Fechar
Publicidade

Domingo, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Indústria paulista contrata menos em maio, apura Ciesp


Da Agência Brasil

22/06/2005 | 19:35


O nível de emprego na indústria paulista no mês de maio caiu para 0,38% – em abril estava em 0,47% – de acordo com apuração divulgada pelo Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo). Para o diretor do Departamento de Economia da instituição, Bóris Tabacof, "confirma-se a tendência desde os últimos meses do ano passado e não há dúvidas de que está havendo uma desaceleração da economia".

Foram gerados, em maio, 7.428 novos empregos (diferença entre contratações e demissões) na indústria de transformação, o que corresponde à metade do que a indústria contratou em maio do ano passado (14.569 vagas). No acumulado desde janeiro, foram gerados 40.116 empregos, um número 11% inferior aos 45.379 do mesmo período no ano passado.

Segundo Boris Tabacof, há relação direta entre as altas nas taxas de juros definidas pelo Banco Central, a partir de setembro, e os níveis de emprego, quando se observa a tabela de níveis de contratação acumulados em 12 meses contínuos. Nesse índice acumulado, em 2004 as contratações cresceram até outubro, mas depois permaneceram relativamente estáveis, só declinando em maio.

Os setores que mais contrataram foram os de Alimentos (3,4%) e de Destilação de Álcool (5%), este impulsionado pela produção do açúcar. Os que mais demitiram foram o Têxtil (-1,32%) e o de Calçados (-2,37%), que sofreram as conseqüências diretas da valorização do Real, com prejuízo para as exportações. O representante da Ciesp também argumenta que os juros altos no Brasil representam um adicional nos custos de produção, prejudicando a indústria do país.

As cidades de Sertãozinho, Piracicaba e Araraquara apresentaram os melhores resultados na geração de empregos na indústria neste ano, com 12,43%, 8,96% e 7,35%, respectivamente. Os piores desempenhos foram os de Franca (-1,15%), Matão (-1,30%) e Marília (–2,16%).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Indústria paulista contrata menos em maio, apura Ciesp

Da Agência Brasil

22/06/2005 | 19:35


O nível de emprego na indústria paulista no mês de maio caiu para 0,38% – em abril estava em 0,47% – de acordo com apuração divulgada pelo Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo). Para o diretor do Departamento de Economia da instituição, Bóris Tabacof, "confirma-se a tendência desde os últimos meses do ano passado e não há dúvidas de que está havendo uma desaceleração da economia".

Foram gerados, em maio, 7.428 novos empregos (diferença entre contratações e demissões) na indústria de transformação, o que corresponde à metade do que a indústria contratou em maio do ano passado (14.569 vagas). No acumulado desde janeiro, foram gerados 40.116 empregos, um número 11% inferior aos 45.379 do mesmo período no ano passado.

Segundo Boris Tabacof, há relação direta entre as altas nas taxas de juros definidas pelo Banco Central, a partir de setembro, e os níveis de emprego, quando se observa a tabela de níveis de contratação acumulados em 12 meses contínuos. Nesse índice acumulado, em 2004 as contratações cresceram até outubro, mas depois permaneceram relativamente estáveis, só declinando em maio.

Os setores que mais contrataram foram os de Alimentos (3,4%) e de Destilação de Álcool (5%), este impulsionado pela produção do açúcar. Os que mais demitiram foram o Têxtil (-1,32%) e o de Calçados (-2,37%), que sofreram as conseqüências diretas da valorização do Real, com prejuízo para as exportações. O representante da Ciesp também argumenta que os juros altos no Brasil representam um adicional nos custos de produção, prejudicando a indústria do país.

As cidades de Sertãozinho, Piracicaba e Araraquara apresentaram os melhores resultados na geração de empregos na indústria neste ano, com 12,43%, 8,96% e 7,35%, respectivamente. Os piores desempenhos foram os de Franca (-1,15%), Matão (-1,30%) e Marília (–2,16%).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;