Fechar
Publicidade

Sábado, 27 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Israel declara guerra aos hooligans


Da AFP

30/11/2004 | 20:17


As autoridades de Israel, preocupadas com o aumento da violência nos estádios do país, empreenderam nesta semana uma ofensiva sem precedentes contra os 'hooligans' – torcedores conhecidos por seus atos violentos. Numa verdadeira declaração de guerra, os ministérios de Educação, Segurança e Justiça, bem como o Parlamento, se mobilizaram para combater esse flagelo.

Demonstrando uma unanimidade pouco comum, os deputados do Knesset (parlamento), reunidos extraordinariamente, anunciaram um projeto de lei que prevê pena de um ano de prisão e a proibição de entrar nos estádios por três anos dos torcedores detidos com qualquer objeto que parece uma arma. Também foi formada uma brigada especial de "polícia para os estádios", com a finalidade de identificar e prender os torcedores violentos.

A Federação Israelense de Futebol, pelo seu lado, terá observadores entre as torcidas, que fotografarão e filmarão quaisquer atos agressivos na arquibancada. Uma foto recente mostra perfeitamente a extensão perfeitamente a extensão do problema. Mostra "hooligans" empunhando um martelo durante o clássico israelense entre o Maccabi e o Hapoel, que terminou com uma briga descomunal nas ruas de Jaffah.

"As partidas de futebol deveriam desenvolver-se num ambiente de harmonia (...) Lamentavelmente, se tem quatro ou cinco times cujas torcidas são problemáticas", lamentou o chefe de polícia, Moshé Karadi.

Algumas partidas brigas de ruas que uma disputa esportiva. Cartazes, pinturas de guerra, mas também punhais, petardos, garrafas, pedras, e garrotes formam parte do armamento do "hooligan".

Também se ouve gritos racistas. Alguns torcedores fazem os gestos dos macacos quando um jogador árabe o negro toca na bola. "Nos preparamos para os jogos como para guerra, e nos reunimos para avaliar cada situação com nossos serviços de informação. Nossa determinação é tolerância zero para a violência", assinalou o porta-voz da polícia de Jerusalém, Schmouel Ben Ruby.

Yitshé Menachem, presidente da Federação Israelense de Futebol, propõe a aplicação do exemplo inglês "endurecendo" as sanções e apelou para se tratasse deste "mal pela raiz, a partir do ensino primário".

Na sua opinião o "hooliganismo" nos estádios é fenômeno que reflete as tensões globais da sociedade israelense, o estado de guerra permanente, a pobreza em crescimento, o que se manifesta em particular nas escolas, nas rodovias, a violência contra as mulheres ou a guerra entre bandos.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;