Fechar
Publicidade

Sábado, 31 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Dólar cai com balança chinesa, mas desacelera ajuste com piora do petróleo

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


14/07/2020 | 09:52


O dólar opera em baixa no mercado doméstico nesta terça-feira, após ter subido mais de 1% ontem, guiado pela desvalorização predominante no exterior em relação a divisas principais e emergentes ligadas a commodities. Investidores se animam com os dados da balança comercial chinesa melhores que o esperado em junho, que reforçam os sinais de retomada econômica na China.

O índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) de maio veio pior que o esperado. O indicador subiu 1,31% no quinto mês, ficando aquém do piso de 1,9% das estimativas na pesquisa do Projeções Broadcast, do sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, cujo teto era de 7,2%, com mediana de 4,4%. Na comparação com maio de 2019, caiu 14,24%, o que veio mais intenso que a mediana de recuo de 12,2% (intervalo de -16,3% a -9,8%).

Mais cedo, a moeda americana desacelerou a queda ante o real, reagindo a uma piora do petróleo depois que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) previu que a demanda pelo óleo em 2021 ainda estará abaixo do nível pré-crise, apesar da tendência de recuperação da economia global

Às 9h37 desta terça, o dólar à vista caía 0,18%, a R$ 5,3774. O dólar futuro para agosto cedia 0,42%, a R$ 5,3850.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dólar cai com balança chinesa, mas desacelera ajuste com piora do petróleo


14/07/2020 | 09:52


O dólar opera em baixa no mercado doméstico nesta terça-feira, após ter subido mais de 1% ontem, guiado pela desvalorização predominante no exterior em relação a divisas principais e emergentes ligadas a commodities. Investidores se animam com os dados da balança comercial chinesa melhores que o esperado em junho, que reforçam os sinais de retomada econômica na China.

O índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) de maio veio pior que o esperado. O indicador subiu 1,31% no quinto mês, ficando aquém do piso de 1,9% das estimativas na pesquisa do Projeções Broadcast, do sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, cujo teto era de 7,2%, com mediana de 4,4%. Na comparação com maio de 2019, caiu 14,24%, o que veio mais intenso que a mediana de recuo de 12,2% (intervalo de -16,3% a -9,8%).

Mais cedo, a moeda americana desacelerou a queda ante o real, reagindo a uma piora do petróleo depois que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) previu que a demanda pelo óleo em 2021 ainda estará abaixo do nível pré-crise, apesar da tendência de recuperação da economia global

Às 9h37 desta terça, o dólar à vista caía 0,18%, a R$ 5,3774. O dólar futuro para agosto cedia 0,42%, a R$ 5,3850.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;