornalista fez duas queixas no Reclame Aqui. “Da primeira vez disseram que tudo tinha sido resolvido pela área do cliente, o que é mentira. Fiz uma nova reclamação e estou aguardando resposta.”

O Diário entrou em contato com a LojasKD, que informou que, no início de maio, protocolou na Vara Cível de Pinhais, no Paraná, seu pedido de recuperação judicial. “A medida garantirá à empresa o fôlego financeiro e o tempo necessários para  reorganizar sua operação e garantir o cumprimento de todas as suas obrigações com clientes e fornecedores”, disse, em nota.

Ainda segundo o posicionamento oficial enviado à coluna, nos últimos 12 meses, a LojasKD realizou cerca de 200 mil vendas, sendo que desse total, cerca de 8% não puderam ser atendidas.

“Os consumidores que pagaram e não receberam seus produtos tiveram seus pedidos cancelados - integral ou parcialmente - e foram informados pelo site sobre como proceder para ter o dinheiro restituído. O procedimento adotado na recuperação judicial garante que esses consumidores terão os valores pagos restituídos, de acordo com o plano a ser aprovado pela Justiça”, completou a nota.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;