Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Carolina Dieckmann ganha primeira vilã


André Bernardo
Da TV Press

12/12/2005 | 08:42


Não é todo dia que uma mesma atriz é disputada por três autores. Carolina Dieckmann ainda estava festejando o convite de Benedito Ruy Barbosa para fazer sua primeira novela de época quando recebeu um telefonema do diretor Ricardo Waddington, de Sinhá Moça, a próxima do horário das seis, avisando que ela havia sido remanejada para Coração de Ouro, a próxima das sete. A decepção só não foi maior porque, se deixou de fazer uma produção ambientada no século XIX, terá a chance de interpretar a primeira vilã da carreira na trama de João Emanuel Carneiro. “Na boa, Ricardo? Decidam o que for melhor para mim e o que vocês resolverem está legal. Adoro todos vocês”, desconversou. Alegria de João Emanuel, tristeza de Manoel Carlos. Autor de Páginas da Vida, a próxima das oito, ele também já havia reservado um papel para Carolina em sua novela. “Puxa, Maneco, vai ser a primeira novela sua a que eu vou poder assistir do início ao fim”, minimizou a atriz, que participou de Por Amor, Laços de Família e Mulheres Apaixonadas.


Na verdade, a decisão da Globo foi estratégica. Prevista para estrear em abril de 2006, a trama de João Emanuel tem a difícil tarefa de erguer a combalida audiência das sete, que balança em torno de 25 pontos com Bang Bang, de Mário Prata, num horário que a emissora só se satisfaz com mais de 30 pontos. Alheia ao planejamento da emissora, a atriz limita-se a dizer que está feliz por debutar no papel de megera. Até receber o convite para fazer a pérfida Leona, Carolina só fez mocinhas indubitavelmente imaculadas, como a romântica Açucena, de Tropicaliente, a sofrida Camila, de Laços de Família, e a virginal Edwiges, de Mulheres Apaixonadas. “Até rola receio de não convencer como vilã, mas a determinação e a vontade de acertar são maiores. Quero provar que não sou o anjo cor-de-rosa que as pessoas pensam”, diz.

Na trama de João Emanuel, Leona é uma das sobrinhas do bilionário Omar Pasquim, personagem reservado a Tarcísio Meira. Assim que descobre que tem poucos dias de vida, o ricaço resolve deixar sua herança para Bel, sua sobrinha favorita. A mal-agradecida, porém, só quer saber do namorado Estevão. Já Leona não só está interessada em herdar a fortuna do tio, como também está de olho no namorado da irmã. Para azar de Tiago Worcman, namorado de Carolina: o garoto já foi avisado que a personagem da atriz vai “pegar geral”. “Coitado do Tiago! Ele está histérico. Se já não via Senhora do Destino por causa do Dan Stulbach, agora então”, diverte-se, com ar maroto. Mas a preocupação de acalmar o namorado não é a maior para Carolina. Mais importante para ela é convencer o filho, o pequeno Davi, de que a mãe não virou uma bruxa. “Filhinho, agora que você sabe que papai não é cego, precisa saber também que mamãe não é má, está bem?”, graceja, referindo-se ao ex-marido, o ator Marcos Frota, que interpretou o Jatobá, em América.

O bom humor da atriz ao falar de sua nova personagem chega a ser surpreendente. Carolina sempre foi avessa a entrevistas, a ponto de instigar a dupla Repórter Vesgo e Silvio Santos, do Pânico na TV. “O pior de tudo é que, por causa deles, virei ’a antipática’. Cheguei a receber agressões na internet por não ter compactuado com eles”, afirma.


Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;