Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Lauro costura coligação entre PV e PCdoB


Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

19/02/2016 | 07:00


Uma das metas traçadas pelo prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), com vistas à sucessão municipal de outubro é formalizar no mês que vem coligação entre o PV e o PCdoB, cujo maior expoente na cidade é o ex-vereador Laércio Soares – hoje assessor especial na gestão municipal e antigo aliado do PT.

O maior objetivo de Lauro com a aliança é justamente garantir o retorno do comunista à Câmara. Laércio foi vereador em cinco mandatos, mas não se reelegeu em 2012. E, ao lado do presidente do Legislativo, José Dourado (PSDB), é considerado peça-chave para condução de governabilidade caso concretize reeleição – há possibilidade até de alternância no comando da Casa no decorrer do mandato.

Inicialmente, o chefe do Executivo estudava plano de coligar o PV com o PSDB, apoiado na hipótese de candidatura ao Legislativo do ex-prefeito e secretário de Saúde, José Augusto da Silva Ramos (PSDB), que foi o mais votado na eleição de outubro, para eleger bancada numerosa. No entanto, a ideia de Lauro não foi bem aceita pela alta cúpula verde, que espera pela valorização dos próprios nomes da legenda. O PV é a segunda maior bancada da Casa, com quatro vereadores: Márcio da Farmácia, Lúcio Araújo, Milton Capel e Albino Cardoso. O partido recebeu 39.791 votos, ficando atrás somente do PT, que angariou 51.732 adesões e conquistou seis cadeiras.

Assim, a costura com o PCdoB passou a ser articulada, repetindo estratégia feita pelo PT no passado. Nas eleições de 2000, 2004 e 2008, o petismo formalizou aliança com os comunistas, garantindo cadeira a Laércio.

Em 2012, o elo não foi repetido após divergências e o comunista acabou não se reelegendo em coligação com o nanico PRTB. Diferentemente de outras legendas no município, o PCdoB não esconde que trabalha com poucos nomes na construção de sua chapa de pré-candidatos a vereança.

Presidente do PCdoB, Laércio não foi localizado para comentar o assunto.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Lauro costura coligação entre PV e PCdoB

Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

19/02/2016 | 07:00


Uma das metas traçadas pelo prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), com vistas à sucessão municipal de outubro é formalizar no mês que vem coligação entre o PV e o PCdoB, cujo maior expoente na cidade é o ex-vereador Laércio Soares – hoje assessor especial na gestão municipal e antigo aliado do PT.

O maior objetivo de Lauro com a aliança é justamente garantir o retorno do comunista à Câmara. Laércio foi vereador em cinco mandatos, mas não se reelegeu em 2012. E, ao lado do presidente do Legislativo, José Dourado (PSDB), é considerado peça-chave para condução de governabilidade caso concretize reeleição – há possibilidade até de alternância no comando da Casa no decorrer do mandato.

Inicialmente, o chefe do Executivo estudava plano de coligar o PV com o PSDB, apoiado na hipótese de candidatura ao Legislativo do ex-prefeito e secretário de Saúde, José Augusto da Silva Ramos (PSDB), que foi o mais votado na eleição de outubro, para eleger bancada numerosa. No entanto, a ideia de Lauro não foi bem aceita pela alta cúpula verde, que espera pela valorização dos próprios nomes da legenda. O PV é a segunda maior bancada da Casa, com quatro vereadores: Márcio da Farmácia, Lúcio Araújo, Milton Capel e Albino Cardoso. O partido recebeu 39.791 votos, ficando atrás somente do PT, que angariou 51.732 adesões e conquistou seis cadeiras.

Assim, a costura com o PCdoB passou a ser articulada, repetindo estratégia feita pelo PT no passado. Nas eleições de 2000, 2004 e 2008, o petismo formalizou aliança com os comunistas, garantindo cadeira a Laércio.

Em 2012, o elo não foi repetido após divergências e o comunista acabou não se reelegendo em coligação com o nanico PRTB. Diferentemente de outras legendas no município, o PCdoB não esconde que trabalha com poucos nomes na construção de sua chapa de pré-candidatos a vereança.

Presidente do PCdoB, Laércio não foi localizado para comentar o assunto.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;